quinta-feira, 23 de março de 2017

MANHÃS


Foto Fernando Alexandre

Manhã de outono
verdes morros
ventam mar azul
(Fernando Alexandre - outono 2010)

É HORA DE IR PARA O MAR...

Ilustração de autor desconhecido
"Chamai-me Ismael. Faz alguns anos - não importa quantos, precisamente-, tendo na bolsa escasso ou nenhum dinheiro e nada que particularmente me interessasse em terra, achei que devia velejar um pouco e ver a parte aquosa do mundo.
É um hábido que eu tenho, para acabar com o esplim e regular a circulação. Sempre que começo a ficar austero; sempre que é um novembro úmido e chuvoso em minha alma; sempre que dou comigo a parar involuntariamente diante de empresas funerárias e a cerrar fila em cada enterro que encontro; e especialmente sempre que minha hipocondria adquire tal domínio sobre mim que é preciso um sólido princípio moral para impedir-me de sair deliberadamente para a rua e metodicamente surrar as pessoas - então acho que está na hora de ir para o mar o mais depressa possível.Este é o meu sucedâneo para a pistola carregada. Com um floreio filosófico Catão se atira sobre a espada; eu calmamente vou para o navio.
Não há nada de surpreendente nisso. Quase todos os homens (soubessem eles), qualquer que seja a sua classe, uma vez ou outra compartilham comigo quase que os mesmos sentimentos para com o oceano..."

 (Parágrafo inicial de Moby Dick, de Herman Melville)

MOBY DICK, o filme

"Moby Dick", um clássico da literaura mundial, escrito em 1851 por Herman Melville e transformado em filme em 1956 por John Huston, com Gregory Peck no papel do Capitão Ahab. 
Sem legendas, em inglês - original
.

MAR-CAIS

A ilha é filha dos deuses
Louca por um coração
De luzes e aves
(Uby Oliveira)

quarta-feira, 22 de março de 2017

terça-feira, 21 de março de 2017

DE OLHO NO MAR...

Foto Fernando Alexandre

OUTONO OU TUDO!

Luz de outono
Olhos latem
como cão sem dono
(Fernando Alexandre)

ESTIVANDO

Foto Fernando Alexandre


MAREGRAFIAS

Foto Fernando Alexandre

MARES DE PORTUGAL

Foto Antonio Cravo
a agulha

desfazer nós
metáforas baratas de falsos consensos
acender uma vela
por pequena que seja
ver e mostrar
saber e dizer

sem pretensões de longe
sem ilusões de muito
falar e dizer
porque calar
é consentir
sabedoria de povo
quantas vezes calado

fina e diminuta a agulha
a picadela

isso tão só

- o ti augusto segura o nó da corda que prende a calima ao fundo do saco -

(torreira; companha do marco; jun, 2014)

(Do ahcravo gorim)

segunda-feira, 20 de março de 2017

MAR - CAIS


Foto Fernando Alexandre
O verão é uma fogueira
no céu azul. É domingo
esta segunda-feira!
(Millôr Fernandes)

SEM GUAIAMUM


 Foto de divulgação 

Ministério do Meio Ambiente proíbe venda de Guaiamum em todo o Brasil
Espécie de crustáceo é um prato típico do litoral nordestino

POR O GLOBO

RIO — Prato típico do litoral nordestino, o Guaiamum não poderá mais ser vendido em bares e restaurantes. A captura e a comercialização do crustáceo está proibida desde o dia 6 de março por força de duas portarias do Ministério do Meio Ambiente publicadas no Diário Oficial da União. Porém, os estabelecimentos que ainda têm o animal em estoque poderão continuar com as vendas até o próximo dia 30 de abril.

De acordo com a determinação do órgão, o Guaiamum macho está na lista de animais que correm risco de entrar em extinção. O comércio já havia sido proibido em 2014, por determinação da portaria 445/2014, no entanto, a data limite para a venda da iguaria foi prorrogada.

A captura, transporte, armazenamento, guarda e manejo dos guaiamuns será permitida apenas para fins de pesquisa ou para a conservação da espécie, mediante autorização do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade.

A penalidade para quem não cumprir a portaria está prevista na lei 5.197, que trata sobre a caça de animais silvestres. Caso alguém seja flagrado, a multa será aplicada no valor de R$ 5 mil por pessoa. Se comprovada a venda, o valor será de R$ 10 mil.

© 1996 - 2017. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

MAR DE SABORES




GRELHADAS AO VINHO

Ingredientes

 
* 700 g de lulas limpas
* Sal, limão e pimenta do reino
* Azeite para grelhar
* 2 colheres de sopa de alho picado e frito
 * 1/2 xícara de café de vinho branco
* Salsinha picada
* Outras ervas (se quiser)


 Modo de Preparo
1 - Tempera as lulas e grelhe-as numa chapa pré-aquecida ou numa frigideira de fundo grosso.
 2 - Coloque as lulas e não mexa até que estejam douradas de um lado.
3 - Vire-as então, uma a uma, para que não soltem muito líquido (se isso acontecer, elas podem ficar duras).
 4 - Se necessário, retire este líquido assim que formar.
 5 - Quando estiverem grelhadas, acrescente o alho, o vinho e a salsinha.

domingo, 19 de março de 2017

OUTONO OU TUDO!

Foto Fernando Alexandre
BOLETIM DA EPAGRI PARA O OUTONO EM SC

Precipitação
No trimestre, a previsão é de chuva próxima à média climática em SC. A precipitação deve ser melhor distribuída no tempo no mês de março, em relação a fevereiro. Outra característica que deve marcar o trimestre é a diferença dos valores mensais de chuva, intercalando um mês mais seco com outro mais chuvoso.

Em março, os temporais ainda ocorrem com frequência e, muitas vezes, a chuva vem acompanhada de forte atividade elétrica (raios), granizo e ventania em períodos curtos. Nesta época do ano, também é comum a ocorrência de ciclones que causam chuva e ventos fortes na região. Por isso, ressalta-se a importância do acompanhamento diário da previsão do tempo.

Temperatura
A previsão é temperatura próxima a acima da média climática, com o fim do verão e o início de outono típicos em SC, com dias quentes e úmidos mais frequentes em boa parte dos dia de março. No fim de março e início abril, chegam as primeiras massas de ar frio com formação de geada e nevoeiros em algumas localidades do Estado, sobretudo no Planalto Sul. 

Em maio, massas de ar frio intensas atingem o Sul do Brasil, deixando a temperatura mais baixa, por vezes com geada ampla em Santa Catarina. Mesmo assim, eventos prolongados de temperatura elevada (acima de 30ºC) podem ocorrer, especialmente no mês de maio, caracterizando os veranicos.

Temperatura da Superfície do Mar (TSM)
Em janeiro, a anomalia negativa de TSM (Temperatura da Superfície do Mar) ficou em torno de - 0,5°C no Pacífico Equatorial , indicando La Niña de fraca intensidade. Além disso, as variáveis atmosféricas foram consistentes com a característica do fenômeno. Em fevereiro, nota-se maior aquecimento (anomalia positiva de TSM), especialmente ao sul da região tropical do Pacífico (Figura 2). Para o próximo trimestre (Março-Abril-Maio) a previsão é de neutralidade, ou seja sem a influência dos fenômenos El Niño e La Niña.


sábado, 18 de março de 2017

MAR DE POETA

Fernando Alexandre / Leila Pugnaloni

DE OLHO NO INFINITO!


UMA MESA PORTUGUESA, COM CERTEZA!

Foto Divulgação
Camarão com molho de mostarda 

Ingredientes
 4 colheres de sopa de azeite de oliva
700 gramas de camarão
3 a 4 dentes de alho esmagados/cortados
1 cebola pequena cortada bem fina
1 colher de sopa de farinha de trigo
1 copo de vinho branco seco
1 colher de sopa de caldo de galinha liquido
1 1/2 colher de sopa de mostarda
sal e pimenta a gosto (opcional)
 tempero verde (salsa / cebolinha) - opcional

Modo de Fazer:
Em uma panela esquente 2 colheres de sopa de azeite de oliva e coloque o camarão (fogo baixo). Mexa sempre até o camarão estar quase no ponto. ( + - 5 minutos).
Deixe esta panela de lado. Posteriormente finalize o camarão ao ponto junto com o molho.
 Em outra panela faça o molho (fogo baixo):
 esquente as 2 colheres de sopa restantes do azeite de oliva e doure a cebola. Acrescente em seguida a farinha de trigo e mexa bem por cerca de 1 a 2 minutos.
Acrescente em seguida o vinho, caldo de galinha liquido e a mostarda e mexa bem por cerca de 1 a 2 minutos. Acrescente mais vinho caso deseje mais aguado ou menos cremoso.
Misture o molho com o camarão que está na outra panela (fogo bem baixo), mexendo sempre, deixe cozinhar por cerca de 2 minutos até o camarão estiver no ponto.

( Fonte: http://receitas101.blogspot.pt/2009/08/camarao-com-molho-de-mostarda.html)

JACK O MARUJO


- O sr. tem uma religião? perguntou o Grumete.
- Tenho, disse Jack o Marujo. Só não pratico porque não sei qual é.

MAR DE POETA

Arte Andrea Ramos
Da griffie  poética "Cobra Coralina", textos & traços & emoções à flor da pele, naquele tempo em que acreditar era pra sempre e ainda se discutia o sexo das tainhas!

MAREGRAFIAS

Foto Fernando Alexandre

MARES DO BRASIL

Gravura do Padre Eterno publicada no livro supra citado

Maior navio do sec. 17 foi construído no Brasil


História náutica desconhecida: maior navio do século 17 foi construído no Brasil
Os brasileiros e o mar.

Na segunda metade do século XVII (1666) foi fundado um estaleiro na Ponta do Galeão, baía de Guanabara. Entre outros, ele colocou no mar o galeão Padre Eterno, tida por muitos historiadores como o maior navio existente no mundo na época.

A fonte desta informação é o belíssimo livro “A muito leal e heróica cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro“, editado em 1965 para comemorar os 400 anos da fundação do Rio de Janeiro.

Padre Eterno era um colosso: seis pontes (ou convéses), 180 escotilhas (o que quer dizer 180 canhões). Podia carregar até 4 mil caixas de açúcar de 680 kilos cada. Sua tripulação era de 3 a 4 mil homens.
Vale conhecer nossa história náutica

Nossa história náutica é interessante e surpreendente. A quantidade extraordinária de embarcações típicas ainda em uso é mais uma prova.Pintadas em cores vibrantes, com formas incomuns, ostentando enormes e nostálgicas velas, estas rústicas embarcações são parte de nossa história e trazem poesia e elegância ao nosso litoral. Saiba mais em Embarcações Típicas da Costa Brasileira.

( Do http://marsemfim.com.br/historia-nautica-desconhecida/)

DANDO NOMES...

Foto Fernando Alexandre

sexta-feira, 17 de março de 2017

MAR DE POETA

A imagem pode conter: texto

DANDO NOME...

Foto Fernando Alexandre

ENTENDENDO VENTOS


"Calada estranha! Num demora
vai dá viração."
Amainá - Acalmar, diminuir. Mais utilizado para definir o vento. Ex: "O vento vai amainá".
Cabeça de Vento - A primeira rajada de vento quando ele vira de direção.
Calada Estranha - Tempo estranho, sem ventos, sem definição.
Calada Podre - Calmaria de vento com sol forte.
Ramo de Ar - Vento frio e inesperado que pode causar alguns problemas de saúde. O mesmo que golpe de ar.
Viração - Mudança de vento e de tempo. Ex: "Num demora vai dá viração".

Mergulhe mais fundo no http://dicionariodailha.blogspot.com/

OS ARGONAUTAS

VENTOS SE INVENTAM

Foto Fernando Alexandre
Vento Sul suja,
Vento Sul limpa...
(Dito popular ilhéu)

DE BICICLETAS & RELIGIÕES


MAREGRAFIAS

Foto Fernando Alexandre

FEITO PEIXE


Triton: As guelras artificiais que vão permitir respirar debaixo de água

Uma ‘startup’ sueca, baseada em Estocolmo, encontra-se a desenvolver um aparelho que permitirá aos humanos respirarem debaixo de água sem grande esforço, funcionando como um sistema de guelras artificiais.

O equipamento, de nome Triton, terá 29 cm, uma bateria que poderá durar até 45 minutos e atingir os cinco metros de profundidade. A grande segredo do Triton é uma fibra microporosa responsável pela captura de oxigénio directamente na água.

Para receber financiamento a ‘startup’ de Estocolmo colocou o seu projecto na plataforma de ‘crowdfunding’ IndieGogo onde pretendia arrecadar cerca de 50 mil dólares. O entusiasmo à volta da ideia foi tal que até ao momento, a um mês do final da campanha, a empresa já conseguiu arrecadar mais de 830 mil dólares.

Estima-se que terá o preço de 299 dólares com entregas programadas para Dezembro deste ano.

quinta-feira, 16 de março de 2017

MAR-CAIS

Ilustração Andrea Ramos
Peixe danado
Mexe na rede
ainda te pego

Hai-kai anônimo, pichado na pedra grande da pequena Praia do Saquinho, Sul da Ilha de Santa Catarina, alguns anos atrás. Provavelmente o poema foi escrito por duas ou mais pessoas. Primeiro foram pichados os dois últimos "versos", que eram na realidade uma proibição e uma ameaça. Alguns dias depois surgiu, pichado com letras diferenciadas o "peixe danado". E a ameaça- agressiva - virou um singelo hai-kai, degustado prazeirosamente pelos poucos moradores da comunidade que acompanharam a transformação.

PRA QUEM GOSTA DE CAMARÃO!


MEMÓRIA DAS ÁGUAS


Gravado em Paris, em 1979, e lançado dois anos depois de forma independente, Memória das Águas foi o primeiro álbum do percussionista, compositor e poeta paraibano Fernando Falcão. 

O registro tem forte caráter experimental, mesclando influências diversas de ritmos nordestinos e africanos, passando pelo jazz e pela música concreta, com arranjos e produção do próprio e do maestro José Luiz Castiñera de Dios.

MAREGRAFIAS

Foto Fernando Alexandre

NO DESPENQUE...

 Foto Shark Attack Mitigation Systems / AFP)
Cientistas criam traje capaz de deixar surfistas invisíveis a tubarões
Equipamento foi desenvolvido por especialistas de universidade australiana.

Cientistas australianos criaram um novo traje para surfistas que pretende fazer com que seus usuários fiquem 'invisíveis' aos olhos dos tubarões, uma medida que busca reduzir o número de ataques nas praias do país, informou nesta quinta-feira a imprensa local.
Especialistas da Universidade da Austrália Ocidental, com ajuda do Sistema de Prevenção de Ataques de Tubarões, desenvolveram dois tipos de equipamento que começarão a ser comercializados pelo equivalente a cerca de R$1100.

O modelo "Ellude" permite camuflar os surfistas na água, enquanto o "Diverter", com padrões de raias brancas e azuis, pretende simular os sinais naturais que repelem os tubarões, segundo a agência local "AAP".
Um dos pesquisadores do projeto, Shaun Collin, afirmou que a fabricação dos trajes foi baseada em uma série de descobrimentos e observações dos tubarões e visava "reduzir o risco de seus usuários em diversas condições".
"Muitos animais são repelidos por outros que emitem sinais", explicou Collin, que acrescentou que o traje fará com que o tubarão pense que o surfista não é comestível.
Os novos trajes foram provados na água com os temidos tubarões tigre no litoral noroeste da Austrália, mas novos testes serão feitos futuramente com tubarões branco na Austrália e na África do Sul.
(Do G1, em São Paulo)
"Quem é lerdo não come pirão!"
(Dito popular praieiro)

PESCA É SÓ INDÚSTRIA?

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento passou o bastão para o Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços


Publicado nesta segunda-feira, o Decreto No - 9.004, de 13 de março de 2017 transferiu o Secretaria de Aquicultura e Pesca e o Conselho Nacional de Aquicultura e Pesca do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) para o Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC). Com isso, o MDIC passa a ser responsável pela política nacional pesqueira, fomento da produção, implantação de infraestrutura de apoio à produção, beneficiamento e comercialização do pescado.

Porém, nem todas as atribuições do setor passaram totalmente ao MDIC, segundo o Art.3º do Decreto No - 9.004, de 13 de março de 2017 cabe ainda ao Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento coordenar junto ao Ministério do Meio Ambiente (MMA) os aspectos relacionados ao uso sustentável dos recursos pesqueiros, como normas e medidas de ordenamento do uso sustentável dos recursos pesqueiros. Assim como,cabe aos três minitérios em conjunto ( MAPA, MDIC E MMA), subsidiar, assessorar e participar de negociações e eventos que envolvam o comprometimento de direitos e a interferência em interesses nacionais sobre a pesca e aquicultura.

De acordo com o decreto, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento e a Secretaria de Governo da Presidência da República continuarão prestando o apoio necessário ao funcionamento das unidades transferidas até a data de entrada em vigor da nova Estrutura Regimental do Ministério da Indústria, Comércio Exterior. Acesse o Decreto No - 9.004, DE 13 de março de 2017

(via http://www.observasc.net.br)

quarta-feira, 15 de março de 2017

IMPREVISÕES TEMPORÁRIAS


Foto Fernando Alexandre
Tantos outonos no chão
primaveram invernos
nesse verão
(Fernando Alexandre)

JACK O MARUJO


- Bonito o que o senhor fala sobre o mar, capitão. Esse é um amor de longa data.
- Não é amor, é respeito, disse Jack o Marujo. Aprendemos com o mar pelo pior caminho. Falta chão no enjoo e na tontura, a pele salga no sol, o vento arrebenta as velas, as ondas nos naufragam, há calmaria em excesso, escassez de peixe e nenhuma água para beber.

- Se é tão pesada essa vida, porque insistir nela?

- Somos os escolhidos de Netuno. Temos uma missão e precisamos cumpri-la. Não importa o fardo, é uma questão de honra.
- E qual seria essa missão tão sagrada, capitão?
- Calar-se diante do mistério. Alguém tem que fazer esse serviço. E falar só o que não ofende a majestade do mar. Porque ele representa algo maior, ao qual não temos acesso.
- Achei que marinheiro era tudo igual e só gosta de contar vantagem.
- É verdade. Somos sempre os mesmos. Navegadores brutos, repasto de sereias.


DARWIN, UM NAVEGANTE!


A circum-navegação de Darwin

Publicado por João Lara Mesquita 

Como você imagina que Darwin desenvolveu a teoria da evolução pela seleção natural das espécies? Indo a campo, claro! Foi a circum-navegação de Darwin no século XIX.

O jovem Charles Darwin, com apenas 22 anos, passou quase cinco anos à bordo do HMS Beagle, entre 1831 e 1836, navegando ao redor do mundo!

Passando por diversas regiões do mundo e por ecossistemas diferentes, o cientista observou uma enorme variedade de animais, plantas, culturas, fósseis e formações geológicas, e assim formulou ideias sobre como diferentes espécies surgem e evoluem no planeta Terra.


Durante a viagem de cinco anos, Darwin e a tripulação do Beagle passaram a maior parte do tempo explorando a América do Sul, incluindo ilhas como Galápagos. Mais tarde o cientista chegou a afirmar que essa viagem foi o principal evento de sua vida.



A circum-navegação de Darwin teve fim no dia 2 de outubro de 1836, quando Beagle jogou a âncora em Falmouth, na Inglaterra.

Mas… Sabemos muito bem que algumas navegações são longas, exigem paciência da tripulação e geram um grande tempo ocioso que pode ser preenchido com um bom livro.

O que será que o jovem Darwin lia a bordo do Beagle durante todo esse tempo no mar?

A resposta está em uma biblioteca digital, compilada pelo projeto Darwin Online, que reproduz, de maneira ilustrada e detalhada, as 181 obras que compunham a biblioteca flutuante do Beagle.