quinta-feira, 19 de novembro de 2015

FAROL DAS CONCHAS - ILHA DO MEL

Foto Nunsey Diquem
Mandado construir em 1870 pelo Barão de Cotegipe, durante o reinado do imperador D. Pedro II, o Farol, feito de ferro fundido, com uma altura de 18 metros, vindo de Glasgow – Escócia, orienta os navegantes através do seu piscar desde 1º de abril de 1872. Localizado no alto do Morro das Conchas, pode ser avistado de quase todos os pontos da Ilha do Mel, da mesma forma que lá de cima se pode observar quase toda a Ilha e região. Uma escada com quase 140 degraus leva até o alto do morro. Situada na embocadura da Baia de Paranaguá, no estado do Paraná com uma área de 2.700 ha, dos quais apenas 200 têm permissão de uso - o restante é reserva ecológica (tombada pelo Patrimônio Histórico em 1975, é administrada pelo Instituto Ambiental do Paraná desde 1982) a Ilha do Mel possui um restrito programa de manejo.
Não é permitida a
tração animal ou a motor, não existindo ruas, apenas trilhas. Com belíssimas praias, grutas e uma fortaleza construida em 1769, a Fortaleza Nossa Senhora dos Prazeres, a Ilha é um dos principais pontos de visitação turística do litoral do Paraná.

O aparecimento de um mapa constante do “Livro de Toda a Costa da Província Santa Cruz”, feito por João Teixeira Albbernas - Anno D. l666 e que se encontra na mapoteca do Ministério das Relações Exteriores, onde a Ilha já aparece com a denominação de Ilha do Mel, praticamente desvendou o mistério sobre o seu nome. No século passado a Ilha também era conhecida como “Ilha da Baleia”, talvez pelo seu formato.

Várias outras versões circulam no imaginário da ilha para a origem de seu nome: - A existência de uma família de origem alemã que habitava a região da Fortaleza, e onde havia um engenho para produção de farinha de mandioca.


Farinha em alemão, escreve-se “mehl”;
- A cor da água do mar vista do alto do Morro das Conchas
– Farol, principalmente no início da Praia do Farol (Paralelas); 
- A lua-de-mel que os escravos mais fortes desfrutavam com várias negras, onde os mesmos eram deixados na Ilha por vários dias, para a reprodução, no século passado;
- Antes da Segunda Guerra Mundial a ilha era conhecida coma a ilha do Almirante Mehl que se dedicou à apicultura e cuja família lá freqüentava; 
- Marinheiros aposentados viviam na Ilha e dedicaram-se à apicultura, produzindo uma quantidade tamanha que chegaram a exportar o produto até os anos 60;
- A água doce existente na ilha contém mercúrio. Em contato com a água salgada isto causa uma coloração amarela, semelhante à cor de favos de mel; e os índios Carijós que viviam na região e apreciavam muito o mel de abelhas.

Nenhum comentário: