quinta-feira, 31 de março de 2011

PALAVRAS AO MAR

Um menino russo de 13 anos encontrou uma mensagem em uma garrafa lançada ao mar por uma criança alemã há 24 anos. Daniil Korotkikh encontrou a garrafa de cerveja em uma praia perto da região de Kaliningrado, na Rússia, no começo de março. Dentro da garrafa estava a mensagem de Frank Uesbeck, 5. "Meu nome é Frank e tenho cinco anos de idade. Meu pai e eu estamos viajando em um navio para a Dinamarca. Se você encontrar esta carta, por favor, me escreva e eu responderei a você", dizia a mensagem. O pai de Korotikikh traduziu a mensagem do alemão e a data era de 7 de setembro de 1987, de acordo com o jornal russo "Komsomolskaya Pravda". "Quando eu estava caminhando, vi uma garrafa nas dunas e vi que tinha um bilhete dentro. Parecia interessante, uma garrafa de cerveja com uma tampa de cerâmica e a mensagem dentro", disse Korotkikh ao canal de televisão russo NTV. 'Poucas pessoas são sortudas o bastante para encontrar uma mensagem em uma garrafa", acrescentou o menino. A mensagem estava cuidadosamente embalada em papel celofane, fechado com um esparadrapo. Além da mensagem, Uesbeck também colocou o endereço para receber uma resposta, na cidade de Coesfeld, na Alemanha. Uesbeck agora é um bancário casado de 29 anos e seus pais ainda moram no endereço indicado na mensagem. "Inicialmente, eu não acreditei", disse Uesbeck ao comentar sobre a resposta que recebeu de Daniil Korotkikh. O bancário conta que mal se lembrava da viagem na qual lançou a mensagem ao mar. Seu pai tinha escrito a carta. Uesbeck e Korotkikh conseguiram entrar em contato por meio de um link de vídeo, pela internet e o menino russo mostrou a garrafa onde ele encontrou a carta e a mensagem, que ele colocou em uma moldura. O bancário enviou a Korotkikh seu novo endereço e prometeu escrever de volta quando receber a carta do menino russo. "Ele definitivamente vai receber outra carta minha", disse Uesbeck. "É realmente uma história maravilhosa e, quem sabe? Talvez, um dia, poderemos nos encontrar, pessoalmente." Korotkikh, por sua vez, disse que não acredita que a garrafa tenha passado todos estes 24 anos no mar. "Não teria sobrevivido este tempo todo na água", afirmou. Para o menino russo, a garrafa ficou escondida na areia da praia onde ele a encontrou, entre a Rússia e a Lituânia. (Com informações da BBC Brasil)

NA MEMÓRIA DAS ÁGUAS TURVAS

Prá não esquecer de 31 de março de 1964

VIAJANDO...

Foto Ivan Messiano, nosso colaborador itinerante por muitos mares.

MAR DE PARANAGUÁ

MAR DO JAPÃO

quarta-feira, 30 de março de 2011

MAR RADIOATIVO

Foto Nunsey Quemfoy
Um nível de iodo radioativo 3.355 vezes superior ao normal foi detectado na água do mar recolhida a 300 metros da central nuclear de Fukushima, no nordeste do Japão, informou nesta quarta-feira (noite de terça-feira no Brasil) a agência Jiji Press. A água do mar analisada tem o nível de iodo 131 mais alto desde o início da crise nuclear em Fukushima, inundada por um tsunami em 11 de março passado. O problema é provocado, provavelmente, porque a água utilizada para resfriar os reatores nucleares vazou para o mar. Na terça-feira, os governos da China, da Coreia do Sul e dos Estados Unidos detectaram radiação procedente de Fukushima. Na China, vestígios de Iodo-131 radioativo foram detectados nas províncias costeiras do sudeste do país, de Xangai a Guangxi, assim como em Anhui, segundo o ministério do Meio Ambiente. De acordo com o governo, não era necessária a adoção de nenhuma medida de proteção. Além disso, o ministério da Saúde pediu às autoridades de 14 regiões, incluindo Pequim e Xangai, que façam análises de radioatividade na água e nos produtos consumidos pela população. Na Coreia do Sul, vestígios de iodo radioativo foram detectados em Seul e em outros sete lugares do país, mas em quantidades muito pequenas que não representam perigo para a saúde pública e o meio ambiente. O governo sul-coreano iniciou uma análise dos peixes pescados no país para detectar uma possível contaminação. Já nos Estados Unidos, vestígios da radioatividade que vazou da central nuclear foram encontrados na água da chuva no nordeste do país. No entanto, não há riscos para a saúde, informou a agência americana de proteção do meio ambiente (EPA). O nível de radioatividade alterado foi verificado na água da chuva dos Estados da Pensilvânia e Massachussets, segundo o órgão. A EPA também encontrou níveis de radiação mais altos que o habitual em Ohio, no Norte.
(Com informações da BBC Brasil e Reuters)

terça-feira, 29 de março de 2011

NA TARRAFA

Foto Ivan Messiano
No costão da Solidão - Rio das Pacas

MAR ANTIGO

Foto Professor Derek Siveter/Oxford University
Um fóssil de 525 milhões de anos descoberto na província chinesa de Yunnan contém detalhes anatômicos raros de uma criatura marinha, o Galeaplumosus abilus, que pertence ao filo dos hemicordados. Bem preservado, o fóssil possui uma carapaça que protege partes mais delicadas como vários pares de tentáculos que foram usados para coletar alimentos --os plânctons. A descoberta, retratada na versão on-line do "Current Biology", pode dar indicações sobre a evolução dos vertebrados.

sábado, 26 de março de 2011

MAR BOLIVIANO

Mesmo sem ter mar, a Bolívia tem uma Marinha, navios de guerra e comemora todos os anos, dia 23 de março, o "Dia do Mar Boliviano". Ou seja: "Dia do (não) Mar". A Bolívia perdeu seu acesso ao mar há 132 anos na Guerra do Pacífico (1879-1884). Mas não desistiu. Outros paises "interiores", como Cazaquistão e Azerbaijão possuem navios de guerra no isolado mar Cáspio. A Suíça (na Europa) e o Burundi (na África) também.

(Informação via www.conjuminando.com.br )

OUTROS MARES

Barcos Baianos
Foto Ivan Messiano, nosso colaborador itinerante, diretamente da Praia do Forte - Bahia.

NO CAMPO

Foto Reuters
Um golfinho foi resgatado de um campo de arroz inundado em Sendai, no Japão. Dois japoneses encontraram o animal após ele se enroscar em uma rede. Ele teria sido levado à região pelo tsunami que atingiu a costa nordeste do Japão.

quinta-feira, 24 de março de 2011

AO MAR

Foto Roberto Akira
Uma tartaruga da espécie verde capturada por pescadores da Barra da Lagoa no dia 1° de março foi solta ontem, às 15h30min, pela equipe do Projeto Tamar em Florianópolis. A bióloga Camila Trentin Cegoni disse que o animal caiu na rede e os pescadores avisaram logo os socorristas do projeto. A tartaruga, cujo nome científico é Chelonia mydas, aparenta ter cinco anos de idade, mede 40 centímetros e pesa 7,5 quilos. – Fizemos vários exames. Só volta quem está realmente apta. Camila explica que a colaboração dos pescadores é essencial para o projeto, já que é comum a apreensão, sem querer, de tartarugas em redes de pesca artesanal. Antes de ser liberado, o réptil recebe um chip nas nadadeiras. Em caso de uma nova captura, pode fornecer informações sobre seu estado de saúde. Cerca de cem pessoas acompanharam a soltura. Entre eles, estudantes de Oceanografia da UFSC. Os veteranos resolveram levar os calouros para a soltura como uma espécie de trote solidário. Quando a tartaruga entrou no mar e foi coberta por uma onda, todos que assistiam “à verdinha” voltar para casa bateram palmas. Projeto Tamar - Visitação: todos os dias. - Horário: das 9h30min às 17h30min. - Valor: R$ 8 e R$ 4 para estudantes. - Isentos: crianças até 12 anos e pessoas acima de 60 anos - Escolas podem agendar as visitas pelo telefone (48) 3236-2015. Mais informações podem ser encontradas no site: www.tamar.org.br/cv–sc–barradalagoa.php.
De olho na cabeçuda
Desde 18 de dezembro de 2010, a equipe do Projeto Tamar de Florianópolis monitora – por meio de um transmissor fixado no casco – a tartaruga macho da espécie cabeçuda devolvida ao mar. De acordo com a bióloga do Projeto Tamar de Florianópolis, Camila Trentin Cegoni, a tartatura, apelidada de “careto”, está no Sul do litoral do Rio Grande do Sul, na altura da cidade de Rio Grande. A tartaruga havia sido encontrada em Araquari, no Litoral Norte, encalhada com uma linha de pesca saindo pela cloaca. Ela foi levada para o Projeto Tamar, onde passou por uma cirurgia para a retirada do anzol. O transmissor, obtido graças a uma parceria com a Administração Norte-americana de Oceanos e Atmosfera, foi colocado para os cientistas descobrirem mais informações sobre o modo de vida da tartaruga cabeçuda. Os dados sobre as rotas migratórias e hábitos alimentares dos machos são raros no mundo todo.
(Com informações do DC e Projeto Tamar - www.diario.com.br )

Em Domicílio...

Foto MPA
Uma peixaria móvel, com pescados a preço de custo, começou a circular ontem pelas ruas de São José, na Grande Florianópolis. Os peixes são comercializados em um caminhão equipado com câmara frigorífica, câmara de resfriamento, balcão de vendas, expositor e balança digital. O produto, congelado e limpo, vem de um frigorífico de Itajaí. A colônia de pescadores de São José, a Z-28, administra o caminhão, cedido pelo Ministério da Pesca, por meio de parceria com os municípios, que pagam a manutenção e os funcionários do caminhão. – O objetivo é aumentar o consumo de pescado. Vamos montar uma cooperativa para processar e vender o peixe para o caminhão, sem precisar comprar do frigorífico – disse o técnico agrícola Reinaldo Donizeti Pereira, da prefeitura de São José. Segundo Donizeti, a atividade não é lucrativa e é possível vender a preço de custo por não haver atravessador. – O peixe é vendido 50% mais barato. O quilo da sardinha sai a R$ 2, por exemplo – contou o técnico. Ontem, a peixaria móvel estava em frente à Igreja Matriz de Forquilhinhas, vendendo gordinho, filé de pescadinha, espada em posta, sardinha, mistura de vários tipos de peixe, linguado, pescadinha, casquinha de siri. A cada dia, a peixaria estará em um local, das 7h30min ao meio-dia.
O Roteiro do caminhão - Hoje Horto Florestal - 25/3 Posto de Saúde de Forquilhas - 26/3 Igreja Católica Loteamento Los Angeles - 29/3 Igreja Católica do Sertão do Imaruí - 30/3 Igreja Católica da Colônia Santana - 31/3 Escola Isolada de Alto Forquilhas - 1º/4 Escola Municipal Ceniro Martins - 2/4 Drive-in do Artur, na Vila Formosa Informações pelo telefone (48) 3321-0040 (Gabriela Rovai no DC de hoje: www.diario.com.br )

domingo, 20 de março de 2011

OUTONO OUTUDO

Fotos Fernando Alexandre
Vai ter de tudo na estação que começa hoje: as chuvas devem diminuir, mas são esperadas ondas de calor intenso, e também geadas e até neve. É o que indica a previsão do tempo para o outono, que começa hoje às 20h21min. As temperaturas vão diminuindo aos poucos e o frio começa a ser sentido entre os meses de abril e maio. Na nova estação, pode acontecer de tudo um pouco: calor intenso – formando os veranicos –, ocorrência de geadas e até mesmo um pouco de neve, no Planalto Sul, de acordo com a Epagri/Ciram. Depois de um verão bastante chuvoso, onde as médias de chuva chegaram a 400mm em 30 dias, principalmente entre o Norte e o Litoral do Estado, o tempo volta a ficar mais seco. Deve chover de 100mm a 160 mm por mês. O fenômeno La Niña volta a atuar em SC, mas com intensidade fraca. Com ele, o clima fica mais seco e a chegada do frio é antecipada para o final de abril. Diferente do verão, quando os catarinenses sentiram influência direta da umidade da Amazônia e das águas quentes do Oceano Atlântico. As temperaturas nos três primeiros meses do outono devem ficar na média ou abaixo dela. Na região de Florianópolis, as mínimas costumam marcar 21ºC em março, 18ºC em abril e 15ºC em maio. Já as máximas ficam entre os 28º e 23ºC. (Com informações do http://www.diario.com.br/)

sexta-feira, 18 de março de 2011

clic que cresce

Super Lua

Foto Stúdio Infinitus Uma lua cheia 14% maior e 30% mais brilhante: é a lua que nos espera amanhã, sábado, 19 de março de 2011. Trata-se da maior Lua Cheia das duas últimas décadas e o fenômeno é chamado de ‘Apogeu Lunar’, quando o satélite natural vai chegar ao ponto mais próximo da Terra desde 1992, numa distância de 221,567 milhas da órbita. O fenômeno é considerado o mais relevante assunto sobre “supermoons”, e está conectado com manifestações extremas do clima como terremotos, vulcões e tsunamis. A última vez que a lua passou mais perto da Terra, mas não tanto, foi em 10 de janeiro de 2005, data próxima aos terremotos na Indonésia. Previsões de ‘supermoons’ aconteceram em 1955, 1974 e 1992, e em cada um destes anos tivemos a experiência de fortes manifestações climáticas.

quarta-feira, 16 de março de 2011

terça-feira, 15 de março de 2011

ALERTA NO MAR

Foto Fernando Alexandre
A Epagri/Ciram, órgão responsável por monitorar as condições climáticas em Santa Catarina, divulgou na tarde de ontem, segunda-feira, um alerta sobre as condições do mar no litoral do Estado. As ondas podem chegar a dois metros de altura perto da costa catarinense. No Sul da Ilha de Santa Catarina, as praias da Armação e Pântano do Sul podem ser as mais atingidas. O mar permanece agitado e há possibilidade de ressacas na faixa litorânea nesta terça-feira. Em pontos mais afastados da costa, a altura das ondas pode chegar aos quatro metros. O vento também está mais intenso, soprando de sul/sudeste com rajadas que chegam aos 55 quilômetros por hora. Segundo a Epagri, atividades de pesca e navegação de pequenas e médias embarcações estão desaconselhadas.

segunda-feira, 14 de março de 2011

Naufrágio no Norte

O barco pesqueiro de madeira que naufragou na costa de Santa Catarina, próximo à Itajaí, no Litoral Norte, neste domingo, deve ser retirado da água ainda hoje. Os mergulhadores do Corpo de Bombeiros de Barra Velha devem ajudar no resgate do único pescador ainda desaparecido, Airton Agenor da Costa. O barco, Ferreira V, virou com 15 pessoas a 15 milhas da Ilha dos Remédios. O Major César Nunes, dos Bombeiros de Barra Velha, acredita que o único passageiro ainda não encontrado tenha ficado preso nas ferragens da embarcação. Os mergulhares do corpo de bombeiros aguardam na Capitania dos Portos, em Itajaí, a empresa contratada para içamento do barco, que está a 36 metros de profundidade. As novas buscas devem começar a qualquer momento, ainda pela manhã de hoje.
(Com informações de A Notícia)

domingo, 13 de março de 2011

O SUMIÇO DOS PINGUINS

Foto Antero Penha
A redução do gelo na Antártida, originada pelo aquecimento global, pode explicar o desaparecimento inédito de uma colônia de pinguim-imperador que vivia no extremo da península antártica, noticiou o site LiveScience na última quinta-feira. Os animais se reuniam na ilha Imperador e foram avistados pela primeira vez em 1948. Até os anos de 1970, tinham uma vida relativamente estável, mas sofreram uma queda populacional em 1978. Em 2009, porém, eles haviam sumido completamente. Segundo o autor da pesquisa, Philip Trathan, a causa do fenômeno ainda é desconhecida. Os pinguins podem ter morrido naturalmente ou por consequência de alguma doença. Outra hipótese é que teriam migrado e mesmo o aumento na temperatura afetaria indiretamente os pinguis, diminuindo sua capacidade de pescar ou aumentando a presença de predadores naturais. O pinguim-imperador costuma retornar ao local de seu nascimento depois de um ano, mas também se move para outras regiões caso haja uma mudança no gelo ao redor. O gelo antártico, sobre o oceano, é importante para esses animais. Como estão ligados a camadas geladas da costa, não se movimentam com a ação do vento ou das ondas, o que torna o lugar seguro para a sua procriação. Trathan especula que os pinguins, nascidos no fim da década de 1970 e com uma expectativa de vida de cerca de 20 anos, voltaram seguidamente à ilha, como mandavam seus instintos, até que os grupos começaram a ficar cada vez menores, chegando à extinção. Uma pesquisa publicada na revista PNAS ("Proceedings of the National Academy of Sciences"), em 2009, afirma que há 36% de chances de a população do pinguim-imperador sofrer com a diminuição do gelo do oceano. Ou o mesmo que uma redução de até 95% ou mais de sua espécie até 2100 --praticamente o desaparecimento da espécie.
(Com informações da BBC e AP)

quinta-feira, 10 de março de 2011

O TITÃ OCEANUS

Mosaico Romano de Oceanus, sec. III DC.
Na mitologia grega, Oceano era o imenso rio que rodearia a Terra, personificado pelo titã de mesmo nome, filho de Urano( Céu) e Gaia(Terra). Tinha o corpo formado por um torso de homem, garras de caranguejo, chifres na cabeça e grande barba, terminando em cauda de serpente.
Alguns estudiosos consideram que Oceano representava originalmente todas as massas de água salgada, incluindo o Mediterrâneo e o Oceano Atlântico, as duas maiores massas conhecidas pelos antigos gregos. Contudo, com a evolução dos conhecimentos geográficos, Oceano passou a representar apenas as águas desconhecidas do Atlântico (também chamado de "Mar Oceano"), enquanto Poseidon(Netuno) reinava no Mediterrâneo. Da união entre Oceano e sua irmã Tétis, foram originadas as ninfas dos mares ou Oceânidas, entre elas Anfitrite, mãe de Tritão, as Nereidas, os rios, além de todos os seres marinhos, que tomavam parte ativa nas aventuras dos deuses, como os golfinhos.
Os Titãs – masculino – e Titânides – feminino -estão entre a série de deuses que enfrentaram Zeus(Jupiter) e os deuses olímpicos na sua ascensão ao poder. Oceano, tal como Prometeu e Têmis, não se juntou aos seus outros irmãos titãs nesta guerra e também teria recusado a se aliar com Cronos (Saturno) para combater seu pai Urano.
Por isto Oceano era considerado cortês e profundamente sábio, pois sendo o senhor do rio universal, não necessitava subir ao Olimpo para conhecer os desígnios de Júpiter. Podendo ver o futuro nefasto dos outros Titãs, aconselhou sua filha Estige a se pôr a serviço de Júpiter. Deste modo ela foi honrada. Suas inúmeras filhas são personificações da sabedoria e das leis que dominam o cosmos: Métis "o conhecimento", Tiké "a fortuna" e Plutó "a riqueza". As Néfeles, outras filhas suas, eram ninfas deusas das nuvens. Por isso os gregos apelidaram as nuvens de "Jardins de Oceano", pois consideravam que nasciam no horizonte ilimitado, a morada do deus.

quarta-feira, 2 de março de 2011

CAMINHOS DO MAR

Foto Tomorrendo Dimedo
Tubarão-Tigre Tubarões usam ‘mapas mentais’ para se localizar Pesquisadores dos Estados Unidos dizem que algumas espécies de tubarão conseguem fazer “mapas mentais” que os ajudam a percorrer longas distâncias com precisão impressionante. “Eles sabem onde estão indo”, disse o cientista Yannis Papastamatiou, do Museu de História Natural da Flórida, um dos autores do estudo publicado no Journal of Animal Ecology. Os pesquisadores rastrearam eletronicamente 32 tubarões de três espécies diferentes por um período variando entre sete e 72 horas. Eles concluíram que os tubarões-tigre e os tubarões-raposa seguiram caminhos pré-estabelecidos para locais específicos. Já os tubarões gália preta nadaram distâncias muito mais curtas e de forma aparentemente aleatória. Viajantes Os tubarões-tigre foram os que demonstraram maior capacidade de se localizar. Uma pesquisa anterior, realizada no Havaí, já havia mostrado que animais desta espécie nadaram por canais profundos até locais ricos em alimentos a 50 quilômetros de distância. Segundo o novo estudo, o “movimento dirigido” mostra que aquele terreno é conhecido dos tubarões, já que eles têm interesse em preservar energia indo diretamente ao seu destino, onde podem encontrar comida, por exemplo. Ainda não se sabe ao certo, no entanto, como funciona exatamente esse mecanismo. Os pesquisadores acreditam que os tubarões podem usar sinais das correntes oceânicas, temperatura da água e cheiros para se localizarem. A navegação usando como base os campos magnéticos da Terra também seria uma possibilidade. “Eles (os tubarões) precisam ter um sistema de navegação muito bom, porque as distâncias são muito longas. O tipo de sistema que eles usam ainda é questão para debate, mas o fato de que muitos desses percursos aconteceram à noite abre a possibilidade de que eles estejam se orientando a partir de campos magnéticos”, disse Papastamatiou.
(Da BBC-Brasil www.bbcbrasil.com.br)