quarta-feira, 12 de julho de 2017

A INCRÍVEL HISTÓRIA DO BACALHAU

Ilustração: wikipedia.pt

Bacalhau, o peixe que mudou o mundo ( e acabou minguando…)

Bacalhau, o peixe está em perigo há pelo menos 650 anos. Veja o que diz a wikipedia: “a história da pesca do bacalhau pelos portugueses é pela primeira vez referenciada em 1353, quando D. Pedro I e Edward II de Inglaterra estabelecem um acordo de pesca para pescadores de Lisboa e do Porto poderem pescar o bacalhau nas costas da Inglaterra por 50 anos”.
1353: portugueses fazem acordo sobre pesca de bacalhau. Necessidade sugere sobrepesca desde sec. XIV

“A necessidade de estabelecer um acordo indica que esta atividade já se realizava em anos anteriores, e em tal quantidade, que justificava a necessidade de a enquadrar nas relações entre os dois reinos”

Se você achou 650 anos de pesca algo exagerado, espere até saber que…
Bacalhau: ‘o fim de uma farra de mil anos de pesca’

A frase ‘o fim de uma farra de mil anos de pesca’ está no delicioso livro ‘Bacalhau – A história do peixe que mudou o mundo”, de Mark Kurlansky, disponível no Brasil em edição da Nova Fronteira.
Bascos, vikings e bacalhau do Atlântico: o Gadus morhua

Agora diga: o que tem a ver os bascos, os vikings, e o bacalhau; o famoso bacalhau do Atlântico, o Gadus morhua?

Mark Kurlansky e sua extraordinária pesquisa: “os bascos são enigmáticos…vivem no extremo noroeste da Espanha e um pedacinho do sudoeste da França há mais tempo que o mais antigo registro histórico…eles criam ovelhas, cantam suas próprias músicas e escrevem suas próprias obras literárias em seu próprio idioma, o euraska é uma das quatro únicas línguas européias que não são da família indo- européia”.


E daí? Bom, o parágrafo é para situar onde, quem e como. Mas tem mais, segundo o autor, “…os bascos não são apenas pastores, são também navegadores famosos por seu sucesso no comércio”.
Bascos e a caça à baleia

“Durante a Idade Média, quando europeus consumiam grande quantidade de carne de baleia, os bascos viviam em águas distantes e desconhecidas para caça-las”.
Grandes cardumes de bacalhau

Na Idade Média, em águas distantes e desconhecidas, como assim? Mark Kurlanski: “eles podiam percorrer longas distâncias porque haviam encontrado grandes cardumes de bacalhau e salgado o produto da pesca, conseguindo um alimento que não estragava em longas viagens”.

E os vikings, o que têm com isso?
Vikings: navegavam para onde havia bacalhau…

“Os bascos não foram os primeiros a curar o bacalhau. Séculos antes, os vikings tinham viajado da Noruega para a Islândia, para a Groenlândia e para o Canadá, e não era mera coincidência o fato dessa ser a área onde o bacalhau do Atlântico era encontrado”.
Ilustração: Aurélio Magalhães – WordPress.com

“Como os vikings sobreviveram em uma Gorenlândia sem verde, e uma Terra de Pedra sem terra?”
Os grandes bancos de bacalhau. (Ilustração: wikipedia.pt)

“O que eles comeram nas cinco expedições para a América feitas entre 985 e 1011 que estão registradas nas sagas islandesas?”
Por que os bascos foram mais longe que os vikings? Bacalhau de novo…

“Porque eles já conheciam o sal; e como o peixe que era salgado antes de ser seco durava mais, puderam ir ainda mais longe”
.
Distribuição do bacalhau no mundo. Tudo a ver com os bascos e a descoberta da América. (Ilustração: pt.wikipedia.org)

E agora, o que você me diz? Não é uma tese plausível? É mais que isso…
Mais um povo navegador nesta história: os britânicos

Mark Kurlanski: “Os britânicos, que pescavam bacalhau em alto- mar nestas águas desde o tempo dos romanos, nunca cruzaram com pescadores bascos, nem mesmo no século XIV…os bretões, que tentaram seguir os bascos, começaram a falar em uma terra do outro lado do mar.”
Instituição envolvida com bacalhau: o catolicismo

Bascos, vikings, bretões. Agora a igreja católica? Mas o que isso tem a ver com o bacalhau? De novo ao Mark KMurlanski:” o catolicismo deu aos bascos sua grande oportunidade. A igreja medieval impunha dias de jejum nos quais era proibido manter relações sexuais e comer peixe, mas comidas ‘frias’ eram permitidas.Como o peixe vinha de água passou a ser considerado frio…No total a carne era proibida em quase metade dos dias do ano, e os dias de jejum acabavam por tornar-se dias de bacalhau salgado”
.
O jejum na Idade Média. (Ilustração: Padre Paulo Ricardo)

E conclui: “os bascos ficavam mais ricos a cada sexta- feira”.
Mas de onde vinha todo este bacalhau?

“Esse povo misterioso que nunca revelou sua própria origem, guardou também este segredo”.
Salto na história: 1475 e a descoberta da América

Lá vem você de novo. Igreja, vikings e bascos. Agora a descoberta da América? …A liga Hanseática, em 1475 proibiu comerciantes de Bristol de comprarem bacalhau da Islândia”…
A crença da ilha Hy- Brasil

“Thomas Croft, oficial da alfândega fez sociedade com John Jay, comerciante que compartilhava a da crença à época, que em algum lugar do Atlântico existia uma ilha chamada Hy- Brasil”.
Hy- Brasil, onde eles supunham estar a ilha. (Ilustração: Museu de Imagens)

“Em 1480 jay enviou seu primeiro navio em busca dessa ilha que ele esperava tornar-se uma nova base para a pesca do bacalhau. Em 1481, Jay e Croft enviaram mais dois navios. Ambos guardaram o mesmo silencio dos bascos”.
O mistério está chegando ao fim…

“Eles não anunciaram a descoberta de Hy- Brasil…”supõe-se que estavam comprando bacalhau em algum lugar”…”Croft foi processado”. “Declarando que havia obtido bacalhau em locais distantes do Atlântico, foi absolvido…”
Carta a Cristóvão Colombo

Só faltava esta! Cristovão Colombo… “Recentemente, para alegria da imprensa britânica, uma carta foi descoberta. Foi enviada a Colombo na época em que ele colhia os louros pela descoberta da América, uma década após o caso Croft em Bristol”.
Colombo. (Ilustração: Deutche Welle)

“A carta, enviada por comerciantes de Bristol, alegava que ele sabia muito bem que eles já haviam estado na América. Não se sabe se Colombo a respondeu”.
Conclusão: os bascos, atrás de bacalhau, descobriram a América

“Os pescadores guardavam seus segredos, enquanto os exploradores contavam suas descobertas”. “Colombo requisitou a posse do Novo Mundo para a Espanha”.
Giovanni Caboto dá a mão que faltava…

“Em 1497, cinco anos depois de Colombo ter topado com o Caribe em sua procura de uma rota para as especiarias da Ásia, Giovanni Caboto partiu de Bristol; não em busca do segredo da cidade, mas na esperança de encontrar a rota que Colombo não achara”. “Depois de 35 dias no mar Caboto encontrou terra embora não fosse a Ásia”.
Caboto. (Ilustração: exploration-and-piracy.org)
‘Perto de um mar onde pululavam bacalhaus…’

“Era uma vasta costa rochosa, ideal para secar e salgar peixe, perto de um mar onde pululavam bacalhaus”. “Era a Terra Nova, cuja posse requisitou para a Inglaterra”.
Jacques Cartier, navegador francês

“Trinta e sete anos depois, Cartier chegou, requisitou o crédito pela ‘descoberta’ da foz do São Lourenço, fincou uma crua na península Gaspé e requisitou a posse de todo o território para a França.”
Jacques Cartier. (Ilustração: Bio.com)
Cartier notou a presença de mil barcos pesqueiros bascos…

“Ele notou também a presença de mil barcos pesqueiros bascos”. “Mas os bascos, na intenção de preservar seu segredo, nunca haviam requisitado a posse da terra para ninguém…”
O declínio do bacalhau: ele pode estar extinto em 15 anos

2004, deutsche welle: ” um estudo feito pelo Fundo Mundial para a Natureza (WWF) da Noruega adverte que o peixe pode estar extinto já daqui a 15 anos”.
Depois dos trawlers, com arrasto, acabou o bacalhau. (Ilustração: O Direito à Vida – blogger)

“A autora do estudo, Maren Esmark, disse que nos últimos 30 anos desapareceu 70% da população mundial deste peixe”. “Se continuar assim, em 15 anos não haverá mais bacalhau no mercado”.
Bacalhau, responsável pela descoberta da América

Pudera…com a pesca contínua, desde mil anos atrás, não era pra menos. Mas o peixe famoso deixará sua história mesmo que seja extinto. Foi por causa dele que a América foi descoberta pelos bascos, um povo navegador…
Tradição dos bascos, um povo navegador e Juan Sebástian Elcano

Mas só isso é prova? Você nunca soube da tradição basca? Pois saiba que um dos maiores navegadores de todos os tempos, Sebastião Elcano, o homem que concluiu a primeira circunavegação do mundo, era basco.
Ilustração: wikipedia

Wikipedia: ” Juan Sebastián Elcano (Getaria, Guipúscoa, 1476 — Oceano Pacífico 4 de agosto de 1526) foi um navegador e explorador basco”. “Completou a primeira circum-navegação do mundo organizada por Fernão de Magalhães”.

“Elcano assumiu o comando após a morte de Magalhães em 1521 nas Filipinas e comandou a nau Victoria, o único navio a retornar a Espanha após dar a volta ao mundo”.
Não temos imagem dos bascos pescando bacalhau…

Afinal, naquele tempo não havia como registrar. Mas outro povo navegador, e pescador, os portugueses, sim. Deles temos registro.

Leitura sugerida:

‘Bacalhau- A história do peixe que mudou o mundo’ , Mark Kurlanski. Ed. Nova Fronteira.

‘Faina Maior – A Pesca do Bacalhau nos Mares da Terra Nova’, Francisco Marques e Ana Maria Lopes. Quetzal Editores, Lisboa, 1996.

‘A Campanha do Argus’, Alan Villiers. Ed. Cavalo de Ferro, setembro de 2005.


(Do https://marsemfim.com.br/)

Nenhum comentário: