sexta-feira, 19 de maio de 2017

A TAINHA DO EÇA DE QUEIRÓS



ASSADA E
ALOURADA

"O peixe, por exemplo pode ser uma tainha. E aqui está como ela se prepara, ó estudiosos. Tomai essa tainha. Escamai e esvaziai. Preparai uma massa bem batida, com queijo (que hoje pode ser parmesão), azeite, gema de ovo, salsa e ervas fragrantes, e recheai com ela a vossa tainha. Untai-a então de azeite e salpicai-a de sal. Em seguida assai-a num lume forte. Logo depois de bem assada e alourada, umedecei-a com vinagre superfino. Servi e louvai Netuno, deus dos peixes...."

(Eça de Queiroz, Notas Contemporâneas, 1893)

Considerado um dos maiores escritores de língua portuguesa de todos os tempos, Eça de Queirós nasceu em Póvoa de Varzim - Portugal, no dia 25 de novembro de 1845. Grande apreciador da mesa farta e variada, sempre descreveu com riqueza de detalhes o que seus personagens apreciavam nas refeições ou mesmo nos banquetes que aconteciam em seus romances com grande frequencia. Em vários deles, a tainha está presente nos cardápios.
Mestre Eça de Queiroz pesquisou e descobriu como era um jantar greco-latino na antiguidade. E com tainha, é claro! 

Um comentário:

Anônimo disse...

escritor exelente, mas, provou que era um "excomungado", pois devemos louvar ao Senhor, nosso criador e mantenedor. amém !
BDW, tainha, peixe de terceira. salmão é que é peixe muito bem cuidado.

bom dia