segunda-feira, 3 de abril de 2017

O NÃO MAR DO CARLOS GRASSIOLI



"Deitou e como sempre dormiu embalado pelo som do mar.
Sonhou que o mar havia desparecido.
Acordou com aquela desagradável sensação e meio trôpego, ainda, dirigiu-se de imediato à porta do quarto que dava pro mar.
Não havia porta."

Nenhum comentário: