segunda-feira, 3 de julho de 2017

LÁ NO FUNDO...


Jacques Cousteau, um surpreendente inventor. 
 Conheça esta faceta!

Até que um vulgar acidente de automóvel o invalida para voar. Ele aceita, e muda seu olhar para o mar.

Os Oceanos têm uma dívida com ele. Ninguém fez mais para divulga-lo e mostrar suas desconhecidas entranhas. O mundo pode enfim conhece-lo. Descobrir seus encantos, ‘assistir’ a beleza da vida marinha e seus ecossistemas. E isso por causa de um carro…

Tornou-se uma lenda. Multi- talentoso, ganhou o Oscar duas vezes; e o Palma de Ouro, uma. Tudo por mostrar a vida marinha como ninguém sequer havia pensado em fazê-lo. Foram mais de 150 filmes, ainda que os primeiros não tivessem qualquer preocupação ecológica, como confessou. Surpresa! Não havia equipamentos para mergulho que permitissem fazer o que fez. Não havia até Cousteau mostrar sua faceta…

Com esse equipamento não seria possível…

Hoje todos sabem que foi ele o inventor do aqualung, em 1943. Mas, que outras invenções são estas?

Rádio embaixo d’água

Usando um aparelho de ar comprimido, em 1963, Cousteau atingiu o fundo do Mar Vermelho acompanhando seu submarino de pesquisas. Já naquela época ele tinha contato com a embarcação por meio de rádio.

Jacques Cousteau, o surpreendente inventor

Regulador de mergulho

O regulador de mergulho desenvolvido para Cousteau pelo engenheiro Emile Gagnan tinha só um nível de redução de pressão. A desvantagem: a pressão do ar respirado é a mesma junto à válvula do cilindro. Ao mergulhar de cabeça para baixo, era preciso sugar ar ativamente. Pulando de pé na água, era preciso soprar a cada respirada. Assim, o ar saía por trás da cabeça, o que é bom para fazer filmagens.


O submarino

Parecia uma nave dos filmes de ficção científica. Em 1959 Cousteau apresentou seu submarino de pesquisas no Congresso Internacional de Oceanografia, em Nova York. O próprio Cousteau desenvolveu a tecnologia para fazer suas filmagens embaixo da água, como uma câmera especial e iluminação.

Trimarã submarino

A geringonça chamada Philippe, nome de um de seus filhos, foi lançada ao mar em 1980 no porto de Cap d’Agde, sul da França. O submarino podia transportar oito pessoas e foi projetado para ser uma espécie de ônibus turístico submarino.

Jacques Cousteau, um surpreendente inventor: gaiola para observar tubarões

Esta armação tubular já foi uma gaiola de tubarão usada por Cousteau para fazer experimentos no Mar Vermelho. Hoje, ela repousa no fundo do mar como relíquia arqueológica de técnicas de mergulho das últimas décadas.

Turbovela para mover o Alcyone

O Alcyone, com avançado sistema experimental de propulsão, foi construído para o comandante Cousteau, projetado para receber inovadora tecnologia (também de sua autoria) de propulsão a turbovela, as torres de vento. A embarcação foi batizada em homenagem a Alcíone, personagem da mitologia grega, filha de Éolo, deus dos ventos. Tem 31 m de comprimento por 9 m de boca. Cruza 10,5 nós. Casco duplo, somando vantagens de um monocasco (proa) com o catamarã (popa).

Duplo sistema de propulsão. Acrescentou ao tradicional motor, a revolucionária Turbovela cujo coeficiente é 3.5, a 4 .0 vezes superior às melhores velas já construídas.

Jacques-Yves Cousteau morreu em 25 de junho de 1997, aos 87 anos de idade. Seu primeiro navio está sendo restaurado na Turquia e será usado como embaixador da proteção ambiental.

A popa é de um catamarã…
A proa em estilo monocasco…

(Do https://marsemfim.com.br/)

Nenhum comentário: