segunda-feira, 16 de maio de 2016

GABRIEL SOARES, CRONISTA DO BRASIL

A ilha de Amadeus Frezier, em 1712

Colonizador, dono de engenho, comerciante, sertanista e navegador português nascido em Ribatejo, Gabriel Soares de Sousa ficou conhecido por ter escrito o "Tratado descritivo do Brasil em 1587", um dos primeiros e mais extraordinários relatos sobre o Brasil colonial, que contém importantes dados geográficos, botânicos, etnográficos e lingüísticos, publicado postumamente por Varnhagen (1879), em Lisboa.

Membro da expedição naval de Francisco Barreto, que partira com destino à África, mas acabou por chegar ao Brasil. Estabelecido na Bahia (1569), montou o engenho Jaguaripe. Voltou a Portugal (1584) para obter da corte o privilégio de exploração de minérios e pedras preciosas ao longo do rio São Francisco.

Enquanto aguardava a permissão régia escreveu seu famoso tratado, dividido em duas partes: Roteiro geral e Memorial das grandezas da Bahia, descrevendo informações sobre geografia, costumes dos índios, agricultura, animais e plantas brasileiros.
Nomeado governador e capitão-mor da conquista das Minas, regressou ao Brasil com 360 colonos, quatro freiras carmelitas e o governador-geral do Brasil, D. Francisco de Sousa. Chegando à Bahia, empreendeu uma expedição que percorreu mais de cem léguas do rio São Francisco, mas morreu de uma febre em pleno sertão, após atingir as nascentes do rio Paraguaçu.

Nenhum comentário: