domingo, 29 de maio de 2016

AS RAINHAS BORDADAS


A CENTENÁRIA "ESPÍRITO SANTO"

A canoa Espírito Santo tem muita história para contar. É a mais velha do Pântano do Sul.
Só com a família do Dário Coelho ela já está há quatro gerações, mais de 100 anos. E sempre na lida da pesca da tainha.
Mas antes de vir para cá, ela já tinha cortado muito mar na Caieira da Barra do Sul, do outro lado da ilha, onde provavelmente tomou forma no tronco de uma frondosa Figueira.

É uma "canoa bordada". "Canoa de borda alta". Já teve outros donos e outros nomes. O de Espírito Santo ganhou de Sêo Manoel Vicente, o Vidoca. Ele era avô do Dário e foi quem realizou a primeira Festa do Divino Espírito Santo no Pântano.
Hoje quem "patroneia" a canoa é o próprio Dário que, aos 50 anos, nem lembra quando foi que começou a pescar. Sempre esteve no mar, de frente para ele. Como a Espírito Santo, que passa todo o ano dentro do rancho na praia, esperando as tainhas chegarem...

 Lá no restaurante da família que, desde 1995, leva o nome de Restaurante Canoa Grande. Em sua homenagem.

Fotos Fernando Alexandre

Um comentário:

Anônimo disse...

Fernando, não me leve a mal, mas não seria um dos três "ternos-de-praia" ou seria uma das quatro "quadras-de-praia"... Parabéns pelo ótimo blog e desculpe a intromissão deste, confesso, leitor. Saúde e boa pesca!