quarta-feira, 30 de abril de 2014

NA LAGUNA

Fotos Elvis Palma

O dia de ontem começou prometendo na Laguna: logo cedo, na Ponta dos Molhes, as tarrafas vieram cheias de tainhas. E foi assim até o final do dia,sempre com a ajuda dos botos!

MULHERES DO MAR

  FOTO: JEAN CHUNG/THE NEW YORK TIMES

CULTURA DAS MULHERES DO MAR DESAPARECE NA COREIA

Hado-Ri, Coreia do Sul – Certa manhã, Kim Eun-sil levou seu equipamento de mergulho para uma praia rochosa na costa leste dessa ilha coreana e, como tem feito há 60 anos, passou o dia praticando mergulho livre a mais de seis metros de profundidade e pescando frutos do mar com as mãos.

Kim, de 80 anos, acredita que ainda pode empenhar-se mais alguns anos em um trabalho que as mulheres têm feito há séculos, mas que está desaparecendo rapidamente.

'Eu ainda me viro bem no fundo do mar', afirmou, aquecendo seu corpo cheio de artrites na fogueira que preparou com caixas de feira em um cais enquanto esperava pelas outras mulheres. 'Para o meu marido foi moleza, ele mal precisava levantar os dedos. Até morrer, quatro anos atrás, ele não tinha o que reclamar de mim'.

Kim, assim como foi sua mãe, é uma haenyeo, ou uma 'mulher do mar'. Durante muitos anos, as mulheres do mar de Jeju, uma ilha na costa sul da Coreia do Sul, desbravaram as águas perigosas do Estreito da Coreia, mesmo durante os invernos mais frios. Usando apenas pés-de-pato e máscaras de mergulho – sem equipamentos de respiração – elas vão ao fundo do mar, onde procuram abalones, conchas e polvos.

O trabalho é feito tradicionalmente por mulheres, apelidadas de Amazonas da Ásia, em um costume que tem muito a ver com a história triste da ilha e sua geografia.

A inversão dos papeis de gênero tradicionais, com as mulheres sendo as principais responsáveis pelo sustento da família, fez a ilha fugir das relações patriarcais da sociedade coreana.

FOTO: DIVULGAÇÃO / JEAN CHUNG/THE NEW YORK TIMES

Entretanto, o trabalho é duro e perigoso. Desde 2009, 40 mergulhadoras morreram, incluindo três este ano. As mulheres mais jovens de Jeju, o maior destino turístico da Coreia do Sul, preferem trabalhar nos resorts e lojas de aluguel de carros, do que no mar gelado, como algumas de suas mães e avós ainda costumam fazer.

O número de mulheres do mar caiu para cerca de 4.500, das 26.000 que estavam em atividade nos anos 60, e 84 por cento delas já têm mais de 60 anos.
'A maioria das haenyeo terá desaparecido nos próximos 20 anos, a menos que consigamos mais recrutas', afirmou Yang Hi-bum, uma autoridade do governo de Jeju.

Há muito tempo que as mulheres do mar são uma parte tão importante de Jeju quanto o Monte Halla, a montanha coberta de neve que fica no centro da ilha. Elas vão ao fundo do mar mais de 100 vezes ao dia, capturando criaturas marinhas com as mãos ou, em alguns casos, com uma lança. Voltando à superfície depois de um minuto, elas dão um assobio alto enquanto exalam e colocam o que pegaram em um saco preso a uma boia.

'As haenyeo foram as primeiras mães a trabalhar na Coreia', afirmou Koh Mi, editor do jornal de Jeju, Jemin Ilbo, e participante de um projeto de pesquisa de nove anos com as mulheres do mar. 'Elas eram o símbolo da independência e da força feminina na Coreia'.
Por isso há muita gente se esforçando para preservar sua cultura em vista das mudanças que transformaram Jeju da 'ilha das mulheres do mar', na ilha dos casais em lua de mel em uma questão de décadas.

FOTO: DIVULGAÇÃO / JEAN CHUNG/THE NEW YORK TIMES

FOTO: DIVULGAÇÃO / JEAN CHUNG/THE NEW YORK TIMES

Em março, a Coreia do Sul entrou com um processo junto à UNESCO para acrescentar as mulheres do mar na lista de Patrimônios Culturais Intangíveis da Humanidade. Os habitantes da ilha creem que o título traria mais orgulho para a tradição e encorajaria o apoio popular para preservá-la.

Atualmente, a ilha de 1.849 quilômetros quadrados, é tão famosa por suas plantações de cítricos, quanto pelas praias de areia branca, campos de golfe e esplanadas com vista para os penhascos negros onde a lava dos vulcões se encontrou com o mar há milênios. Mas até que as máquinas permitissem que as famílias cultivassem o solo rochoso de Jeju e o turismo trouxesse mais oportunidades de trabalho para a ilha nas últimas décadas, Jeju era um dos lugares mais difíceis de viver na Coreia do Sul, onde as árvores são atrofiadas pelos ventos do mar e aonde os reis enviavam seus inimigos em exílio.
No século XVII, quando os homens iam pescar em alto mar em embarcações de guerra a remo e nunca voltavam, o mergulho se tornou um trabalho feito exclusivamente pelas mulheres, afirmou Kang Kwon-yong, curador do Museu Haenyeo, que pertence ao governo. Um documento do século XVIII registrou que as autoridades açoitavam as mulheres e até seus pais e maridos, quando elas não conseguiam pagar as altas taxas em abalones secos, uma iguaria muito apreciada pela elite coreana, o que forçava as mulheres a mergulhar em águas frias, até mesmo durante a gravidez.
 trabalho sempre foi perigoso. Elas trabalham muitas horas em águas congelantes a até 6,4 metros de profundidade. 
Velhas baladas sobre as haenyeo falam sobre 'mergulhar com o caixão na cabeça', ou sobre 'trabalhar no submundo para que nossas famílias possam viver neste aqui'. As mergulhadoras pedem proteção para a deusa do mar, fazendo ofertas regulares de arroz, frutas e imitações de notas de dinheiro.
Até os anos 60, 21 por cento das mulheres da ilha eram mergulhadoras profissionais e seus produtos correspondiam a 60 por cento da pesca de Jeju. Enquanto as noivas de outras regiões da Coreia do Sul deveriam dar o dote ao marido, em Jeju eram os maridos que pagavam o dote.
'O mergulho garantia o sustento da família toda', afirmou Ku Young-bae, de 63 anos, uma das 270 mulheres do mar de Hado-ri, uma série de vilarejos na costa leste de Jeju, antes de mergulhar em uma tarde recente. 'Os homens são preguiçosos', afirmou. 'Eles não sabem mergulhar. São fracos debaixo da água, onde tudo é uma questão de vida ou morte'.

FOTO: DIVULGAÇÃO / JEAN CHUNG/THE NEW YORK TIMES

FOTO: DIVULGAÇÃO / JEAN CHUNG/THE NEW YORK TIMES

Até recentemente, as mulheres do mar de Jeju também trabalhavam no litoral da Coreia do Sul.

'Quando éramos crianças esperávamos que nossas mães voltassem das viagens até o continente', afirmou Lim Baek-yeon, de 53 anos, chefe da cooperativa de mulheres do mar de Hado-ri. 'Isso significava que novas roupas e sapatos estavam chegando'.

As mergulhadoras fazem parte de uma hierarquia muito rígida. As mais jovens ficam longe das águas rasas onde as mulheres mais velhas e fracas mergulham. Quando a escola do vilarejo precisa de reparos, elas doam uma parte do que recebem para a obra.

A independência econômica das mergulhadoras contribuiu para as taxas de divórcio em Jeju, as mais altas da Coreia do Sul. Mas apesar de seu papel essencial, as mergulhadoras não eram vistas com bons olhos por uma sociedade que fechava a cara para mulheres que viajavam para fora de suas ilhas ou que revelassem a pele nua em público. Até que equipamentos que cobrissem o corpo todo fossem criados nos anos 70, elas usavam roupas de algodão artesanais que mostraram a coxa e, muitas vezes, os ombros.

FOTO: DIVULGAÇÃO / JEAN CHUNG/THE NEW YORK TIMES

'As crianças de Jeju não gostavam de admitir que suas mães eram haenyeo', afirmou Lee Sun-hwa, membro do Conselho Provincial de Jeju, cuja mãe e avó eram mulheres do mar. 'As mulheres sempre escolhiam seus maridos para serem os chefes dos vilarejos'.
Em parte, elas são vítimas de sua própria labuta. A criação das roupas de mergulho as encorajou a mergulhar mais fundo e por mais tempo, o que levou a uma pesca excessiva e ao declínio da renda e de seu estado de saúde. Os abrigos à beira mar onde elas se encontram antes de entrar na água estão cheios de embalagens vazias de analgésicos e medicamentos para combater o enjoo causado pelo mar.

FOTO: DIVULGAÇÃO / JEAN CHUNG/THE NEW YORK TIMES
FOTO: DIVULGAÇÃO / JEAN CHUNG/THE NEW YORK TIMES

Para ajudar a manter a tradição viva, o governo de Jeju financia suas roupas de mergulho e subsidia o seguro saúde e contra acidentes. E também equipa os abrigos com aquecimento e duchas quentes.
As mulheres do mar também estão se autoregulando – criando estações voluntárias de proibição da pesca, zonas onde é proibido mergulhar e limites mensais para o número de dias de mergulho – para que a profissão continue e ser sustentável.
Mas Kim, que criou cinco filhos e pagou a universidade do marido com o mergulho, afirma que será a última haenyeo de sua família.
'Minha única filha nem sabe nadar', afirmou.


(Do The New York Times News Service
Fonte: http://nytsyn.br.msn.com/)

segunda-feira, 28 de abril de 2014

EM LAGUNA

Foto Ronaldo Amboni
As tainhas continuam passando por Laguna! 
Esta foi a tarrafada que alegrou a todos na manhã desta segunda-feira!

NAVEGAR É...


EM LAGUNA

Foto Ronaldo Amboni
 Com a ajuda dos botos, pescadores de laguna estão conferindo a chegada das tainhas!


ÚLTIMOS PREPARATIVOS PARA O GRANDE ESPETÁCULO DA NATUREZA

Foto Alcides Dutra
A grande jornada das tainhas vai começar. Pequenos grupos preparam-se para se agregar em grandes cardumes e singrar o mar praticamente sem comer, usando a energia da gordura acumulada. Estarão instintivamente focadas apenas na reprodução.
Durante a viagem as ovas vão crescer, a gordura vai ser consumida e logo o milagre da vida vai se repetir, fascinate.
Curta a página do INSTITUTO LARUS, para receber muitas outras imagens e informações, que vão ajudar você a conhecer melhor a natureza e a importância da nossa rica biodiversidade, porque ninguém preserva o que não conhece. — com Alcides Dutra.

domingo, 27 de abril de 2014

ALERTA NO MAR!

Foto Fernando Alexandre
A presença de um ciclone bem afastado da costa e um anticiclone, ar frio, no Continente, vão deixar o mar agitado no litoral catarinense neste domingo e na segunda-feira.

O alerta da Defesa Civil Estadual é de que a ondulação maior pode variar de 1.5 metro a 2 metros nas áreas próximas à costa e de 3 a 4 metros em mar aberto. Por isso, há riscos para pequenas e médias embarcações.

Na segunda-feira, a previsão de mar agitado se mantém, permanecendo a cautela no mar. Mesmo com um domingo de ondas fortes, a previsão é de sol com temperaturas amenas em todo o Estado.

sexta-feira, 25 de abril de 2014

TAINHAS DA PASCOA

Foto by Duda Hamilton
Em Porto Alegre, tainhas na brasa na quinta-feira santa, feira do peixe, defronte ao Mercado Público.
Foto e informações de nossa correspondente itinerante Duda Hamilton!

TANTO MAR, PÁ!

Os 40 anos da Revolução dos Cravos e as duas versões da música de Chico Buarque!

TODO MUNDO NU!

Corrida em praia de Portugal tem regra inusitada: é obrigatório correr nu Paula Fontes/Divulgação
Foto Divulgação
Corrida em praia de Portugal tem regra inusitada
Uma corrida bem inusitada será realizada na Praia do Meco, ao sul da cidade de Lisboa, em Portugal. A prova tem uma regra principal: correr nu.

— A prova terá de ser feita em nu à excepção de Meias, Ténis e chapéu para quem assim desejar. Todas as senhoras que por razões "fisicas" tenham dores nos seios na pratica desportiva, a partir desta edição poderão participar com soutians, sendo estes o mais discretos possiveis. Se por ventura houver bébes de colo, poderão usar fraldas. Não serão permitidas bolsas de cintura — estabelece o regulamento da 2 ª Légua Nudista.
O evento está marcado para o dia 24 de maio e, para os interessados, as inscrições ficam abertas até o dia 16 do mesmo mês. Mas é bom acelerar: a prova, que terá 5 km e custa 7,5 euros, é limitada a apenas 100 atletas.

(Da TAP)

SOS



Cinco pessoas foram resgatadas na costa do estado de Queensland, Austrália, após escreverem uma mensagem de socorro gigante, em um banco de areia no meio do mar, de acordo com o site de notícias Sky News.
O grupo, que fazia uma viagem de mergulho, deixou seu barco próximo à areia para caminhar em direção a pedras próximas, mas a âncora da embarcação quebrou e o barco deixou a ilha. "Assim que chegamos nas pedras, o dono de um dos barcos olhou para trás e viu que ele havia de deslocado", disse Lyn Forbes-Smith.
Duas pessoas do grupo se jogaram na água para tentar recuperar o barco, mas não conseguiram alcançá-lo.

Sem água, comida, ou filtro solar - e com todos os telefones celulares na embarcação - o grupo resolveu escrever na areia um enorme pedido de ajuda e esperar nas rochas. "Nós sabiamos que a agua ia cobrir o banco de areia, mas estávamos confiantes de que não iria cobrir as pedras", disse Forbes-Smith.

Amigos do grupo, que estavam na Ilha Keswick ativaram o alarme, depois que os colegas não voltaram no tempo planejado. Além disso, a embarcação desaparecida foi vista por um voluntário de uma equipe de salvamento, que rastreou o registro do barco.
Um helicóptero localizou os mergulhadores e os conduziu à cidade de Mackay. O grupo passa bem.

(Do  http://noticias.terra.com.br/)

MAR DE TAINHAS


quinta-feira, 24 de abril de 2014

JÁ SE FAZ NOITE!

Noite sendo neste fim de dia outonal!

EM LAGUNA


Foto Elvis Palma
Com a ajuda dos botos, pescadores dos Molhes da Barra, em Laguna, Sul de Santa Catarina, continuam tarrafeando gordas tainhas nesta pré-safra!

A alegria do pescador e a foto são de ontem, dia 23/4/14

AS TAINHAS E OS SURFISTAS


Imagine ondas perfeitas quebrando bem na sua frente e você proibido de surfá-las. 


Em uma disputa que se arrasta há décadas, surfistas de Florianópolis lutam para garantir o direito de surfar na maioria das praias da ilha durante a temporada de pesca da tainha.

(Revista Fluir 
https://www.facebook.com/revistafluir)

CAÇA À BALEIA



O Japão vai reduzir o número de baleias caçadas com fins científicos no oceano Pacífico mas não vai abandonar a atividade. O anúncio acontece semanas depois de uma sentença do tribunal internacional de justiça determinar o cancelamento imediato da caça à baleia para investigação científica na Antártida, decisão que a nação asiática afirmou pretender cumprir.
O tribunal de Haia decidiu no passado dia 31 de março que o Japão não apresentou justificações científicas válidas para a caça à baleia que tem praticado na Antártida, alegadamente para estudar as populações de cetáceos.

O tribunal ordenou, por isso, que o Japão cessasse a atividade na região, tendo recomendado adicionalmente, que o gigante asiático revisse a sua estratégia de caça com fins científicos a nível global, que inclui outros territórios de caça, como é o caso do Norte do Oceano Pacífico

Na altura, o Japão afirmou-se desiludido com a sentença do tribunal que, no entanto, garantiu que iria cumprir, por respeitar a ordem legal internacional.
Agora, passadas pouco mais de duas semanas, Yoshimasa Hayashi, o Ministro da Agricultura, Silvicultura e Pescas japonês tornou públicas as intenções do Japão de continuar a caçar baleias com fins científicos, embora menos intensamente, de forma a respeitar um critério de sustentabilidade das baleias como recurso, princípio em que se baseou a sentença do tribunal internacional de justiça:
“Baseado nisto [exploração sustentável das baleias como recurso] e alinhado com a lei internacional e os princípios científicos, a nossa nação vai caçar baleias para fins científicos, para obter a informação científica essencial para gerir as baleias como um recurso”.

O objetivo é obter dados que permitam a gestão das populações de cetáceos quando a moratória que impede a caça comercial à baleia for levantada, algo que o Japão sempre se afirmou convicto que irá acontecer.

Na prática, a decisão de reduzir a escala da caça à baleia no Pacífico pode passar pela redução do número total de cetáceos capturados de 380 para 210 e, especificamente uma redução de 220 para 100 no que diz respeito à espécie Balaenoptera acutorostrata e o abandono da captura de cachalotes (Physeter catodon), de acordo com uma proposta ainda não aprovada.
O membro do governo japonês anunciou também novas medidas contra os ativistas que se opõem à caça à baleia e que todos os anos procuram sabotar as atividades da frota baleeira japonesa.

Por fim, Yoshimasa Hayashi revelou que o Japão pretende retomar a caça à baleia da Antártida, pelo que apresentará à Comissão Baleeira Internacional um novo plano com este fim em 2015.

(Do http://www.scientificamerican.com)

quarta-feira, 23 de abril de 2014

ALERTA NO MAR

Foto Fernando Alexandre
A presença de um ciclone sobre o oceano faz com que o mar tenha ondas de 2 a 2,5 metros na costa de SC ao longo desta quarta-feira. Mais afastado do litoral as ondas podem se aproximar dos 3 a 5 metros fazendo com que não se aconselhe navegação no decorrer de todo o dia de hoje.

ATENÇÃO NOS PRÓXIMOS DIAS

Amanhã e na sexta-feira o mar segue com ondulação sul/sudeste, mas as ondas perdem pressão e diminuem um pouco. No entanto, entre final de sexta-feira e no fim de semana a combinação de um ciclone no mar bem afastado da costa e um anti-ciclone, ar frio, entre o mar e o sul do Brasil deverá dar novamente pressão ao mar fazendo com que as ondas voltem a ficar entre 2 e 2,5 metros na costa e entre 3 e 5 metros afastado. Portanto, novamente não se aconselha navegação no fim de semana!

Importante ter bastante cuidado também na quinta e na sexta, mesmo que o mar diminua um pouco!

(Do blog do Leandro Puchalski - http://wp.clicrbs.com.br/blogdopuchalski/)

MAR GRANDE E VENTO SUL

Pântano do Sul nesta manhã de outono que já tá querendo virar inverno!

ELAS ESTÃO CHEGANDO!

Foto Duda Hamilton
Fontes geralmente bem informadas dão conta que as tainhas já estão saindo da Lagoa dos Patos, rumo a Santa Catarina!

A INTIMIDADE DOS GOLFINHOS


Golfinhos chamam uns aos outros pelo nome!

O novo estudo, publicado na revista Proceedings, os biólogos marinhos da Universidade de St. Andrews, na Escócia, aplicaram uma técnica que identifica assobios dos golfinhos usando vários critérios, tais como a sua tendência para serem repetitivos e permanecem constantes ao longo do tempo.
Assim que os pesquisadores tocaram o assobio através de um alto-falante debaixo d’água, os golfinhos responderam apenas para os seus próprios assobios. Sempre que um golfinho ouvisse o seu “nome”, ele respondia, assobiando de volta, muitas vezes imediatamente.
Alguns golfinhos se aproximaram do barco logo depois de responderem.

terça-feira, 22 de abril de 2014

ALERTA NO MAR

Foto Fernando Alexandre
Previsão de ondas de até 5 metros deixa navegação em alerta em SC

Forte ondulação sul deve entrar no litoral do Estado na noite desta terça-feira

Navegação, principalmente de pequeno e médio porte, deve ser evitada durante a quarta-feiraFoto: rio,beira do rio,ribeirinha,ribeirinho,itajai,porto,apm terminais,pesca,pescador / Agencia RBS
Durante a noite desta terça-feira a previsão do tempo indica a entrada de uma forte ondulação sul no litoral de Santa Catarina, devido a presença de um ciclone extratropical que está no mar na altura da Argentina.

Conforme a Central RBS de Meteorologia, na quarta-feira as ondas deverão se aproximar de 2 a 2,5 metros nas séries maiores pelo litoral, sendo que no alto mar elas poderão chegar entre 3 e 5 metros.

Em razão disso não se aconselha navegação ao longo do dia, sobretudo de pequeno e médio porte. A ondulação, apesar de perder um pouco de força na quinta-feira, volta a se intensificar na sexta.
(Do O SOL DIÁRIO - www.clicrbs.com.br)

ENSAIO GERAL

Foto Alcides Dutra
 Cardumes de tainhas estão se agregando, devem estar se preparando para a grande migração.

Curta a página do INSTITUTO LARUS. — comAlcides Dutra.

ILHA - VENDE-SE


Ilha mal-assombrada é privatizada para ajudar Itália a sair da crise

Governo italiano põe imóveis à venda em leilão eletrônico, entre eles a ilha de Proveglia, onde mais de 100 mil pessoas morreram de peste e muitos loucos foram lobotomizados

MILÃO - A ilha mais assombrada do mundo está à venda. O governo italiano pôs em leilão a Ilha de Poveglia, perto de Veneza, como parte de um projeto de venda de ativos estatais para recuperar as finanças do país.

Como se não bastasse, a ilha ficaria ainda mais tristemente famosa quando, em tempos modernos, um médico fundou ali um sanatório de loucos nos quais os pacientes eram lobotomizados em massa.

O governo espera atrair investidores para construir um hotel de luxo na ilha maldita. A ilha era usada no século 15 como base de defesa contra os turcos otomanos e também tem um antigo mosteiro na costa sul.

Um quartel do exército no centro de Trieste e uma residência no centro de peregrinação católica da Loreto também estão no bloco do leilão virtual de privatização com lances programados para até o dia 6 de maio.

Internet. "Os investidores podem fazer ofertas para os nossos imóveis de todos os lugares do mundo pelo leilão virtual, desde Nova York ou Dubai", afirmou Stefano Scalera de Demanio, autoridade responsável pela administração das propriedades de estado italiano.

"Por meio da internet eles podem baixar documentos e contratos, todos eles traduzidos em Inglês", disse ele. Quarenta outros bens imóveis de vários tipos estão em oferta no site oficial para ofertas de propriedades públicas do governo italiano.

A Itália tem mais de 500 mil imóveis comerciais e residenciais e luta para vender ativos estatais, mas esbarra nas regras burocráticas de licitação.

"Desta vez é diferente, porque os principais obstáculos administrativos para esses ativos foram eliminados para acelerar a venda", disse Scalera, sem estimar as receitas que espera com a venda.

sábado, 19 de abril de 2014

OS OLHOS AZUIS DA VIEIRA

Foto Alcides Dutra

O MOLUSCO DOS OLHOS AZUIS

A vieira (Nodipecten nodosus) se alimenta filtrando água com a concha entreaberta. Para isso precisa ter certeza de que não há nenhum predador oportunista por perto, que ela percebe com seus vários olhinhos (ocelos) azuis. Eles registram as variações de luz em sua volta, e ao menor movimento suspeito, a vieira se fecha, ficando protegida em sua armadura.
Veja aqui em detalhe, um dos "olhos" azuis da vieira:

Ilha do Xavier - Florianópolis - SC.
Curta a página do INSTITUTO LARUS.

sexta-feira, 18 de abril de 2014

VAI DAR PRAIA?

 

PREVISÃO DO TEMPO PARA O FERIDÃO (18 à 21/04)

By Chuvalski, o mané do tempo!

Sexta - Sol com algumas nuvens, vai dar praia, e possibilidade de trovoadas no fim do dia, vento de Norte a Nordeste fraco e temperatura entre 20 e 25 graus.

Sábado - Sol entre nuvens pela manhã, próximo ao meio dia o tempo nubla e pode chover forte inclusive. Esta chuva deve permanecer até as 20h, quando pra por completo e o tempo começa a melhorar. Vento Norte fraco até as zonze da matina, depois vira pra Suli fraquinho. Já temperatura fica entre 20 e 24 graus.

Domingo - Sol o dia inteiro com vento Suli fraco, mínima de 19 máxima de 23 graus.

Segunda - Sol o dia inteiro, com vento rondando de Leste, Norte, Noroeste mas muito fraco, mínima de 18 máxima de 24 graus.

O céu fala e a Manezada entende.

Visite a FanPage da "Tribuzanas, Tainhas & Rabos de Galo", acessando

LAGUNA: NOS MOLHES DA BARRA

 
Fotos Elvis Palma
Numa só tarrafada, mais de 160 tainhas!
E com um monte de gente no click!

quinta-feira, 17 de abril de 2014

DONZELINHA

Foto Alcides Dutra
Linda, cintilante, territorialista, inquieta e temperamental.
... É, faz sentido.

Ilha moleques do Sul - Florianópolis - SC.
Curta a página do INSTITUTO LARUS.