sexta-feira, 31 de março de 2017

URUBUSANDO...

Fotos Fernando Alexandre







Governo anuncia ampliação da Estação Ecológica do Taim

Anúncio foi feito pelo ministro do Meio Ambiente durante evento comemorativo do Dia Mundial da Água, nesta quarta-feira. UC no Rio Grande do Sul passa a ter 32 mil ha

 No Dia Mundial da Água, que transcorreu nesta quarta-feira (22), o ministro do Meio Ambiente, Sarney Filho, anunciou a ampliação da Estação Ecológica (Esec) do Taim, no Rio Grande do Sul, que passará a ter 32 mil hectares. O decreto de ampliação está em fase final de análise para publicação. O evento ocorreu na sede do ministério, em Brasília, e reuniu vários convidados.

A estação é um dos três novos sítios Ramsar (zona úmida de importância internacional) brasileiros. A designação, adotada pelo tratado intergovernamental aprovado em encontro realizado na cidade iraniana de Ramsar, confere à unidade reconhecimento mundial e garante ao Brasil a obtenção de apoio internacional para o desenvolvimento de pesquisas, o acesso a fundos internacionais para o financiamento de projetos e a criação de um cenário favorável à cooperação internacional.

LEIA MAIS SOBRE O DIA MUNDIAL DA ÁGUA: Mutirão retira 400 kg de lixo do rio Iguaçu

A Estação Ecológica do Taim está localizada na porção sul da planície costeira do Rio Grande do Sul, entre as Lagoas Mirim e o Oceano Atlântico, e abrange parte dos municípios do Rio Grande e de Santa Vitória do Palmar e a ilha do Taquari, que fica na Lagoa Mirim, na divisa do Brasil com o Uruguai. Foi criada pelo Decreto nº 92.963, em 21 de julho de 1986, com área de cerca de 11 mil hectares.

As propostas de ampliação da reserva vinham sendo elaboradas por um Grupo de Trabalho (GT) do conselho consultivo da unidade formado por 21 instituições governamentais e da sociedade civil. Após várias reuniões e audiências públicas, chegou-se ao consenso de que a ampliação é compatível com o desenvolvimento econômico da região.

Gestores comemoram

Os gestores da estação ecológica comemoraram tanto a inclusão da unidade na lista dos sítios Ramsar quanto o anúncio de aumento de seus limites. A proposta de ampliação reincorpora áreas públicas à unidade de conservação e permite o avanço de sua gestão.

Aos proprietários dos cerca de 8 mil hectares a serem regularizados, cuja maioria participou da elaboração dessa proposta, ficará o legado de finalmente ter segurança jurídica, recebendo o valor devido por suas propriedades e podendo aplicar em atividades rentáveis em áreas mais propícias à produção.

Banhados do Taim

Os banhados do Taim apresentam variados ecossistemas, representados por praias lagunares e marinhas, lagoas, pântanos, campos, cordões e campos de dunas. A unidade é considera uma das principais estações ecológicas do Rio Grande do Sul e um dos principais ecossistemas do Brasil.

A reserva é moradia de pelo menos 30 espécies diferentes de mamíferos e 250 aves, com destaque para animais como o cisne-de-pescoço-preto, capororoca, tachã, garça-moura, cabeça-seca, socozinho, ximango, martim-pescador, marrecão e marreca-piadeira.

Entre os animais de maior porte, estão o jacaré-de-papo-amarelo, tartarugas, capivara, ratão-do-banhado, graxaim, mão-pelada, lontra e tuco-tuco. Já a flora é bastante diversa, apresentando figueiras, corticeiras, quaresmas, orquídeas, bromélias, cactos, juncos e aguapés.

Comunicação ICMBio
(61) 2028-9280

NO MAR BRASILIS.


ESTIVANDO...

Foto Fernando Alexandre




quarta-feira, 29 de março de 2017

PESCA DA TAINHA!


ATENÇÃO PESCADORES DE TAINHAS DE CANOAS A REMO!!!

Amanhã, dia 30/03 às 14:00 horas no Ministério Público Federal, em Florianópolis, na beira mar norte ( Rua Paschoal Apóstolo Pitsica, 4876 - Edifício Luiz Elias Daux - Agronômica) a nossa reunião da safra da tainha 2017. São solicitados apenas 2 representantes de cada praia, em função do espaço!

O informe é do camarada Silézio Sabino!

MAR DE PLÉTICOS

Sílvio Pléticos - acrílico sobre eucatex - Acervo do artista


Foto Fernando Alexandre

És da origem do mar, vens do secreto,
Do misterioso mar, espumarento e frio,
Que põe redes de sonho ao navio,
E o deixa balouçar na vaga inquieto.


(Cruz e Sousa, Desterro 1861 -1898. Fragmento do poema "Flôr do Mar.")

terça-feira, 28 de março de 2017

UM PASSADO QUE VIROU UTOPIA!

Foto Numlembro Mermo
Centro de Floripa, baía Sul, próximo ao Mercado Público: num tempo esquecido em alguma ilha da memória, numa manhã em um final de século qualquer.
Um passado que virou utopia!

MAR DE PESCADOR


Pescadores de Itapocoroy é um documentário produzido por Clara Rosália da Silva para a conclusão no Curso de Jornalismo - Univali/2012.
Sinopse:
A Enseada de Itapocoroy é berço de homens do mar. Suas águas calmas embalaram gerações de pescadores no litoral norte de Santa Catarina. É como se fossem heróis de uma resistência que mantém viva a tradição da pesca artesanal. Hoje, enfrentam condições adversas no trabalho enquanto assistem a seus jovens migrarem para outras profissões.

Direção: Clara Rosália da Silva
Orientação: Jane Cardozo da Silveira
País/ano: Brasil/2012
Duração: 26 min.
Para assistir em alta definição altere a qualidade no ícone de configuração na própria tela de visualização do vídeo.

OUTONO OUTUDO

Foto Fernando Alexandre

MARES DE PORTUGAL


mãos de mar (16)

para o menino bonito

o meu povo trabalha duro
não tem tempo para brilhantinas
ordenados milionários
viagens em classe executiva

o meu povo
os copos que bebe
saem-lhe do corpo e sabem a sal

o meu povo
tem direito a ser respeitado
por todos
em especial pelos gravatinhas
que não o conhecem
nem falam a sua língua

o meu povo
respeita todos os povos
porque todos os povos
são o meu povo

o meu povo
tem a sabedoria dos dias de parca paga
que reparte com as mulheres
e os filhos

o meu povo
está cansado de meninos bonitos
com muita escola e poucos princípios

o meu povo
convida o menino bonito
para um dia de trabalho

(Do ahcravo gorim , poeta e fotógrafo português)

ELAS ESTÃO CHEGANDO...

A imagem pode conter: texto

segunda-feira, 27 de março de 2017

O DIA EM QUE A ILHA SE AFASTOU DO CONTINENTE!


Desenterrando o "Desterrando"
Depois de uma verdadeira e intensa pesquisa antropológica, conseguimos uma cópia do "Desterrando", versão de 5 minutos.
Em breve, estamos programando um remake!
Quem for vivo, verá!

TRABALHADORES DO MAR

A imagem pode conter: 1 pessoa, nuvem, céu, oceano, montanha, atividades ao ar livre, água e natureza
Fotos Milton Ostetto
A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, nuvem, céu e atividades ao ar livre

Seo Jorge ( Jorgino)..86 anos, Pântano do Sul!
No clique do Milton Ostetto 

MAR DE SONS

Banda Cataia, formada na Ilha do Cardoso, litoral de São Paulo, que participou do "revival" do projeto "Boca no Trombone" nas comemorações do "Lira Paulistana - 30 Anos depois - Vanguarda Paulista" na Funarte, em São Paulo.

MANEMÓRIAS

Baleia franca morta sendo retirada do mar do Pântano do Sul - Anos 60

MAR DE CAIÇARAS


Dia 01 de abril, as 19:00 hrs, no Projeto TAMAR em Ubatuba.
Entrada gratuita

domingo, 26 de março de 2017

OUTONO OUTUDO!

Foto Fernando Alexandre

VOANDO...

Foto: OCEANA / Enrique Talledo

Este peixe pode sair para tomar um “arzinho”! O peixe-voador tropical (Exocoetus volitans) tem a habilidade de planar por longas distâncias para escapar de predadores. Os voos são normalmente baixos, mas podem se estender por dezenas (ou mesmo centenas) de metros. Não é interessante?(Da Oceana Brasil)

sábado, 25 de março de 2017

MAR DE TAINHAS

A imagem pode conter: texto

À SOMBRA DOS REMOS...


Foto Fernando Alexandre
"Maria Marta batizaram-me. Virginiana de 25 anos esculpida e acomodada num tronco de garapuvú, nas formas e meneios de uma canoa-bordada. Branca de corpo, sou rápida sou esguia, leve. Levo um friso azul-claro ao longo do costado a título de adereço. Replico ao imediato instinto às sombras dos remos. Rosada no colo interior sou da classe canoa-fêmea. Deslizo em suavidade líquida causando ínfimo atrito, por pouco batendo remos e voar (este é meu desejo mais profundo). 
Descanso sobre troncos roliços bronzeando ao sol. Aprecio o mar, meu companheiro encantador, desde que em suas areias me deitaram em noite de lua nova. Apito do sentinela no costão. Alvoroço no cardume que corusca apontando de leste. Lá vou empurrada por braços fortes encontro vagas conhecidas transpassando. Sobem afoitos pés descalços recebo. Remos perfuram o mar e empuxo. Disposta respondo. Redes escorregando ao meu passar lembra um vestido de noiva, calda longa e véu. Na prática diária da labuta cercamos manta alegres. Perseverante vigio o revolver das redes carregadas. Em meu seio o peso do sustento das famílias não sinto. Apenas reflito a essência dos elementos em harmonia."

(Ivan Messiano, poeta e escritor paulista quando morou na Ilha de Santa Catarina)

NAQUELE TEMPO...


Tia Ilda - como todos nós chamamos aqui no Pântano do Sul - uma das últimas benzedeiras da ilha,  conta causos para a TV Câmara no Escuta Aqui Ó! Direção: Ricardo Vom Busse.

HOMENS E ALGAS


O advogado e escritor Othon da Gama Lobo d'Eça nasceu em Florianópolis em 3 de agosto de 1892. O livro "Homens e Algas", uma de suas principais obras, é um retrato fiel e impactante dos pescadores que viviam em Florianópolis, na metade do século passado. 
Publicado originalmente em 1957, as histórias de Homens e Algas começaram a ser escritas em 1938, na época em que o escritor costumava descansar em sua casa de férias, na Praia de Coqueiros, muitos anos antes do balneário tornar-se o preferido dos moradores da cidade. 

No prefácio escrito em 1957 e mantido nesta nova edição, Othon D'Eça afirma que em Homens e Algas não fez ficção porque o seu intuito foi "gravar, em resumos curtos e secos, verdades vivas e amargas - que valem muito mais que os relevos dos frisos e as galas da imaginação". Faleceu em 7 de fevereiro de 1965, em Florianópolis.

SE ALEMBRAM DAQUELE "LANÇO'?


Cerco e arrastão de tainhas realizado em 26/06/2010, no Costão do Meio, Praia do Pântano do Sul!
E já fazem 7 anos!

quinta-feira, 23 de março de 2017

terça-feira, 21 de março de 2017

DE OLHO NO MAR...

Foto Fernando Alexandre

ESTIVANDO

Foto Fernando Alexandre


MAREGRAFIAS

Foto Fernando Alexandre

MARES DE PORTUGAL

Foto Antonio Cravo
a agulha

desfazer nós
metáforas baratas de falsos consensos
acender uma vela
por pequena que seja
ver e mostrar
saber e dizer

sem pretensões de longe
sem ilusões de muito
falar e dizer
porque calar
é consentir
sabedoria de povo
quantas vezes calado

fina e diminuta a agulha
a picadela

isso tão só

- o ti augusto segura o nó da corda que prende a calima ao fundo do saco -

(torreira; companha do marco; jun, 2014)

(Do ahcravo gorim)

segunda-feira, 20 de março de 2017

SEM GUAIAMUM


 Foto de divulgação 

Ministério do Meio Ambiente proíbe venda de Guaiamum em todo o Brasil
Espécie de crustáceo é um prato típico do litoral nordestino

POR O GLOBO

RIO — Prato típico do litoral nordestino, o Guaiamum não poderá mais ser vendido em bares e restaurantes. A captura e a comercialização do crustáceo está proibida desde o dia 6 de março por força de duas portarias do Ministério do Meio Ambiente publicadas no Diário Oficial da União. Porém, os estabelecimentos que ainda têm o animal em estoque poderão continuar com as vendas até o próximo dia 30 de abril.

De acordo com a determinação do órgão, o Guaiamum macho está na lista de animais que correm risco de entrar em extinção. O comércio já havia sido proibido em 2014, por determinação da portaria 445/2014, no entanto, a data limite para a venda da iguaria foi prorrogada.

A captura, transporte, armazenamento, guarda e manejo dos guaiamuns será permitida apenas para fins de pesquisa ou para a conservação da espécie, mediante autorização do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade.

A penalidade para quem não cumprir a portaria está prevista na lei 5.197, que trata sobre a caça de animais silvestres. Caso alguém seja flagrado, a multa será aplicada no valor de R$ 5 mil por pessoa. Se comprovada a venda, o valor será de R$ 10 mil.

© 1996 - 2017. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

domingo, 19 de março de 2017

OUTONO OU TUDO!

Foto Fernando Alexandre
BOLETIM DA EPAGRI PARA O OUTONO EM SC

Precipitação
No trimestre, a previsão é de chuva próxima à média climática em SC. A precipitação deve ser melhor distribuída no tempo no mês de março, em relação a fevereiro. Outra característica que deve marcar o trimestre é a diferença dos valores mensais de chuva, intercalando um mês mais seco com outro mais chuvoso.

Em março, os temporais ainda ocorrem com frequência e, muitas vezes, a chuva vem acompanhada de forte atividade elétrica (raios), granizo e ventania em períodos curtos. Nesta época do ano, também é comum a ocorrência de ciclones que causam chuva e ventos fortes na região. Por isso, ressalta-se a importância do acompanhamento diário da previsão do tempo.

Temperatura
A previsão é temperatura próxima a acima da média climática, com o fim do verão e o início de outono típicos em SC, com dias quentes e úmidos mais frequentes em boa parte dos dia de março. No fim de março e início abril, chegam as primeiras massas de ar frio com formação de geada e nevoeiros em algumas localidades do Estado, sobretudo no Planalto Sul. 

Em maio, massas de ar frio intensas atingem o Sul do Brasil, deixando a temperatura mais baixa, por vezes com geada ampla em Santa Catarina. Mesmo assim, eventos prolongados de temperatura elevada (acima de 30ºC) podem ocorrer, especialmente no mês de maio, caracterizando os veranicos.

Temperatura da Superfície do Mar (TSM)
Em janeiro, a anomalia negativa de TSM (Temperatura da Superfície do Mar) ficou em torno de - 0,5°C no Pacífico Equatorial , indicando La Niña de fraca intensidade. Além disso, as variáveis atmosféricas foram consistentes com a característica do fenômeno. Em fevereiro, nota-se maior aquecimento (anomalia positiva de TSM), especialmente ao sul da região tropical do Pacífico (Figura 2). Para o próximo trimestre (Março-Abril-Maio) a previsão é de neutralidade, ou seja sem a influência dos fenômenos El Niño e La Niña.


sábado, 18 de março de 2017

MAREGRAFIAS

Foto Fernando Alexandre

MARES DO BRASIL

Gravura do Padre Eterno publicada no livro supra citado

Maior navio do sec. 17 foi construído no Brasil


História náutica desconhecida: maior navio do século 17 foi construído no Brasil
Os brasileiros e o mar.

Na segunda metade do século XVII (1666) foi fundado um estaleiro na Ponta do Galeão, baía de Guanabara. Entre outros, ele colocou no mar o galeão Padre Eterno, tida por muitos historiadores como o maior navio existente no mundo na época.

A fonte desta informação é o belíssimo livro “A muito leal e heróica cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro“, editado em 1965 para comemorar os 400 anos da fundação do Rio de Janeiro.

Padre Eterno era um colosso: seis pontes (ou convéses), 180 escotilhas (o que quer dizer 180 canhões). Podia carregar até 4 mil caixas de açúcar de 680 kilos cada. Sua tripulação era de 3 a 4 mil homens.
Vale conhecer nossa história náutica

Nossa história náutica é interessante e surpreendente. A quantidade extraordinária de embarcações típicas ainda em uso é mais uma prova.Pintadas em cores vibrantes, com formas incomuns, ostentando enormes e nostálgicas velas, estas rústicas embarcações são parte de nossa história e trazem poesia e elegância ao nosso litoral. Saiba mais em Embarcações Típicas da Costa Brasileira.

( Do http://marsemfim.com.br/historia-nautica-desconhecida/)

DANDO NOMES...

Foto Fernando Alexandre

sexta-feira, 17 de março de 2017

MAR DE POETA

A imagem pode conter: texto

MAREGRAFIAS

Foto Fernando Alexandre

FEITO PEIXE


Triton: As guelras artificiais que vão permitir respirar debaixo de água

Uma ‘startup’ sueca, baseada em Estocolmo, encontra-se a desenvolver um aparelho que permitirá aos humanos respirarem debaixo de água sem grande esforço, funcionando como um sistema de guelras artificiais.

O equipamento, de nome Triton, terá 29 cm, uma bateria que poderá durar até 45 minutos e atingir os cinco metros de profundidade. A grande segredo do Triton é uma fibra microporosa responsável pela captura de oxigénio directamente na água.

Para receber financiamento a ‘startup’ de Estocolmo colocou o seu projecto na plataforma de ‘crowdfunding’ IndieGogo onde pretendia arrecadar cerca de 50 mil dólares. O entusiasmo à volta da ideia foi tal que até ao momento, a um mês do final da campanha, a empresa já conseguiu arrecadar mais de 830 mil dólares.

Estima-se que terá o preço de 299 dólares com entregas programadas para Dezembro deste ano.

quinta-feira, 16 de março de 2017

PRA QUEM GOSTA DE CAMARÃO!


MEMÓRIA DAS ÁGUAS


Gravado em Paris, em 1979, e lançado dois anos depois de forma independente, Memória das Águas foi o primeiro álbum do percussionista, compositor e poeta paraibano Fernando Falcão. 

O registro tem forte caráter experimental, mesclando influências diversas de ritmos nordestinos e africanos, passando pelo jazz e pela música concreta, com arranjos e produção do próprio e do maestro José Luiz Castiñera de Dios.

MAREGRAFIAS

Foto Fernando Alexandre

NO DESPENQUE...

 Foto Shark Attack Mitigation Systems / AFP)
Cientistas criam traje capaz de deixar surfistas invisíveis a tubarões
Equipamento foi desenvolvido por especialistas de universidade australiana.

Cientistas australianos criaram um novo traje para surfistas que pretende fazer com que seus usuários fiquem 'invisíveis' aos olhos dos tubarões, uma medida que busca reduzir o número de ataques nas praias do país, informou nesta quinta-feira a imprensa local.
Especialistas da Universidade da Austrália Ocidental, com ajuda do Sistema de Prevenção de Ataques de Tubarões, desenvolveram dois tipos de equipamento que começarão a ser comercializados pelo equivalente a cerca de R$1100.

O modelo "Ellude" permite camuflar os surfistas na água, enquanto o "Diverter", com padrões de raias brancas e azuis, pretende simular os sinais naturais que repelem os tubarões, segundo a agência local "AAP".
Um dos pesquisadores do projeto, Shaun Collin, afirmou que a fabricação dos trajes foi baseada em uma série de descobrimentos e observações dos tubarões e visava "reduzir o risco de seus usuários em diversas condições".
"Muitos animais são repelidos por outros que emitem sinais", explicou Collin, que acrescentou que o traje fará com que o tubarão pense que o surfista não é comestível.
Os novos trajes foram provados na água com os temidos tubarões tigre no litoral noroeste da Austrália, mas novos testes serão feitos futuramente com tubarões branco na Austrália e na África do Sul.
(Do G1, em São Paulo)