terça-feira, 13 de junho de 2017

NO PARÁ, A BRINCADEIRA DA TAINHA!

Alegoria da "Brincadeira da Tainha"
Repassada de geração em geração, a"Brincadeira da Tainha" , um auto- popular da cidade de Quatipuru, no Pará, ainda está viva na memória de Mestres que no passado foram brincantes da manifestação. Sob a coordenação de um deles - Raimundo Borges - tamboreiro da Marujada de São Benedito de Quatipuru e coordenador do Grupo Maria Pretinha , promovem , em junho, a “ressurreição” da “Tainha.” Maria Antônia do Rosário e José Maria do Mar, Mestres da Irmandade Maria Pretinha

"O auto popular “Brincadeira da Tainha” – dança, teatro, música - é uma antiga brincadeira de pescadores da zona bragantina, ainda viva na memória de poucos Mestres de Cultura. Integra o gênero “cordão de bichos”, tão comum na Amazônia paraense durante o mês de junho; assim como, as “Danças Dramáticas” do Brasil – segundo Mário de Andrade, ligadas ao Mar, conhecidas no nordeste como “Chegança”, “Barca” e “Marujada”.
Segundo o Mestre Raimundo Borges, a Brincadeira da Tainha apresentou-se pela última vez, em Quatipuru – nordeste paraense, por volta de 1959, coordenada pela brincante Senhora Benedita Eva – “Dona Neneca”.
O Mestre conta também o enredo da brincadeira que aprendeu com "os antigos":"a história de dois pescadores que saem pra pescar em uma zona “proibida” pela Marinha. Tentam pescar a Tainha que é um peixe encantado, ocasionando o seu mágico desaparecimento; os marinheiros que protegem a zona de moradia da tainha encantada, prendem os pescadores, que só serão libertados após o reaparecimento da tainha. Entram em cena a Velha Mágica, a Fada e a Sereia, de forma seqüencial, com a finalidade de desencantar o peixe e libertar os pescadores. A Sereia é a que consegue tal feito. O lado mais lúdico da brincadeira é a cobrança do pagamento do milagre e consequente libertação dos pescadores, por parte da Velha Mágica.

A CANTORIA DA TAINHA

"
Te desencanta Tainha
Do grande mar da verdade
Sei que tu ficas brincando
Parto e levo saudade
.
Eu me despeço de todos
Adeus até para o ano
Se ainda quiserem me ver
Vão lá fora no oceano ..,.
.
Era um dia de rosa
quando a maré repontou
Ficamos alegres e contentes
quando a Tainha chegou...
(Cantoria da Brincadeira da Tainha)

Beba na Fonte - Saiba mais em:

Nenhum comentário: