segunda-feira, 7 de maio de 2018

Pescando Tainhas - A TAINHA

Foto sem crédito
Tainha é o nome comum dado a vários peixes da família dos Mugilídeos. A que é pescada por aqui – Mugil Brasiliensis – é comum em todo o Atlântico Sul e encontrada desde a Argentina até o Rio de Janeiro e em várias partes do mundo. Atingem até cerca de 1 metro de comprimento e 8 kg de peso, sendo mais comuns exemplares de 60 cm.A espécie passa grande parte de sua vida em regiões estuarinas.
No outono começa "A Corrida da tainha", como chamam os pescadores. É quando os adultos abandonam principalmente o estuário da Lagoa dos Patos, no Rio Grande do Sul, e iniciam seu corso, migração reprodutiva ao longo da costa em direção ao norte, estimulada por quedas da temperatura, com a entrada de frentes frias na região, e em busca de águas mais quentes para desovar.
 
É principalmente em Santa Catarina que a tainha desova. Os pequenos ovos e larvas do peixe são levados pelas correntes costeiras em direção ao Sul e, aos poucos, retornam ao estuário para iniciar um novo ciclo. Para as larvas e as tainhas jovens, as águas calmas e abrigadas do estuário são mais seguras do que as do mar. Também há alimentos em abundância, o que favorece seu crescimento. Quando as tainhas estão prontas para a desova saem do estuário em direção ao Norte, fechando o ciclo, que demora até três anos.

Nem todas as tainhas capturadas pelas redes em nosso litoral, do Espirito Santo ao Rio Grande do Sul, são tainhas brasileiras. Muitas vêm dos estuários do rio da Prata, no Uruguai e na Argentina, aonde são chamadas de "lisas".

Viajando em grandes cardumes, já chegaram a ser pescadas na Ilha de Santa Catarina em lanços de até 200 mil peixes. Sua pesca é feita em todo litoral do Brasil. É chamada também de Curimã ou de Bicudo no Nordeste e Norte brasileiros. Em Portugal é conhecida por Muge, Mugem, Liça ou Fataça.

Nenhum comentário: