sábado, 27 de junho de 2009

São Pedro no Pântano do Sul

Esta é a programação da Festa de São Pedro para hoje e amanhã.
Dia 27/06 - Sábado
18:00 - Procissão com a imagem pelas ruas da comunidade
18:30 - Missa festivaTerminada a Missa, churrasco.
21:00 - Baile dos festeiros no salão paroquial com a banda Sabor Nativo.
28/06 - Domingo
9:30 - Procissão com a imagem pelas ruas da comunidade.
10:00 - Missa festivaTerminada a Missa, tainha assada.
14:00- Bingo

sexta-feira, 26 de junho de 2009

NA COSTA DA LAGOA

Moradores e pescadores da Costa da Lagoa comemoram o barco cheio de tainha chegando no trapiche Coração de Mãe.

NOVA LEI DA PESCA

Foto Fernando Alexandre
Em cerimônia realizada nesta sexta feira no Centro de Eventos de Itajaí, cidade considerada a capital brasileira da pesca, o Presidente Lula transformou a Secretaria Especial de Aqüicultura e Pesca em ministério e sancionou a nova Lei da Pesca e da Aqüicultura.
A nova lei foi aprovada em sessão extraordinária pela Câmara dos Deputados em 9 de junho e estabelece o enquadramento dos aquicultores e pescadores – inclusive os artesanais - como produtores rurais, permitindo que tenham acesso a crédito rural. De acordo com o texto, quem atua na atividade de processamento e industrialização de pescado, desde que comprem peixes diretamente dos pescadores ou de cooperativas, também poderão ter acesso ao crédito rural. O projeto estabelece ainda regras e proibições para o setor pesqueiro nacional.

O PARANÁ NÃO ESTÁ PRA PEIXE

Dante Mendonça, camarada da pesca de tainhas em Nova Trento, cartunista, cronista e vigia no alto do planalto curitibano, cerca e arrasta esta deliciosa manta de palavras sobre as tainhas paranaenses. A crônica está publicada na edição de hoje da "Tribuna" e do "Estado do Paraná". Foto Andrea Ramos
Tainhas do Pântano do Sul
"Porque hoje é sexta-feira, véspera de sábado farto no Mercado Municipal, o paranaense de quatro costados foi comprar peixe com certificado de origem: “Quero uma tainha ovada de Guaratuba”. O peixeiro lamentou: “Sinto muito, doutor, tainha no Paraná tem sotaque catarina!”. De quatro costados é o paranaense com quatro avós de linhagem nas costas, tão ortodoxo quanto qualquer um nascido na Lapa, que quando é desafiado por um gaúcho responde: “Admiro muito a gauchada, tchê! Só acho que vocês não sabem fazer três coisas: tomar chimarrão, montar a cavalo e fazer churrasco. De resto, tiro o meu chapéu!”. No Mercado Municipal, o de quatro costados ficou indignado: - Já não bastam as moças de Curitiba que casam com catarinas, agora até as nossa tainhas se mudaram para Florianópolis?
- Doutor, está vendo aquele senhor aí ao lado comprando ovas de tainha? É o famoso Jamur Júnior, aquele do rádio e da televisão. Pergunta que ele entende do assunto. O de quatro costados, que já conhecia o jornalista desde os tempos do Show do Jornal, do Canal Quatro, pegou Jamur pelo braço: - Amigo, me explica: por que não tem tainha de Guaratuba? Além do Canal da Galheta atolado, até nosso mar não tá pra peixe? Jamur Júnior, que nasceu de encomenda para o Cristo de Guaratuba, deu uma aprumada na voz e soltou o verbo: - Que o litoral do Paraná tem complexo de inferioridade perante Santa Catarina, o tamanho explica. Mas tem coisas que acontecem no nosso litoral que nem Freud explicaria. É o caso da Festa da Tainha, que aconteceu dia desses em Paranaguá. Acreditem: 90% das rainhas da festa vieram de Floripa. Intrigado, perguntei a um pescador: por que em Guaratuba tem pouca tainha? A resposta: o IAP proíbe a pesca de arrastão nas praias do Paraná. Desde o começo da temporada, os catarinas já capturaram mais de duzentas toneladas de tainhas somente na região de Florianópolis. Os turistas ficam de boca aberta assistindo aos arrastões que trazem tonelada de peixes. Enquanto isso, os cardumes de tainha passam por Guaratuba em direção a São Paulo, dão tchauzinhos para os paranenses. - Quer dizer que o Instituto Ambiental do Paraná proíbe a pesca de arrastão no nosso litoral? - Nada mais, nada menos: se depender de boa vontade do governo o nosso litoral está mais frito que posta de tainha na frigideira.Perplexo, o de quatro costados não queria acreditar em tamanha burrice: - Jamur, se os quadrúpedes muares pudessem ser pegos em arrastão, a pesca no Paraná seria um sucesso. - Está aqui no jornal: O Ibama deflagrou em Santa Catarina a operação Tainha para Todos. A operação é realizada entre os municípios de Itajaí, no Litoral Norte, e Passo de Torres, na divisa com o Rio Grande do Sul, desde o dia 15 de junho. A instrução do Ibama determina que, em Santa Catarina, embarcações tipo traineira, com capacidade de carga acima de 10 toneladas e devidamente autorizadas, só podem pescar fora das cinco milhas náuticas. Nas praias onde há pontos de pesca, a atividade está restrita a pescadores tradicionais durante o período de 1º de maio a 30 de julho. A operação visa a garantir que os pescadores tradicionais, que vivem da pesca e trabalham legalmente, possam exercer sua atividade sem a interferência de equipamentos proibidos.O de quatro costados mandou embrulhar uma tainha catarina e se despediu cabisbaixo: - Depois perguntam porque o turismo em nosso litoral não se desenvolve. Os nossos baiacus do governo agem como se as tainhas tivessem chip, fossem emplacadas e pagassem IPVA no Paraná. Não adianta: os bichos não pagam pedágio, ficam passeando ao largo para fazer a festa dos catarinas. É de doer as ovas! - Um abraço, meu caro: e se você quiser acompanhar a pesca em Floripa, a tainha tá na rede: http://www.tainhanarede.blogspot.com/ "
(Dante Mendonça)

quinta-feira, 25 de junho de 2009

Vai pro mar, vai pro mar...

Hugo César dos Santos é de Blumenau e as imagens são da praia de Bombinhas, Santa Catarina.

TAINHA PARA TODOS

O QUE PODE E O QUE
NÃO PODE NA PESCA

Foto arquivo

O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) deflagrou em Santa Catarina a operação Tainha para Todos. O objetivo é cumprir a instrução normativa que estabelece normas, critérios e padrões para o exercício da pesca em áreas determinadas e, especificamente, para a captura da tainha.A operação é realizada entre os municípios de Itajaí, no Litoral Norte, e Passo de Torres, na divisa com o Rio Grande do Sul, desde o dia 15 de junho, com apoio da Polícia Militar Ambiental e do Instituto Chico Mendes da Biodiversidade.
A instrução do Ibama determina que, em Santa Catarina, embarcações tipo traineira, com capacidade de carga acima de 10 toneladas e devidamente autorizadas, só podem pescar fora das cinco milhas náuticas. Nas praias onde há pontos de pesca, a atividade está restrita a pescadores tradicionais durante o período de 1º de maio a 30 de julho.
Segundo o coordenador-geral da operação, analista ambiental Carlos José Ribeiro da Silva, a operação visa garantir que os pescadores tradicionais, que vivem da pesca e trabalham legalmente, possam exercer sua atividade sem a interferência de equipamentos proibidos, como por exemplo redes sustentadas por cabos ligados a âncoras ou poitas. Até agora já foram apreendidos mais de 10 quilômetros de cabos de sustentação de redes de pesca, 725 metros de rede, 18 tarrafas, sete roldanas, três âncoras e 61,5 quilos de peixe, que foram doados para instituições filantrópicas de Laguna, no Sul do Estado.Participam da operação, que segue até 30 de julho, um efetivo de 45 pessoas, que utilizam 13 viaturas do Ibama, três embarcações, um barco de abordagem e uma lancha da Polícia Ambiental.

quarta-feira, 24 de junho de 2009

Milagre dos Peixes

Milton Nascimento, Wayne Shorter, Herbie Hancock Stanley Clarke, Robertinho Silva

EM BOMBINHAS

Foto Fabrício Jachowicz - DC Pescadores capturaram um lanço com aproximadamente oito mil tainhas no início da manhã desta quarta-feira na Praia de Bombas, em Bombinhas, litoral Norte de Santa Catarina. O pescado foi retirado da água em duas redes, por volta das 7h30min, num mutirão que reuniu pescadores artesanais da praia. Moradores e curiosos acompanharam a contagem dos peixes na areia da praia.

ÚÚÚÚ! PEIXE NA PRAIA!

O apupo correu por todo o Pântano do Sul e duas canoas já cercaram pra mais de 2 mil peixes, talvez o maior lanço desta temporada na praia.

terça-feira, 23 de junho de 2009

FESTA DE SÃO PEDRO

A Festa de São Pedro, padroeiro dos pescadores, será realizada nos
dias 27 e 28 de junho, no Pântano do Sul.
Dia 27/06 - Sábado 18:00 - Procissão com a imagem pelas ruas da comunidade 18:30 - Missa festiva Terminada a Missa, churrasco. 21:00 - Baile dos festeiros no salão paroquial com a banda Sabor Nativo. 28/06 - Domingo 9:30 - Procissão com a imagem pelas ruas da comunidade. 10:00 - Missa festiva Terminada a Missa, tainha assada. 14:00- Bingo
Festeiros pescadores
São festeiros este ano, entre outros, os casais: Fábio e Joice, Flávio e Juliana, Zezé e Kátia, Seo Zeca e Dona Celina, Célio e Lizete, Chico e Marilda, Sérgio e Andreia.
São Pedro pescador

São Pedro era pescador no lago de Genesaré, na Galileia, junto com seu irmão André, quando, segundo a Bíblia, Cristo os chamou para serem pescadores de homens.

Foto Fernando Alexandre

Outono na ilha

a onda passa

a gaivota fica

(Rodrigo Garcia Lopes, poeta)

Chamando o vento...

A expectativa é que entre um vento Sul com tempo frio, ainda hoje, terça-feira, para que as tainhas encostem nas praias e costões. Mestre Dorival Caymmi pode ajudar a chamar o vento. Vento que traz o peixe. Peixe que dá dinheiro é Curimã. Como são chamadas as tainhas no Nordeste, principalmente na Bahia.

segunda-feira, 22 de junho de 2009

domingo, 21 de junho de 2009

sábado, 20 de junho de 2009

O Velho e o Mar

Ernest Hemingway (1899-1961) foi um escritor cuja vida ficou tão famosa quanto seus melhores livros. "O Velho e o Mar", de 1952, é o último trabalho que Hemingway publicou em vida. Para muitos, é também a sua obra mais importante. Ela lhe valeu o Prêmio Pulitzer em 1953 e, no ano seguinte, foi decisiva para que o escritor ganhasse o Prêmio Nobel. O livro gira em torno de Santiago, um pescador cubano, idoso e empobrecido. Seus companheiros acreditam que sua carreira está perto do fim. A única pessoa que ainda confia em suas habilidades é um garoto que o ajudara em outras ocasiões, mas que havia sido proibido pelos pais de o acompanhar em novas pescarias. Disposto a recuperar a sorte e o prestígio, Santiago parte sozinho para o alto-mar, onde trava uma luta de três dias na caçada a um peixe.
O trecho é o final do belo desenho animado do russo Alexander Petrov , capturado na rede.

sexta-feira, 19 de junho de 2009

Tarrafada em Laguna

Foto de Maria de Fátima Barreto, tirada hoje à tarde.

E o peixe abriu!

Foto Fernando Alexandre A manta de tainhas, calculada pelos experientes vigias Piranha e Sêo Carlinhos em quatro mil peixes, se assustou e "abriu", voltou para o mar de fora. Espirito Santo e Osmarina foram as duas canoas que tentaram cercar o peixe. Mas com o vento soprando de Nordeste, ainda existem boas possibilidades de um lanço ainda hoje. O vento Sul é que traz o peixe, mas o Nordeste é quem encosta, dizem os camaradas mais antigos.

U!U!U!U!U!U!U!U!U!U!U!U!

Os vigias abanaram as camisas e o apupo já corre pelas ruas e casas do Pântano do Sul nesta hora do almoço. Agora, às 12.40 horas, duas canoas já estão deslizando pela estivas para cercar a manta de tainhas. Breve, mais informações e imagens deste cerco!

Tainha fashion

A venda na peixaria Du Peixe, no Pântano do Sul

quarta-feira, 17 de junho de 2009

Praia de Cima em Palhoça

Foto Hermínio Nunes - DC
Dezenove mil tainhas, pesando aproximadamente 30 toneladas, foram cercadas e arrastadas nesta manhã na Praia de Cima, em Palhoça. O lanço é o maior já registrado na região nesta safra. Mais de 300 pessoas, envolvendo pescadores e moradores da região iniciaram o cerco às 7,30 da manhã, que durou até quase meio-dia, quando os peixes foram finalmente contados. De acordo com os pescadores, outros lanços estão previstos na região, já que um cardume está próximo ao costão.

segunda-feira, 15 de junho de 2009

Vai dar "viração"...

Vento Norte duro
Vento Sul seguro
(Dito popular)

Hoje no Pântano do Sul

Foto e imagens Fernando Alexandre
Mãe & Filha

No Pântano do Sul e no Campeche

Foram 400 as tainhas cercadas no final da manhã na praia do Campeche. No Pântano, o lanço foi ainda menor: apenas 75 peixes.

Surpresa na rede

Com temperaturas mais amenas e sem vento Sul forte, foram poucos os cardumes que se aproximaram da ilha no final de semana. Animados pela quantidade de peixes capturados até agora nesta safra de 2009, os vigias não tiraram o olho no mar e os camaradas ficaram prontos para o apupo e para o cerco. Na sexta-feira foram apenas 430 tainhas cercadas na Lagoinha, norte da ilha, e no sábado foram capturados 700 quilos no Morro das Pedras, com redes caça-de-malha. E uma surpresa: Junto com as tainhas, nessa mesma rede, veio uma imensa tartaruga, de 25 quilos, que foi devolvida ao mar pelos pescadores.

domingo, 14 de junho de 2009

Na Lagoinha do Norte

Na tarde de sexta-feira, na Praia da Lagoinha, norte da ilha, um pequeno lanço de 430 tainhas. A informação e as fotos são de Ricardo Philippi de Los Santos.

Mar Azul

Cesária Évora e Marisa Monte O MAR Antes que o sonho (ou o terror) tecesse Mitologias e cosmogonias, Antes que o tempo se cunhasse em dias, O mar, sempre mar, já estava e era. Quem é o mar? Quem é aquele violento E antigo ser que rói os pilares Da terra e é um e muitos mares E abismo e resplendor e acaso e vento? Quem o olha o vê pela primeira vez. Sempre. Com o assombro que as coisas Elementares deixam, as charmosas tardes, a lua, ou fogo de uma fogueira. Quem é o mar, quem sou? Isso saberei No dia seguinte da minha agonia. Jorge Luis Borges Tradução de Rodrigo Garcia Lopes

sábado, 13 de junho de 2009

CANOAS AO MAR...

No lanço da última quinta feira, Osmarina foi a primeira canoa a deslizar nas estivas em direção ao mar, enquanto toda a camaradagem apupava o ÚÚÚÚÚÚÚÚ!!!!!!!! Comandando os 4 remeiros e o chumbeleiro, Aldemir Estevão da Lapa, um dos mais experientes patrões da pesca da tainha no Pântano do Sul. Nesse lanço, 1300 peixes foram arrastados.

sexta-feira, 12 de junho de 2009

DEU NO JORNAL

EMPRESA É MULTADA

POR PESCA IRREGULAR

O proprietário de uma embarcação de pesca flagrada com 170 toneladas de tainha na terça-feira em Navegantes, no Litoral Norte, foi multado em R$ 3 milhões pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) nesta sexta.Segundo o órgão, o dono do barco não tinha a licença necessária para a captura da espécie. A mercadoria, avaliada em R$ 700 mil, foi apreendida. Veja a matéria no site da RBS TV

Há mar...

Chico Buarque, Mar e Lua, para os namorados.

Os botos de Laguna

É hoje, em Laguna, o lançamento do livro Antonio dos Botos, de Márcio José Rodrigues, ilustrado por Andréa Ramos e editado pela Letras Brasileiras. Às 20:30hs, em frente ao Centro Social e Cultural de Santo Antonio dos Anjos, como uma das atrações da tradicional festa de Santo Antonio.

E deu peixe: 1640 tainhas

Depois de cercarem uma pequena manta com 340 peixes no final da manhã, camaradas, moradores e visitantes do Pântano do Sul fizeram a festa no final da tarde: um cardume com 1.300 peixes foi cercado pelas canoas Osmarina e Mariposa. Uma das redes rasgou e uma boa parte do peixe ainda escapou. Na praia, entre aplausos, gritos de alegria e o tradicional bate-boca, o peixe foi dividido. No final, todos levaram tainhas para casa.

Aldemir Estevão da Lapa, 62 anos, um dos pescadores mais experientes da praia foi quem comandou a canoa Osmarina ontem. Já de noite, ele comemorou a pescaria e explicou como foi o cerco.

quinta-feira, 11 de junho de 2009

Hoje é dia

De tainha outra vez. E estão certos os mais velhos, em dia de Corpus Christi elas encostam.. Pela segunda vez no dia duas canoas sairam ao mar para o cerco no Pântano do Sul. Pela manhã foram trazidos 180 peixes para a praia e neste final de tarde a festa continua, a praia está cheia e em breve traremos mais notícias.

quarta-feira, 10 de junho de 2009

Garantem os mais antigos...

Dia de Corpus Christi,
muito peixe
lanço grande
(sabedoria popular)

SERRA & MAR

Nesta deliciosa crônica publicada semana passada nos jornais Estado e Tribuna do Paraná, o jornalista e cartunista Dante Mendonça, pescador de tainhas de Nova Trento, faz a integração - definitiva - da serra com o mar. Tainha com pinhão "Enquanto serra acima é a safra do pinhão, serra abaixo é a temporada da tainha. E juntando coisa com coisa, temos a receita catarina com sotaque leitE quentE: tainha com pinhão. Confraternização se faz à mesa, juntando o Brasil Meridional num único prato. Se na Guerra do Contestado, na divisa do Paraná com Santa Catarina, um pacificador com dotes culinários reunisse em torno de uma mesa farta as partes em conflito, com certeza ninguém sairia da comilança com a barriga cheia de chumbo grosso. Pelados e peludos, caboclos e milicos, todos chegariam ao consenso com um brinde:- Comer, beber e amar... O resto não vale um níquel!Com olhar apaziguado o monge Zé Maria, líder dos pelados revoltosos, diria ao coronel João Gualberto, líder dos peludos da força pública: - Tainha recheada com pinhão, ora essa! Onde foram buscar essa receita? Serra abaixo ou serra acima? O enviado da Southern Brazil Lumber & Colonization Company Inc., que não podia ver um pinheiro em pé, chamaria então à mesa de negociações o pacificador de forno e fogão para revelar o segredo do armistício. - De origem, é “mezzo a mezzo”, “fifty-fifty” - diria o diplomata da gula, detalhando em seguida a receita básica: uma tainha grande e limpa; quatro limões; uma cebola; dois tomates; 1/2 xícara de salsinha; 1/2 xícara de cebolinha; três dentes de alho; sal a gosto; palitos de dente; folha de bananeira e um quilo de pinhão. Para o recheio, cozinhe o pinhão sem sal. Após, descasque o pinhão e o triture. Monge Zé Maria, que da cozinha só conhecia o fogo dos infernos, levantaria uma questão prática relevante: - Como assim, triturar o pinhão?- Triturar, esmigalhar respondeu o pacificador!E continuaria o pacifista da tainha com pinhão:- Pique os tomates, a cebola e os temperos. Misture com o pinhão triturado. Com a tainha, faça aproximadamente quatro talhos nos dois lados do corpo, tempere com limão e sal. Deixe descansar por 15 minutos. Recheie a tainha e feche com palitos de dente. Enrole na folha da bananeira e coloque na grelha para assar por aproximadamente 1 hora.
Naqueles tempos da Guerra do Contestado, entre 1912 e 1916, o coronel João Gualberto era um dos raros militares que conhecia um livro. Assim, causaria espanto a erudição deste que é nome de avenida em Curitiba. - O escritor Eça de Queirós, caros confrades, também foi um grande apreciador de tainha. Só não conheceu a tainha recheada com pinhão.
Apreciador da mesa farta, descrevia com riqueza de detalhes o paladar dos seus personagens nas refeições ou mesmo nos banquetes que aconteciam em seus romances. Em vários deles a tainha está presente nos cardápios, e receitava o mestre português: “O peixe, por exemplo, pode ser uma tainha. E aqui está como ela se prepara, ó estudiosos. Tomai essa tainha. Escamai e esvaziai. Preparai uma massa bem batida, com queijo (que hoje pode ser parmesão), azeite, gema de ovo, salsa e ervas fragrantes, e recheai com ela a vossa tainha. Untai-a então de azeite e salpicai-a de sal. Em seguida assai-a num lume forte. Logo depois de bem assada e alourada, umedecei-a com vinagre superfino. Servi e louvai Netuno, deus dos peixes....”.
De pandulho forrado, embevecido com a receita de Eça de Queirós, o monge Zé Maria entregaria o facão e a garrucha ao coronel João Gualberto e, depois de um forte abraço no gringo da Southern Brazil Lumber & Colonization Company Inc., proporia um brinde ao casamento da tainha com o pinhão, citando um dito dos caboclos manezinhos de Florianópolis:- Céu pro oeste esgaziando, muito frio na serra, muito pinhão caindo, muita tainha chegando!"
(Dante Mendonça)

Rainhas Bordadas III

Fotos Fernando Alexandre A canoa Espírito Santo tem muita história para contar. É a mais velha do Pântano do Sul. Só com a família do Dário Coelho ela já está há quatro gerações, mais de 100 anos. E sempre na lida da pesca da tainha. Mas antes de vir para cá, ela já tinha cortado muito mar na Caieira da Barra do Sul, do outro lado da ilha, onde provavelmente tomou forma no tronco de uma frondosa Figueira. É uma canoa bordada. Canoa de borda alta. Já teve outros donos e outros nomes. O de Espírito Santo ganhou de Sêo Manoel Vicente, o Vidoca. Ele era avô do Dário e foi quem realizou a primeira Festa do Divino Espírito Santo no lugar. Hoje quem patroneia a canoa é o próprio Dário que, aos 44 anos, nem lembra quando foi que começou a pescar. Sempre esteve no mar, de frente para ele. Como a Espírito Santo, que passa todo o ano dentro do rancho na praia, esperando as tainhas chegarem... Bem ao lado do restaurante da família que, desde 1995, leva o nome de Canoa Grande.

terça-feira, 9 de junho de 2009

Mais um lanço!

Ao meio dia de hoje os pescadores do Pântano do Sul deram um lanço de mais 1300 peixes. Parece que as tainhas encostaram pra festa e não sairam mais. E é ruim?

TAINHAS NA NÊGO QUIRIDO...

Em seu blogue Tamborim, no clic rbs, a jornalista Angela Bastos sugere para nossas escolas um samba enredo sobre as maravilhosas, e deleciosas, tainhas...
"Por falar em tainhas... Não renderia um enredo sobre tainhas? Contar a história dos cardumes saindo das águas maroladas do estuário da Lagoa dos Patos, no Sul do Brasil; do mergulho no mar gelado do Sul do Atlântico; da chegada na costa catarinense; do espetáculo dos pescadores solidários que dividem os peixes com as comunidades e encantam o Brasil com as matérias no JN? Coisa mais linda! - Mas quem patrocinaria um enredo sobre tainhas? – perguntariam os dirigentes do Carnaval. Faço parte daquele time que não se importa com enredo patrocinado. Desde que seja um bom enredo. E que a apresentação da escola na avenida não vire pura propaganda do patrocinador. Como não faço enredos, vou é preparar uma tainha no forno."

O último "lanço" do Valci...

Pescador de praia e embarcado, cozinheiro de mão cheia e até compositor e Rei Momo em um desses carnavais, Valci Manoel dos Santos, nascido e criado no Pântano do Sul, estava na praia na manhã do último domingo junto com a camaradagem quando as canoas Osmarina, Terezinha e Zé Gancheiro tentaram cercar uma manta de tainhas. Na festa do Divino Espírito Santo, a noite, sentiu-se mal. No dia seguinte, Valci foi olhar as tainhas lá de cima, da grande vigia. Filho do Sêo Manoel, primeiro motorista de ônibus do Pântano, Valci tinha 45 anos. Esse foi seu último lanço, e essas imagens foram feitas naquela manhã.

Mais tainhas no Pântano do Sul!

ÚÚÚÚÚÚÚÚÚÚÚÚÚÚÚ!!!!!!!!!!!!!!!!
Hoje cedo, com chuvinha fina e tempo nublado, mais dois lanços de tainha no Pântano: um de 100 e outro de pouco mais de 500 peixes.
Continua a festa na praia!

segunda-feira, 8 de junho de 2009

ÚÚÚÚÚÚ!!!! PEIXE NA PRAIA!

Fotos Fernando Alexandre
Demorou mas chegou. Pouco depois das 3 da tarde, o apupo correu o Pântano do Sul...
ÚÚÚÚÚÚÚÚÚÚÚ!!!!!!!!!!!
Rapidamente Osmarina, Terezinha e Zé Gancheiro deslizaram nas estivas em direção ao mar e ao cardume. Tinha peixe pra mais de 4 mil, diziam os vigias. No final, 2100 tainhas foram cercadas e arrastadas. Este foi o maior lanço desta safra na praia.Todo mundo ganhou peixe: vigias, remeiros, chumbeleiros e toda a camaradagem. Curiosos e visitantes que ajudaram também levaram suas tainhas para casa. Hoje a noite, o Pântano do Sul tem cheiro de tainha e de fartura. O milagre dos Peixes.

Tainha de São Chico

Marciele de Paula é pescadora de São Francisco do Sul há 5 anos. Para contar como está a pesca da tainha por lá ela criou o blog www.tainhadesaochico.blogspot.com. Vai lá!