sábado, 31 de outubro de 2015

No despenque...


Pedro Scooby desafia onda gigante em Portugal e concorre a melhor do ano

Por iG São Paulo 
O surfista está concorrendo a maior onda do mundo depois de pegar onda de quase 20 metros na praia de Nazaré

Nesta semana, o carioca Pedro Scooby, marido da atriz Luana Piovani, desafiou uma tempestade e surfou onda de quase 20 metros na Praia do Norte, em Nazaré, Portugal. O surfista é especialista em ondas gigantes (big rider) e estava acompanhado de outros dois brasileiros, Maya Gabeira e Carlos Burle.

O feito foi alcançado na terça-feira e a Liga Internacional de Surfe (WSL) divulgou ontem que a onda de Scooby entrou na lista de finalistas do XXL Big Wave Awards na categoria maior onda do mundo.

Veja vídeo da "maior onda do ano":

LÁ DE CIMA...

Daniel Guilhamet
PRAIA BRAVA - Domesticada

Imagem da Praia Brava em Floripa, feita por 
Daniel Guilhamet em um voo Duplo de parapente.

sexta-feira, 30 de outubro de 2015

FAZ SOL EM MACONDO!

E o sol volta a frequentar o Pântano do Sul nesta manhã primaveril!
Timidamente!

FEITO TORTO PRA FICAR DIREITO


Feito Torto Pra ficar Direito é um documentário sobre a arte de construção de barcos tradicionais do Brasil e tem sua estreia prevista na televisão brasileira também para novembro deste ano.

“Durante três meses percorremos o país gravando barcos brasileiros e os mestres carpinteiros navais que vem perpetuando o conhecimento naval milenar trazido ao Brasil pelos imigrantes de todos os cantos do planeta, que aqui aportaram desde os tempos coloniais” .

PRAIA DO SAQUINHO - UM PARAÍSO PERDIDO....

Foto Milton Ostetto
Veja mais olhares no www.miltonostetto.blogspot.com.br

MAR DE PESCADOR


Grande parte das comunidades caiçaras tem, hoje, seu patrimônio cultural e seus modos de vida ameaçados. A pesca com a rede de cerco é uma tradição que foi absorvida por essas populações, trazida por imigrantes japoneses e se difundindo pelo litoral. Neste curta, filmado na praia do Calhaus (Parati/RJ), revelamos as etapas dessa prática, que incluem a sua colocação em local adequado no mar, o momento da depesca (no qual o peixe é recolhido) e a retirada da rede, para seu efetivo reparo. A prática segue esse ciclo e a rede, assim, é deixada de 10 a 12 dias no mar.

SAINDO DA ILHA


Aumento do nível do mar ameaçada moradores que pedem abrigo nos EUA.

Devido ao aumento do nível do mar, moradores do Atol de Bikini, na Oceania, pediram abrigo nos Estados Unidos.


Cerca de mil nativos já foram retirados pelos EUA do Atol de Bikini nos anos 1940, para a realização de testes de bombas atômicas no local. Na ocasião, eles foram levados para Kili, outra ilha do arquipélago de Marshall. Agora, depois de décadas, Kili tem sofrido com o aumento no número de tempestades e com a intensidade das marés.

Na época da mudança de ilha, foi fechado um acordo com os Estados Unidos, estabelecendo um fundo para ajudar os moradores do atol a se mudarem para Kili. Esse fundo pagaria pela construção das novas casas.

Porém, agora, os ilhéus pedem ao governo americano que altere as regras do fundo de forma que eles possam usá-lo para se realocar nos Estados Unidos.

Os moradores afirmam que suas casas estão sendo invadidas pelas águas das marés mais altas. O sal também está penetrando no solo da ilha, o que ameaça a agricultura local e o suprimento de água.

No começo do ano, a pista de pouso local foi totalmente inundada, deixando a ilha isolada.

“Os nativos de Bikini vieram novamente até nós e pediram para levar esta proposta aos Estados Unidos, para pedir que o fundo de reassentamento seja usado para mandar as pessoas para os Estados Unidos e não apenas para (outros lugares) das Ilhas Marshall”, afirmou Tony de Brum, ministro de Relações Exteriores das Ilhas Marshall.

O Departamento para o Interior dos Estados Unidos tem apoiado os moradores da ilha Kili e propôs uma legislação no Congresso americano que muda os termos do fundo de reassentamento.

Esperança

Um acordo entre as Ilhas Marshall e os Estados Unidos prevê que os antigos moradores do atol de Bikini tenham direito de viver, trabalhar e estudar nos Estados Unidos, sem restrições quanto à duração de sua estadia.

O governo das Ilhas Marshall afirmou que essa situação dos ilhéus de Bikini mostra que existe a necessidade de um novo acordo global para enfrentar as mudanças climáticas.

A esperança agora recai sobre a conferência internacional COP 21, que começa no final de novembro, em Paris, com o objetivo de alcançar o maior acordo climático do mundo em substituição ao Protocolo de Kyoto.

( Do marsemfim.com.br/)

quarta-feira, 28 de outubro de 2015

TAINHAS X SURF

Foto Andrea Ramos
 Comissão de pescadores quer barrar aprovação de nova lei em Florianópolis

Liberação de praias para surfistas no período da pesca da tainha gera novas reuniões

Dina de Freitas

A aprovação do projeto de lei 15.620/2013 em segunda votação na semana passada, na Câmara de Vereadores de Florianópolis, vem causando controvérsias. De autoria do vereador Marcos Aurélio Espindola, o Badeko (PSD), o texto aumenta o número de praias liberadas para a prática do surfe durante a temporada da tainha em Florianópolis.

— Nos sentimos traídos e lesados. A Câmara de Vereadores nos traiu por não ter nos avisado sobre a votação — disse o pescador Laurentino Benedito Neves, o Xinho.

Xinho integra a equipe Saragaço da Barra da Lagoa, responsável pela maior quantidade de tainha pescada neste ano. Nesta terça-feira, dia 27 de outubro, ele participou de uma comissão de pescadores que teve encontro com o secretário de Pesca, Maricultura e Agricultura, Roberto Katumi Oda. E ficou satisfeito. 

— Fomos bem recebidos e ficou acertado que ele vai intermediar uma reunião com o prefeito Cesar Souza Junior na semana que vem, para ele entender bem a história. Os vereadores também vão segurar o projeto para rever erros que estão em desacordo com a lei — comemorou Xinho.

Mas o surfista Tiago Carriço de Oliveira, integrante da Associação de Surfe da Joaquina, não concorda com a intenção dos pescadores. Tiago salienta que o texto da nova lei foi baseado num protocolo de intenções construído por consenso entre as duas entidades: pescadores e surfistas. Por isso, os surfistas também pretendem fazer uma reunião na Comissão da Pesca da Câmara de Vereadores para que seja seguido o combinado inicial.

— A lei 15.620/2013 passou por três audiências públicas, com a presença de representantes das duas entidades, pescadores e surfistas, e é muita mais justa que a antiga lei — pondera Tiago.

A reportagem tentou falar por quatro vezes com o secretário Roberto Katumi Oda por telefone ontem à noite, após a reunião com os pescadores, mas não conseguiu contato.

(Do HORA DE SANTA CATARINA - http://horadesantacatarina.clicrbs.com.br/)

terça-feira, 27 de outubro de 2015

E CHOVE EM MACONDO...

 

Terça-feira (27/10): Variação de nuvens e condições de pancadas de chuva no Oeste, Meio Oeste e Planalto Sul. No Litoral, Vale do Itajaí e Planalto Norte, a previsão é de tempo mais fechado com condições de chuva a qualquer hora. Risco de temporal isolado com granizo, especialmente para o oeste e norte do Estado. Temperatura com maior elevação no Oeste e Meio Oeste. Vento de leste a nordeste, fraco a moderado com rajadas mais intensas no Litoral.
Previsão do EpagriCiram

É TEMPO DE ANCHOVAS!

Foto Fernando Alexandre
 A anchova  é um peixe que aparece  por  toda a costa brasileira durante os meses de inverno/primavera, sendo  mais comum nos litorais do Rio de Janeiro e Santa Catarina. 
Foto Divulgação
Quando jovens estes peixes formam grandes cardumes mas a medida que crescem vão se isolando.  Frequentam as águas agitadas, nas regiões mais profundas dos costões rochosos, onde ficam a espera das presas. Por causa disto são muito fortes, correm bastante e não se entregam facilmente.

Sua captura é mais fácil nas marés de vazante das luas cheia e nova.

São também muito vorazes, atacando inclusive indivíduos da mesma espécie.
Em épocas reprodutivas os cardumes migram para o alto mar,  onde desovam.

Seu nome científico é Pomatomus saltator, tem corpo alongado e mandibula saliente, com dentes afiados. Sua coloração é azulada no dorso e prateada nos flancos e ventre. Pode alcançar até 1,5 de comprimento e 20 kg.
A anchova é  um dos peixes de escama mais apreciados e com maior valor comercial. No sul do Brasil, a época de defeso da anchova, período em que a pesca é proibida para que a espécie se reproduza, vai de 1 de dezembro a 31 de março.  

ORGÂNICOS NO SUL DA ILHA

Destino Certo: Eduardo Elias é formado em Filosofia e Permacultura pela UFSC. Sua missão é espalhar a semente da agricultura comunitária pelo sul da Ilha. Uma realização TV Vento Sul. Direção: Fabio Menezes/ Edição Guilherme: Pozzibom

MAR DE ATUNS

Crédito: Divulgação

Atum criado por aquacultura é comercializado pela 1ª vez no Japão

KAGOSHIMA (IPC Digital) – Sashimi 100% originário de fazendas marinhas, ou por aquacultura, foi colocado à venda pela Aeon, a maior operadora de rede de supermercados do país, em lojas próprias e MaxValu.

O atum é do tipo Bluefin, ou Atum Azul, o peixe mais valorizado do mundo, podendo alcançar 5 metros de comprimento e 680 quilos de peso.

Os cortes Chutoro (meio gordo) e Otoro (gordo e top de linha) são ofertados por preços que variam de 860 ienes a 2.100 ienes cada 100 gramas.

O cultivo dos peixes ocorre nas fazendas marinhas de Maruha Nichiro Corp. na ilha de Amami-Oshima, ao sul do Japão.

Em 2010 a Maruha se tornou a primeira companhia privada a conseguir desenvolver o Atum Azul em cativeiro. Os primeiros descendentes vieram de ovas de espécimes selvagens pescados no mar.

Atualmente a aquacultura é responsável pela produção de metade dos peixes consumidos pela população mundial.

(Do Asahi Shimbun)

segunda-feira, 26 de outubro de 2015

TEMPO DAQUI

Pântano do Sul nublado nessa segunda-feira anuviada e inforruscada!
Mais uma semana nublada com chuva em Santa Catarina

Segunda, 26 Outubro 2015 10:35

Boa parte desta semana (26 a 28/10) será marcada pelo predomínio de nuvens e condições de chuva em Santa Catarina, no geral fraca a moderada. Apesar da instabilidade, a boa notícia é que os valores de chuva previstos são menores, em relação à última semana, variando de 10 a 30 mm a média diária, podendo ocorrer alguns pontuais maiores. 

E os temporais com granizo?

A chance para os próximos dias é menor, mas podem ocorrer de forma isolada, especialmente no oeste e norte do Estado na tarde desta segunda e na terça-feira.

Acompanhe os próximos boletins, a primavera é uma estação com mudanças bruscas no tempo!

(Gilsânia Cruz e Clóvis Corrêa - Meteorologistas do http://ciram.epagri.sc.gov.br/)

MAR DO SÉRGIO SARAIVA!


O CINZA DE UM DIA QUENTE...

TERRAS DE MARINHA!



LÁ NO FUNDO...


PEIXE PAPAGAIO
Ao triturar o coral com seus poderosos dentes, ele acaba gerando a areia, que vai contribuir para formar as praias de muitas ilhas tropicais.
Curta a página do INSTITUTO LARUS

PRESERVANDO NAS BAHAMAS


Bahamas protegerá 3 milhões de hectares de área marinha. Foto: Trish Hartmann/Flick.

Bahamas protegerá 10% de seu território marinho

Por ((o))eco
Mais de 3 milhões de hectares serão protegidos na superfície marinha de Bahamas, no Caribe. O ministro do Meio Ambiente e Habitação das Bahamas, Kenred Dorset, anunciou a criação de 24 novas áreas marinhas protegidas e a expansão de 3 parques nacionais existentes, de acordo com informações divulgadas nesta quinta-feira (22) pelo Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (INEP, na sigla em inglês).

Com os avanços, o país conseguiu alcançar metade da meta estipulada pela Iniciativa Desafio Caribe(Caribbean Challenge Initiative ou CCI) de proteger 20% dos ecossistemas marinhos e costeiros até 2020. A Iniciativa Desafio Caribe é um compromisso assumido pelos dez estados caribenhos no âmbito da Convenção sobre Diversidade Biológica (CDB).

O Brasil é signatário da Convenção sobre Diversidade Biológica (CDB) e tem como meta proteger 10% de seu território marinho. Atualmente, o país protege apenas 1,57% de seu mar.

Novas área protegidas

O governo de Bahamas pretende oficializar todas as novas áreas protegidas até o final deste ano. Uma da novas áreas criadas foi o Parque Nacional San Salvador, anunciado em abril. A unidade foi criada para proteger habitat de garoupa, recifes de corais, tapetes de ervas marinhas e viveiros de manguezais.

Desde 2009, o Governo das Bahamas implementa um grande projeto de expansão da área marinha protegida. O projeto é financiamento do Programa Ambiental das Nações Unidas (UNEP) e o pelo Global Environmental Facility (GEF).

( Do http://www.oeco.org.br/)

sábado, 24 de outubro de 2015

PATRÍCIA NÃO ASSUSTA MAIS NINGUÉM!

.

Reprodução/Twitter

Furacão Patricia é rebaixado para tempestade tropical, mas causa danos no México

Por iG São Paulo | 24/10/2015 10:55 - Atualizada às 24/10/2015 12:22

Patrícia perdeu força enquanto se movia no interior do território mexicano, segundo o Conagua (Comissão Nacional de Água) do Serviço Meteorológico Nacional do México

Um dos mais fortes furacões já registrados em todos os tempos, o Patrícia perdeu força enquanto se movia no interior do território mexicano, neste sábado (24), e já foi rebaixado para a categoria de tempestade tropical, de acordo com o Conagua (Comissão Nacional de Água) do Serviço Meteorológico Nacional do México.

Segundo o boletim do Centro dos Furacões norte-americano, os ventos mais fortes baixaram de intensidade para os 80 quilômetros por hora (km/h) e prevê-se que ainda percam força à medida que entrem no interior do México


Árvores foram derrubadas, ruas ficaram alagadas e edificações foram destruídas pela aproximação do furacão Patricia ao México como um furacão de categoria 5, nesta sexta-feira, antes de atingir o continente, onde começou a perder potência nas montanhas que se erguem ao longo da costa do Pacífico.

Cerca de 15 mil turistas foram retirados às pressas do balneário de Puerto Vallarta, à medida que as pessoas se esforçavam para fugir do furacão que avançava, cujo enorme redemoinho sobre o México pôde ser visto claramente a partir do espaço.

Milhares de moradores e turistas foram levados para abrigos improvisados, mas não houve relatos iniciais de mortos, e muitos sentiram ter escapado do pior.

A dimensão inédita do evento levou ao destacamento de mais de 11 mil homens da Marinha e da Polícia Federal nos estados de Jalisco, Colima e Nayarit para apoiar a população vulnerável, estimada em 400 mil pessoas.

O presidente do México, Enrique Peña Nieto, já tinha informado o país de que as primeiras informações davam conta de que os danos seriam menores do que o esperado, apesar das fortes chuvas no Noroeste do país.

Estação Espacial da Nasa registra imagens do Furacão Patricia. Assista ao vídeo:


Segundo o serviço de meteorologia nacional, o centro do furacão, com nove quilômetros de diâmetro, chegou em terra firme por volta das 18h (21h em Brasília). O furacão, de categoria 5 na Escala de Saffir/Simpson, é considerado "extremamente perigoso", com ventos que podem atingir 350 quilômetros por hora (km/h) e rajadas de 380 km/h.

Por volta das 2h (horário de Brasília), a Conagua havia informado pelo Twitter que o furacão Patricia perdeu força e seguia para o norte e nordeste com ventos máximos de 215km/h com rajadas de 260km/h. A categoria de fenômeno tinha caído de 5 para 4.

Até por volta das 4h30 (horário de Brasília), a classificação era na categoria 2 e havia previsão de chuvas e ventos muito fortes em Michoacán, Guerrero, Guanajuato, Colima, Jalisco, Nayarit, Durango, Aguascalientes, Coahuila, Tamaulipas, Zacatecas, San Luis Potosi, Estado de Mexico, Tamaulipas e Veracruz.

Na manhã deste sábado, a Conagua (Comissão Nacional de Água) do Serviço Meteorológico Nacional do México reclassificou Furacão Patricia para categoria 1 com ventos de 120km/h.

JÁ FAZ SOL EM MACONDO!

Pântano do Sul ensolarado nesta hora que divide o dia!
Ao vivo! E há cores! 

MAR DE OLHARES

Pescadors de Pantano, Florianopolis, Brasil..... llapis

O olhar e o traço do Joan Manel Salichs

TRILHA SONORA

Valdir Agostinho, multi-artista da Barra da Lagoa, com a banda Coletivo Operante.

sexta-feira, 23 de outubro de 2015

SOL EM MACONDO? VAI FAZER!

 A chuva diminui em SC, na madrugada de sexta-feira (23/10). Durante o dia, as nuvens permanecem nas regiões catarinenses, e podem ocorrer algumas aberturas de sol. O tempo fica mais instável, com chuva, nas áreas próximas ao Paraná. 
O sol aparece mesmo é no final de semana, em grande parte do Estado, e permanece no início da próxima semana.




SURFANDO NA TAINHA?



A Câmara Municipal de Florianópolis aprovou em 2ª votação nesta terça-feira, 20 de outubro, o Projeto de Lei n. 15.620/2013, de autoria do Vereador Marcos Aurélio Espindola – Badeko (PSD), que altera o art. 5º, § 1º da Lei n. 4.601 de 1995 que regulamenta a prática do surfe no período da pesca da tainha.

(Do blog do Cacau Menezes - www.clicrbs.com.br)

QUANDO ENTRA É MELHOR NÃO RESISTIR!


Banda do Ribeirão da Ilha!

Guitarra e Voz: Helio Calandrini / Bateria: Matheus Passos / Baixo: Tiago Alves 
Sugestões para Masterização: Tarso Germany
Produção: Tiago Alves

ALERTA!


Toda a região metropolitana está passando por instabilidades. Confira algumas dicas da Defesa Civil Municipal.
Em caso de emergência, acione o 199!

DE PESCA E PESCAORES

A pesca é uma das atividades econômicas mais tradicionais do nosso país. O Brasil conta hoje com pouco mais de um milhão de pescadores que contribuem para a produção anual de setecentas e 65 mil toneladas de pescado, segundo dados de 2013 do governo federal. Atualmente, o Brasil contribui com cerca de oito por cento da produção no oceano Atlântico, boa parte dessa produção é fruto do trabalho artesanal, que vive hoje um momento delicado. 
No início do mês de outubro, uma portaria do ministério da agricultura suspendeu por 120 dias o seguro defeso, que é um benefício concedido ao pescador profissional artesanal durante o período de paralisação da pesca para preservação das espécies. 
O valor do seguro corresponde a um salário mínimo por mês durante toda a temporada de suspensão da pesca. No programa de hoje, vamos falar sobre as condições de trabalho do pescador brasileiro. Para essa conversa, a gente recebe aqui no estúdio Cassiano Neto, Oceanólogo da Universidade Federal Fluminense, Alexandre Anderson, pescador da Associação Homens e Mulheres do Mar da Baía de Guanabara e Ricardo, ecologista do Movimento Baía Viva. | Conexão Futura, 19 de outubro de 2015. Apresentação: Cristiano Reckziegel

quinta-feira, 22 de outubro de 2015

RELATIVAMENTE AO VENTO

Einstein Navegando
Albert Einstein e a vela

Um dos maiores génios da humanidade era apaixonado pela vela, mas nunca aprendeu a nadar. Ele passou centenas de horas nas águas sozinho a bordo de diferentes embarcações. Poucos marinheiros percebem que sem a teoria da relatividade não existiria hoje navegação com GPS.

Na vida marítima do físico alemão há muitas anedotas. Uma delas diz seu filho Hans Albert, é a seguinte: Einstein convidou a famosa cientista Madame Curie para navegar seu veleiro Tümmler no Lago Leman na Suíça. O vento não passava de dez nós. No entanto, como em lagos montanhosos condições atmosféricas podem mudar de repente, uma tempestade de início de verão caiu sobre eles.

Madame Curie perguntou nervosamente:
Eu não sabia que você era um marinheiro.
Para que Einstein respondeu:
Eu também não.
E se o barco capotar, eu não sei nadar.
Einstein, ao olhar para a frente e segurando firmemente o leme, disse:
Bem, eu nunca fiz isso, minha querida.
Albert Einstein

E embora fosse verdade que ele não sabia nadar, sabia velejar, porque tinha aprendido a velejar enquanto estudava na Escola Politécnica de Zurique. Foi neste momento que ele descobriu sua paixão pela vela e que nunca abandonou.

Einstein manteve o princípio de que quem embarcava com ele tinha o direito de errar duas vezes nas manobras, à terceira, ele não perdoava. Dizia que o homem deve aprender com seus erros, e quem voltar a errar é idiota, portanto, não é digno de velejar com ele.
Albert Einstein

Seu barco mais preferido foi Tümmler (Golfinho Roaz), um veleiro de sete metros de comprimento construído nos estaleiros Garsch Berkholz. Tinha vinte metros quadrados de vela, e podia aproximar-se da costa para lugares onde havia apenas 1,20 metros de água graças a sua quilha rebativel. Foi equipado com um motor de dois cilindros que, segundo ele, parecia uma máquina de costura. O veleiro foi um presente de amigos quando eles chegou aos seus 50 anos. No entanto, ele só poderia desfrutar deste barco quatro anos, até que os nazistas o confiscassem devido à sua condição de judeu quando Hitler chegou ao poder. Foi a coisa mais preciosa que havia deixado na Alemanha.

Já nos Estados Unidos, onde viveu o resto de sua vida, ele comprou um outro veleiro de dezassete pés que deu o nome hebraico Tineff (Insensato). viajando pela Carnegie e Saranac Lake, localizado perto de Rhode Island, na costa leste da América do Norte, especialmente na primavera e no verão.

Em 1944, à vela com amigos de Saranac Lake bateu num recife. O veleiro virou, e como ele não sabia nadar, quase afogou enganchado entre a retranca e a vela grande. Felizmente, um barco a motor viu e veio em seu resgate. Em 1953, sua parceira Johanna Fantova declarava a um jornal: “Albert não está de muito boa saúde, mas continua sem abandonar o seu prazer: a vela. Diz-se que cada vez que velejava em seu barco melhorava o seu humor apesar de ser um barco extremamente primitivo. “
Albert Einstein

Ao longo de sua vida, Einstein não parou de velejar, devido ao pouco esforço que exercia em comparação ao enorme prazer que obtinha.

Sua filosofia de vida não é diferente de muitos velejadores a solo, incompreendido, mas feliz.”Eu não me arrependo de viver fora da compreensão e simpatia dos outros. Tenho a certeza de perder algumas vezes, mas compenso com a minha independência de costumes, opiniões e preconceitos dos outros, que não se sentem tentados a abandonar a sua paz por fundamentos tão frágeis “

GOVERNANDO O PEIXE!

Foto Silézio Sabino
Na Barra da Lagoa

DROPANDO NAS TAINHAS!



"O promotor Thiago Carriço e o delegado Alexandre Kale acompanharam a sessão da Câmara sobre a liberação do surfe durante a pesca da tainha. Apaixonados pelo esporte, estavam lá como cidadãos. Mas por pouco a coisa não esquentou com o vereador Celso Sandrini (PMDB), que os criticou."

(Do Rafael Martini, blog "Visor" do www.clicrbs.com.br)

BOTANDO MAIS FOGO NESSE INFERNO!

Divulgação/Doug Morton/Nasa
Queimadas na Amazônia: variações climáticas das últimas semanas são resultado do El Niño 

Nasa alerta que El Niño deste ano deve se igualar ao mais forte já registrado

Por Agência Brasil | 21/10/2015 11:50 

Fenômeno climático é caracterizado pelo aquecimento fora do normal das águas superficiais do Oceano Pacífico Equatorial 


O El Niño registrado no período 2015/2016 deve se igualar ao de 1997/1998, o mais forte já identificado até o momento. O alerta é da Agência Espacial Norte-americana (Nasa, na sigla em inglês). O fenômeno climático é caracterizado pelo aquecimento fora do normal das águas superficiais e subsuperficiais do Oceano Pacífico Equatorial.

A Nasa informou ainda que, neste ano, os impactos do El Niño em todo o mundo serão melhor observados do espaço do que em qualquer outro ano, por meio do uso de satélites e de superprocessadores de dados. “Nas duas últimas décadas, fizemos grande progresso em reunir e analisar dados que podem ajudar os pesquisadores a entender mais os mecanismos e os impactos globais desse fenômeno”.

No Brasil, o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) informou que as variações climáticas registradas nas últimas semanas são resultado do El Niño e confirmou que o fenômeno este ano está mais intenso que o normal. Enquanto a Região Sul sofre com fortes chuvas e tempestades de granizo, moradores da região central do país buscam formas de se proteger do sol, enfrentar as altas temperaturas e a baixa umidade. 


quarta-feira, 21 de outubro de 2015

CHOVE EM MACONDO!


Pantusúli nesta tarde que de verão só tem mesmo o horário!

TEMPO DAQUI




CHUVA VAI GANHAR MAIS FORÇA ENTRE NORTE DO RIO GRANDE DO SUL E SANTA CATARINA.

UMA FRENTE FRIA ESTÁ SOBRE A REGIÃO SUL DO PAIS, E JÁ PROVOCOU FORTES CHUVAS ENTRE RIO GRANDE DO SUL E SANTA CATARINA.

ENTRE AMANHÃ E A QUINTA-FEIRA ESSA FRENTE FRIA AVANÇA EM DIREÇÃO AO PARANÁ E DEVE GANHAR FORÇA ENTRE O NORTE GAÚCHO E SANTA CATARINA.

ALERTA DE TEMPESTADES ACOMPANHADAS DE RAIOS, VENTOS FORTES, RAIOS E POSSÍVEL QUEDA DE GRANIZO.

OS VOLUMES DE CHUVAS PODEM SER ALTOS ENTRE SERRA GAÚCHA, VALE DO ITAJAÍ E OESTE CATARINENSE, NESSAS ÁREAS ENTRE A QUARTA E A QUINTA PODE ACUMULAR VOLUMES EM TORNO DOS 80mm.

ESSA CHUVA AVANÇA PARA O PARANÁ ONDE TAMBÉM DEVE CHOVER FORTE, O SUL, OESTE E LESTE PARANAENSE DEVE ACUMULAR VOLUMES ENTRE 50mm E 70mm DE CHUVAS.

MAREGRAFIAS

Imagem Fernando Alexandre

MEMORIA DAS AGUAS

Antonieta, a Toni, relembra aqui os tempos da boa pesca de jangada em Baixio, próxima a Salvador, Bahia.

Baixios é uma das vilas de pescadores localizadas na Costa dos Coqueiros, a faixa do litoral norte da Bahia formada por praias, rios, dunas e restingas. Seu marco começa nos limites entre Salvador e Lauro de Freitas e vai até Mangue Seco, incluindo o Complexo de Sauípe. O acesso à Costa dos Coqueiros se dá através de duas rodovias: a Estrada do Coco e a Linha Verde (BA-099).Compreende uma área de 1348 km2, em uma extensão litorânea aproximada de 195 km.
Estes lugarejos passam por um processo de desenvolvimento, onde grandes empreendimentos turísticos estão surgindo, muitos de categoria internacional.

TEM PEIXE NA SOPA

Chefs ofereceram sopa de 3 toneladas em festival gastronômico na China Foto: Reuters

Peixe gigante é usado para preparar sopa de 3 toneladas

Foi necessário um caldeirão de 3,15 metros para fazer o prato

(De O DIA)

China - Em festival gastronômico na China, chefs usaram um peixe de quase 80 quilos para fazer uma sopa que acumulou cerca de 3 toneladas. Visitantes que passaram pelo evento em em Zhengzhou, na província de Henan, se surpreenderam com o tamaho do principal ingrediente e chegaram a tirar fotos da panela gigante. 

O peixe era tão grande que foi içado com um guindaste. Foi necessário um caldeirão de 3,15 metros de diâmetro e 70 centímetros de profundidade para o preparo do prato.

terça-feira, 20 de outubro de 2015

TEMPO DAQUI


MAIS UMA FRENTE FRIA TRAZ CHUVA PARA SANTA CATARINA 
O sol aparece pouco em SC na TERÇA-FEIRA (20/10). Em grande parte das regiões, a nebulosidade aumenta desde o período da manhã. A partir da tarde, pancadas de chuva em todo o Estado. As temperaturas ficam elevadas, o que favorece o risco de temporais com descarga elétrica, vento forte e até granizo.

A condição de chuva e permanece na QUARTA E QUINTA-FEIRA. Confira maiores detalhes no site da Epagri/Ciram!!!

A CAMINHO DO OURO

Gravura cedida por Jeffe Franco.

"A Caminho do Ouro – Norte-americanos na Ilha de Santa Catarina" será lançado em novembro!

A passagem de milhares de norte-americanos pela ilha de Santa Catarina em meados do século 19 é a trama tecida no livro “A Caminho do Ouro – a passagem de norte-americanos por Santa Catarina”, de Marli Cristina Scomazzon e Jeff Franco, que será lançado dia 5 de novembro, às 19h, na Fundação Badesc.

Estes viajantes que por aqui passaram estavam em busca de ouro recém descoberto na Califórnia. O meio mais fácil e bem conhecido de chegar até lá era por mar contornando a América do Sul com paradas obrigatórias para reabastecer de água, víveres e eventuais conserto dos navios.
Santa Catarina era a primeira parada obrigatória após dois ou três meses de viagem. E a alegria de finalmente por os pés em terra novamente era muito grande. Deliciados com a abundância de frutas, a qualidade da água, o gosto do café e a vegetação exuberante estes navegantes acreditavam ter chegado no paraíso.
Como não havia muito o que fazer nestes barcos, escrever era o passatempo predileto de grande parte dos viajantes. E eles deixaram milhares de manuscritos e cartas contando não somente a viagem mas também a passagem pela ilha.

Poucos conhecem essa história pesquisada e contada pelos autores Marli Cristina Scomazzon e Jeff Franco. Eles tiveram acesso a dezenas destes relatos e os trazem de novo a vida neste livro. A narrativa trata de um período até hoje desconhecido na história de Santa Catarina. As descrições detalhadas da paisagem e da vida na ilha formam um belo retrato e através dos olhos destes viajantes conseguimos ver a Desterro de dois séculos atrás.

Em outro capitulo, também baseados em relatos oficiais e reportagens de jornais brasileiros pode-se saber como os ilhéus sentiram esta invasão e como reagiram a ela. Existiam aqueles que se esforçaram ao máximo em ser bons anfitriões, outros viram no episódio uma boa oportunidade de lucro e teve quem se exasperou com a avalanche de homens ruidosos e ávidos por aventuras. Finalmente num terceiro capitulo é contada a história do consulado do Estados Unidos em Desterro que durou cerca de 50 anos. Conhecemos todos seus cônsules e um pouco de suas vidas e dos problemas que tiveram que contornar no seu dia a dia. Todos personagens são ímpares e suas histórias também. Histórias até agora esquecidas. Deliciem-se com elas. (texto Marli Cristina Scomazzon).

Mais informações em acaminhodoouro@hotmail.com
(48) 8809-6761 com Marli Cristina Scomazzon
Editora Insular www.insular.com.br

BARRA PESADA


Os pescadores das embarcações industriais da cidade de Laguna aprenderam na marra as manhas de entrada e saída por uma das barras mais perigosas do país. Não é à toa que mestres e pescadores de outros portos fazem o possível e o impossível para não atracarem no Terminal Pesqueiro de Laguna. O medo limita a entrada de barcos de pesca hoje como limitou a entrada de navios em outras épocas. Apesar de mexerem aqui e ali de vez em quando, não foi possível manter uma profundidade segura para o tráfego das embarcações. Hoje é preciso fazer o contorno daquela que, segundo dizem, é uma das pedras que restou do antigo traçado dos molhes. Esta pedra diminui a profundidade e provoca a quebra de ondas perigosas. Aqueles que assistem a entrada das embarcações acenando alegremente não imaginam a tensão daquele que está ao leme. A sinalização das zonas de perigo à navegação é essencial, mas a força das correntes tem levado mar afora toda e qualquer tentativa. Estes fatos são parte de uma história iniciada há mais de um século.


Quem visita a cidade de Laguna e vai até os molhes para acompanhar a pesca com os botos não imagina a longa história que eles possuem. Em seus áureos tempos, Laguna recebia grandes navios com imigrantes alemães e italianos que foram a base da colonização do sul do Estado, além de toneladas de mercadorias que abasteciam toda a região. Embora montantes significativos tenham sido investidos para aumentar a profundidade do canal, erros de projeto e dificuldades de execução fizeram deste um dilema muito maior que deveria para a cidade de Laguna. Após o primeiro projeto e seguidos insucessos, os molhes foram sendo prolongados. Grande nomes participaram desta grande obra de engenharia que seria um dos grandes fracassos da região sul: engenheiro Colombo Salles, Calistrato Müller Salles, Lucas Bicalho estão entre os personagens desta história que têm hoje seus nomes em ruas da cidade. A relação destes personagens com a história da barra de Laguna está descrita no livro de Walmir Guedes Junior chamado “Porto da Laguna - A luta de um povo traído”. Esta obra é um resgate histórico completo e detalhado sobre esta parte da história que mudou o rumo da cidade de Laguna. Este livro pode ser encontrado na EstanteVirtual.

(Do http://www.observasc.net.br/)

segunda-feira, 19 de outubro de 2015

MAR DE CORRUPÇÃO


A não safra da Tainha!
Pescadores artesanais começam a entender porque havia tanta burocracia para pescar tainha neste ano. Ministério da Pesca e Ibama beneficiaram os pescadores industriais, que pagaram propina para tirar o peixe do mar sem fiscalização. A fraude foi descoberta pela Polícia Federal na operação Enredados.

JÁ FAZ SOL EM MACONDO!

Pântano do Sul exuberante nesta manhã que de verão só tem o horário!

COISAS DE CAIÇARAS



Os moradores do Prelado, uma vila de pescadores no litoral sul de São Paulo, contam suas histórias ao mesmo tempo em que se preparam para o baile da Folia de Reis. Cada história, seja ela real ou fantástica, pode ser verdadeira, sejam macacos gigantes que vivem no mato, fantasmas no cemitério ou uma bola de fogo que cruza o céu de sete em sete anos.

MST - MOVIMENTO DOS SEM TAINHAS!


Cobiça no mar


“E a gente achando que a escassez de tainhas na safra de 2015 era um fenômeno da natureza”. Hélio Gabriel, por e-mail, sobre a operação da Polícia Federal que prendeu autoridades ligadas ao Ibama e empresários do setor industrial pesqueiro. "

(Da coluna do Carlos Damião - NDonline.com.br )

DANDO NOME...

Do Geraldo Cunha


sábado, 17 de outubro de 2015

PANTUSULI DO GERALDO CUNHA

Foto Geraldo Cunha



MAR DE PRESERVAçÃO

Foto: Kadu Pinheiro


O Governo Federal prorrogou por mais oito anos a proibição da pesca do peixe mero (Epinephelus itajara), bem como o armazenamento, transporte e a comercialização de exemplares da espécie em todo o território nacional. A portaria dos ministérios do Meio Ambiente e da Pesca e Aquicultura entrou em vigor no dia 6 de Outubro. Quem desrespeitar a regra está sujeito a detenção de um a três anos, pagamento de multa que pode chegar a R$ 100 mil, além do acréscimo de R$ 20 por quilo ou fração do produto da pesca.

O mero é um peixe dócil, apesar de imponente: habita zonas de mangues, costões rochosos e recifes de coral, pode viver 40 anos, atinge mais de 2 metros de comprimento e chega a pesar quase 500 quilos. Por permitir a aproximação e o contato com humanos, a espécie é admirada por mergulhadores, mas se tornou alvo de cobiça da pesca predatória, sendo a interferência humana a principal razão da sua ameaça de extinção.

Como o mero é um peixe que cresce vagarosamente e que demora a iniciar a atividade reprodutiva, sua proteção é fundamental para a manutenção da espécie. Por falta de fiscalização na Baía Babitonga, local propício para a reprodução, ainda são relatados casos isolados de pesca do mero. A proibição da captura no país foi decretada, pela primeira vez, em 2002, por um período de cinco anos. Desde então, a regra vem sendo renovada.

(Do http://divemag.org/)