sábado, 30 de abril de 2011

Os primeiros Paratis

Fotos Rodrigo Garcia Lopes
Ainda não foram as tainhas!
Mas o primeiro cardume de Paratis foi cercado ontem no final da manhã no Pântano do Sul. Foram 1497 peixes, garante o Arantinho. Mas existem discordâncias. O Fabrício, lá da Peixaria do Ademir, afirma que foram mais: 1512. Mas não importa. Os Paratis, mesmo atrasados este ano, anunciam que as tainhas estão chegando. E todos já estão de olho no mar. O cerco de ontem, feito pela "Isabela Catarina", estimada canoa-bordada de um só pau, serviu para aquecer e deixar a camaradagem "em ala".
A sequência de fotos e a cobertura completa do "lanço" de ontem é do recém-contratado repórter de praia do tainhanrede, Rodrigo Garcia Lopes.

sexta-feira, 29 de abril de 2011

Fazendas Marinhas

Foto MPA/Santa Catarina terá 2 mil áreas reagularizadas até junho Começa a cessão em 25 parques aquícolas
O Ministério da Pesca e Aquicultura recebeu ontem, quinta-feira (28/04) da SPU, Secretaria de Patrimônio da União, a cessão de 1.595 áreas localizadas em 25 parques aquícolas em Santa Catarina, maior produtor de moluscos do país. O estado é responsável pela produção de 90% dos moluscos criados em cativeiro. De acordo com a ministra Ideli Salvatti, além dos 25 parques aquícolas já aprovadas para o início do inédito e histórico processo de regularização de áreas produtoras em águas marítimas, outros 5 parques estão em processo de análise e autorização por outras instâncias, como a marinha. O objetivo, segundo Ideli, é fazer a cessão de 2.000 áreas ainda no primeiro semestre deste ano. Os 25 parques já aprovados abrangem vários municípios catarinenses, como: Florianópolis, Governador Celso Ramos, Porto Belo, Palhoça, Bombinhas, São Francisco do Sul, Balneário Barra do Sul, Itapoá, Penha, Itapema, Balneário Camboriu, São José, Biguaçu, Jaguaruna e Laguna, explicou a ministra. Apenas nessas áreas, a estimativa de ganho na produção por ano é de 32.600 toneladas, cerca de 20% da produção no Estado, estimada em 188 mil toneladas/ano. A área total nos 25 parques é 1.595 hectares. Os processos de cessão das áreas ganham força com os termos de entrega das áreas, da SPU para o Ministério da Pesca e Aquicultura, que fica responsável agora pela definição em edital que trará os critérios para a regularização das áreas onerosas e não onerosas. "Existem atualmente vários maricultores e pescadores que atuam em áreas ainda irregulares. Isto traz dificuldades, principalmente, aos pequenos produtores, no momento de buscar financiamentos, como do Pronaf Pesca e, também, para novos investimentos, com o objetivo de aumentar produção nacional", explica Ideli. Com a regularização das áreas, pequenos aquicultores poderão, a partir da cessão, buscar crédito e financiamentos para avanços tecnológicos com ganhos produtivos, ressalta a ministra. A previsão é de todo o processo ser concluído até o mês de junho deste ano, após o Ministério da Pesca e Aquicultura finalizar o edital, publicar e garantir aos vencedores as cessões das áreas para os produtores. "Estamos trabalhando para que em Junho deste ano o Governo Federal entregue as primeiras áreas dos parques marítimos no país, localizados no grande celeiro produtivo de Santa Catarina.

MAR DE ARTISTA

Praia Brava, Óleo sobre tela.
O artista Domingos Fossari nasceu em Itaqui, Rio Grande do Sul, em 1914 e mudou-se para Florianópolis nos anos 40, onde faleceu em 1987. Retratou a cidade lindamente, em telas, e exímios desenhos. Uma de suas obras fundamentais é o album "Florianópolis de ontem", com 121 desenhos de uma cidade que não existe mais, publicado em 1978 pela UDESC. Era também chargista, caricaturista e ilustrador publicitário.

quinta-feira, 28 de abril de 2011

CARTEIRA DE PESCA

Foto MPA
MAIS 70 MIL SÃO SUSPENSAS
Desde ontem, quarta-feira (27/04) todos poderão acessar a lista com os nomes dos pescadores profissionais ativos no Registro Geral de Pescadores, RGP. Durante a coletiva que anunciou o acesso ao cadastro, a ministra da Pesca, Ideli Salvati, assinou portaria da Secretaria de Monitoramento e Controle – SEMOC com a suspensão de mais de 70 mil carteiras, entre os motivos estavam vínculo empregatício, óbito e recebimento de benefício do Instituto Nacional do Seguro Social - INSS. O total de carteiras já canceladas em 2011 é de 86.917, somente nesta última portaria foram suspensas 72.270. Os cancelamentos são resultados do cruzamento de dados do Registro Geral de Pescadores Profissionais com o Cadastro Nacional de Informações Sociais – CNIS. Durante o levantamento foi constatado que 41.360 dos inscritos recebiam algum tipo de benefício previdenciário, 2.273 estavam registrados como óbitos e 28.637 possuíam algum tipo de vínculo empregatício. De acordo com a Instrução Normativa do MPA nº02/21011 as licenças deverão ser suspensas nestes casos. A disponibilização do nome dos Pescadores Profissionais ativos inscritos no RGP trará maior transparência ao processo e permitirá uma fiscalização também por parte da sociedade. O acesso ao cadastro será feito por meio do site do Ministério da Pesca e Aquicultura, www.mpa.gov.br. Através do banner localizado a direita com o nome “RGP lista de inscritos”. Atualmente são 941.469 pescadores profissionais registrados, o usuário tem quatro opções para pesquisa, o nome, CPF, estado ou município e poderá escolher por um ou mais, caso queira tornar a pesquisa mais objetiva.

OUTROS MARES

Mergulhe mais fundo no www.jboscocartuns.com

quarta-feira, 27 de abril de 2011

RESGATE

Deve terminar esta semana o resgate do barco Ferreira V, da empresa de pesca Femepe, que naufragou na costa de Barra Velha em 14 de março. Peças da traineira de 24 metros são trazidas à tona com a ajuda de balões. O plano de resgate precisou ser aprovado pela Capitania dos Portos de Itajaí. A embarcação está a mais de 30 metros de profundidade, o que dificulta a retirada dos destroços. O naufrágio resultou na morte do pescador Airton Agenor da Costa, que ficou preso na cabine do Ferreira 5. O corpo dele foi retirado pelos bombeiros na semana seguinte ao desaparecimento do barco.
Foto Denise Félix/RBSTV

terça-feira, 26 de abril de 2011

MAR ESTRADA

Foto DC
Um catamarã com capacidade para 120 pessoas encontra-se desde ontem no Clube Veleiros da Ilha, na Baía Sul, em Florianópolis. A ideia do prefeito Ronério Heiderscheidt, de Palhoça, é fazer uma pequena viagem para mostrar a viabilidade do Sistema de Transporte Marítimo na Região Metropolitana de Florianópolis. –Queremos fazer este passeio inaugural até amanhã, pois a embarcação está de passagem por Santa Catarina – explica o prefeito. Da frota da Marinha Brasileira, o catamarã tem como destino a base do Centro de Lançamento da Aeronáutica, em Alcântara, no Maranhão. Desde ontem a prefeitura de Palhoça tenta a documentação necessária para o passeio, que deve reunir políticos, empresários e jornalistas. A saída está prevista para as 10h, e o itinerário, de acordo com o prefeito, será definido pela Capitania dos Portos. O passeio deve durar até uma hora e meia. A princípio, embora dependa também das condições do tempo, o catamarã deve sair da Capitania dos Portos, perto da Ponte Hercílio Luz, no sentido Palhoça. Dali, em direção a São José e Florianópolis. Da Capital, a embarcação ruma para Biguaçu e Governador Celso Ramos, retornando para a Beira-Mar Norte, e atracando na Capitania dos Portos, na Capital. – Este será o pontapé inicial para a criação do Sistema de Transporte Marítimo. Queremos sensibilizar as autoridades políticas e empresariais, mostrando que a viabilidade existe – diz o prefeito de Palhoça. Na solenidade, deve acontecer a assinatura do protocolo de intenções com os prefeitos de Palhoça, Florianópolis, São José, Biguaçu e Governador Celso Ramos. Também são esperadas as assinaturas do documento, do governador Raimundo Colombo, do presidente da Assembleia Legislativa, Gerson Merisio, e dos cinco presidentes das Câmaras de Vereadores dos municípios envolvidos. O protocolo de intenções para a implantação do Sistema de Transporte Marítimo está sendo elaborado pela prefeitura de Palhoça, fundamentado no projeto de lei do Executivo e sancionado pelo prefeito Ronério Heiderscheidt em novembro de 2010. (Do DC - www.diario.com.br)

LÁ NO FUNDO

Foto Thesupermat
PEIXE SAPO: UM CANIBAL VORAZ
O peixe sapo – Antennarius multiocellatus – é um membro da família dos Antennariidaes, que habitam os mares tropicais e subtropicais com exceção do Mar Mediterrâneo. Eles vivem em superfícies de recifes corais, próximos a áreas de esponjas. De aspecto rústico, ele é considerado um peixe de pequeno porte, medindo no máximo 20 centímetros. São roliços e possuem a pele bem grossa, graças às suas escamas que recebem o nome de espículas dérmicas e que se assemelham a espinhos. Podem ter uma coloração bem diversificada, indo de um amarelo pálido até um vermelho ou verde escuro brilhante, além de algumas manchas espalhadas pelo corpo. Seus olhos são pequenos e sua boca bem grande, direcionada para cima. Suas aberturas branquiais também são menores e ficam localizadas atrás das barbatanas peitorais. Utilizam de sua aparência incomum para se camuflarem nas esponjas do mar. Sua alimentação é de pequenos peixes e crustáceos, mas devido a sua voracidade de apetite, pode chegar a comer qualquer peixe até duas vezes o seu tamanho. O canibalismo é bastante frequente na maioria dessas espécies, e por isso, o peixe sapo não é indicado para ser criado em aquário. No máximo, ele pode ser conservado em tanques de espécies, com outros peixes de porte grande.

sexta-feira, 22 de abril de 2011

E A "BAMBU" SUMIU...

Foto Andrea Ramos
"Bambu" no Pântano do Sul
Foto Milton Ostetto
"Bambu" no mar da praia da Armação
A arara "BAMBU", que mora na Pousada Sítio dos Tucanos, na Costa de Dentro, e costumava voar todos os dias até a praia do Pântano do Sul e a da Armação, onde era atração quando disputava peixes com os urubus e dava grandes rasantes sobre o mar, está desaparecida desde o último domingo, dia 17. Naquele dia ela não voltou para casa, como fazia todos os dias.Nas duas praias, todos já estão preocupados e sentindo a falta de tão ilustre visitante.
Ela tem as seguintes características: *Ela é uma Arara Canindé. *Anilha Fechada: PU-08-064 *Registrada no IBAMA N° 17767189. Gerta May, da pousada, pede a todos que já conhecem e gostam da "Bambu", que a ajudem a achá-la. Qualquer informação pode ser dada pelo fone (48)3237-5084 ou a policia, que já está ciente do desaparecimento.

terça-feira, 19 de abril de 2011

AMEAÇA NO MEDITERRÂNEO

Foto Divulgação
Atum-Azul, um dos mais ameaçados
Um novo estudo afirma que 40 espécies marinhas que vivem no Mediterrâneo podem desaparecer dentro de poucos anos. Na lista dos que correm risco de extinção, devido à pesca irregular, poluição e perda de habitat, estão o tubarão e a raia e mais 12 tipos de peixes ósseos como atum-azul, robalo, pescada e garoupa. O relatório é assinado pela organização suíça IUCN (International Union for Conservation of Nature), que reúne ambientalistas de mil grupos espalhados em 160 países. "As populações do atum-azul no Mediterrâneo e no Atlântico Leste são uma preocupação em especial", diz o coordenado Kent Carpenter, da IUCN. Segundo ele, a capacidade de reprodução do atum-azul diminuiu ao longo das últimas quatro décadas de pesca intensiva por barcos japoneses. O Japão responde por 80% do consumo de peixes das duas regiões. O atum-azul, além de ser muito apreciado no preparo de sushi, é comercializado por preços elevados. Um com 342 kg já foi negociado por US$ 396 mil no mercado de Tsukiji, o maior leilão de peixes do país. A pesca no Mediterrâneo é regulada por tratados das Nações Unidas, a União Europeia e leis individuais assinadas com 21 nações. Em novembro de 2010, a Comissão Internacional de Conservação de Atum do Atlântico votou pela redução anual de 4% da pesca --de 12.900 para 13.500 toneladas métricas. Os ambientalistas, contudo, afirmam que a medida não é suficiente e defendem a suspensão total da pesca. (Da Associated Press)

DEU NO JORNAL

"TORCIDA – Tem mané da Ilha nervoso, rezando pra chegar o frio e, com ele, as tainhas."
(Da coluna do jornalista Cacau Menezes no DC de hoje, 19/4/11)

segunda-feira, 18 de abril de 2011

SOB AS ÁGUAS

Foto Divulgação
Uma mochila voadora que permite voar a até 8,5 metros de altura, com velocidade máxima de 35 km/h, é o que garante o fabricante da Jetlev Flyer, recentemente lançada. Ao contrário do que esses números podem sugerir, é uma brincadeira segura. Isso porque a Jetlev não usa um motor. Ela é impulsionada por um potente jato d’água, que tem 500 libras de pressão - força suficiente para sustentar o peso do aparelho (14 kg) e o do usuário. Essa pressão toda é gerada pelo módulo propulsor, que parece um jet-ski e fica flutuando na água - ele tem um compressor interno, que empurra a água e fica conectado à mochila por uma mangueira de 10 metros. A mangueira dá uma boa liberdade de movimentos, mas ao mesmo tempo evita que o usuário tente voar sobre terra firme, o que poderia ser perigoso. Isso porque, por segurança, a Jetlev só pode ser usada dentro d’água - em lagos, rios ou no mar. Mesmo em caso de pane súbita no compressor, o que é altamente improvável, o fato de estar na água proporcionaria uma queda relativamente segura (a altura máxima alcançada pela Jetlev é menor que a de um trampolim olímpico). O voo é controlado por dois joysticks nas laterais do aparelho. Segundo seus criadores, ele pode ser pilotado por qualquer pessoa. Mas, durante as primeiras 15 horas é preciso estar acompanhado de um instrutor. O treinamento pode ser acertado com o fabricante: a empresa MS Watersports GmbH, que fica no norte da Alemanha. A Jetlev Flyer só é vendida por encomenda, e custa 129 mil euros.
(Com informações do IG e BBC Brasil)

sexta-feira, 15 de abril de 2011

Ú Ú Ú ÚÚÚ!!!

Foto Fernando Alexandre
A PRIMEIRA TAINHA DO ANO
As tainhotas e os Paratis - que antecedem as tainhas - ainda não chegaram à praia do Pântano do Sul este ano. Mas ontem o Ademir da Lapa, pescador dos mais experientes, voltou de seu cerco -rede fixa que fica fora da praia - com uma bela de uma "cabeçuda" de quase 2 quilos. E ovada. A primeira tainha desta safra foi escalada (aberta pelas costas) e assada no forno para o almoço da família. Faltou tainha. As ovas foram separadas e logo depois fritas para rechear o pão de trigo que acompanha sempre o café da tarde.

quinta-feira, 14 de abril de 2011

ESTIVADAS

Foto Fernando Alexandre

LUMINOSOS

Fotos Joshua Lambus
O fotógrafo Joshua Lambus, de 25 anos, costuma documentar minúsculos animais marinhos luminosos no Mar do Havaí durante mergulhos em águas profundas na região. A coleção impressionante de imagens produzidas por Lambus inclui águas-vivas, polvos, lulas, camarões e diversos tipos de peixes brilhantes. Boa parte deles tem até quatro centímetros de comprimento. Os animais foram encontrados a grandes profundidades na costa da ilha Havaí, a maior do arquipélago. Segundo Lambus, as fotos são tiradas em mergulhos noturnos. De barco, ele vai até cerca de cinco quilômetros longe da costa e mergulha na completa escuridão. O fotógrafo acumula imagens feitas durante mais de 400 mergulhos em águas profundas. Ele diz que "falta de luz e de referências é o mais próximo que posso imaginar de estar no espaço". (Da BBC Brasil)

quinta-feira, 7 de abril de 2011

Peixes mais caros

Foto Arquivo
Com a proximidade da Quaresma e Semana Santa, os preços dos pescados estão bem mais caros em comparação a 2010. Segundo o IBGE, a alta chegou a 8,89% nos últimos 12 meses. Mas no Norte do Estado, o aumento é maior. Nas peixarias de Joinville, o quilo do pescado aumentou até 15%. E em São Francisco do Sul, segundo pesquisa feita pelo Procon local, a alta média foi de 21,3%. Dados do Grupo de Estudos Pesqueiros da Univali apontam para uma queda de 15,9% na produção pesqueira no Estado. Entre janeiro e março, foram pescadas 21,8 mil toneladas, 15,9% a menos do que no mesmo período de 2010. Para o Sindicato das Indústrias da Pesca (Sindipi), a queda na produção ocorreu por causa da baixa nos preços – na última Páscoa, os preços foram 37% menores do que as de 2009 – que fez com que os pescadores saíssem menos para o mar com o objetivo de forçar uma alta nos preços.
(Com informações do AN/ IBGE)

Tragédia no Mar

Após o naufrágio de um barco com imigrantes ilegais africanos próximo à Ilha de Lampedusa, na Itália, estimativas indicam que até 250 podem estar desaparecidos. A Guarda Costeira italiana localizou 15 corpos e resgatou 48 sobreviventes ontem. O número de desaparecidos, no entanto, é controverso. A Itália estima que o barco, de 13 metros de comprimento, levava 200 imigrantes, enquanto a Organização Internacional de Imigração afirma que mais de 300 pessoas estavam na embarcação. Pelo menos 130 pessoas estão desaparecidas, possivelmente mortas, mas as autoridades locais afirmam que não perdem a esperança de resgatar mais náufragos vivos. Pietro Carosia, oficial da Guarda Costeira da Itália, disse que as operações de resgate incluem helicópteros italianos, barcos de patrulha e um avião enviado pelo governo de Malta, mas são dificultadas por ventos fortes e mar revolto. De acordo com o oficial, o barco tinha zarpado da Líbia e trazia imigrantes de Bangladesh, Chade, Costa do Marfim, Nigéria, Somália e Sudão. Há indícios, também, de que muitos a bordo sejam imigrantes ilegais partindo da Tunísia. Segundo outra versão, divulgada por diversos jornais, a maioria seria de eritreus e somalis. A embarcação naufragou a cerca 70 quilômetros da pequena Ilha de Lampedusa, segundo as autoridades italianas. A ilha, que fica mais próxima do norte da África do que da Itália continental, sofre uma crise humanitária com uma onda de imigração de tunisianos. Desde janeiro, a ilha, que tem apenas 5 mil habitantes, já recebeu mais de 20 mil imigrantes ilegais. Sem espaço nos abrigos, milhares ficaram em barracas improvisadas ou nas ruas. Os imigrantes, que viajavam em embarcações superlotadas, haviam pedido ajuda através de um telefone por satélite, segundo a imprensa italiana. Duas lanchas da Guarda Costeira e um helicóptero da Guarda de Finanças responderam ao pedido de socorro às 4h hora local (23h de terça-feira em Brasília). As condições adversas do mar dificultaram as tentativas de resgate dos imigrantes, que acabaram caindo no mar durante as operações, segundo explicaram fontes da Capitania dos Portos. De acordo com a Organização Internacional de Migração (IOM, na sigla em inglês), apenas duas de cerca de 40 mulheres a bordo sobreviveram. – Os sobreviventes estão em estado de choque. A ilha, que tem apenas 5 mil habitantes, não tem estrutura para abrigar tantos imigrantes. Há três semanas, um barco com 35 imigrantes vindos da Tunísia naufragou a caminho do continente europeu, e ainda não se sabe o que aconteceu com seus passageiros. De acordo com a associação humanitária Fortress, 3.616 pessoas morreram no Mar Mediterrâneo entre 2006 e 2008 tentando chegar à costa da Europa. - Pelo menos 2 mil refugiados dos conflitos na Somália e Eritreia chegaram em precárias embarcações à Itália, entre elas uma mulher que deu à luz em uma balsa, enquanto outra perdeu seu bebê.
(Com informações da BBC e AFE)

terça-feira, 5 de abril de 2011

NA PRAIA

Foto DC
Um carro Fiat Uno incendiado foi abandonado dentro do mar da Praia da Joaquina, em Florianópolis. Totalmente destruído, o carro está no local há cerca de duas semanas. Ele teria atolado na areia e, enquanto o motorista foi buscar ajuda, vândalos teriam ateado fogo ao veículo. Outra possibilidade, apontada por moradores, é que seja um veículo roubado, que foi queimado e abandonado no local. O curioso, neste caso, é que até a tarde de ontem, a Polícia Militar não tinha nenhuma informação sobre o caso.