sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

MAR DE POETA


Cianídrico

Sereia chegada à costa
Expulsa expatriada
Foi viver no navio náufrago
Sem nada

Apenas imaginava

Se o canto funcionasse
E o homem descesse a escada
Se o amor não se afogasse
Nem ficasse pintado de azul

Não seria a sereia rouca
Arrancando as escamas
Da cauda.

(Adriane Garcia, em Só, com peixes (ed. Confraria do Vento, 2015)


Um comentário:

Adriane Garcia disse...

Agradeço a postagem. Belíssima a imagem escolhida pela querida Ana Farrah.