domingo, 31 de maio de 2009

NA GAROPABA E NA PINHEIRA

Na manhã deste sábado, pescadores da praia de Garopaba cercaram e arrastaram 10 toneladas de tainhas. No lanço, foram utilizadas três canoas.
Ainda no sábado, mais cinco tonelades do peixe foram capturados na praia da Pinheira.
Mar Português Ó mar salgado, quanto do teu sal São lágrimas de Portugal! or te cruzarmos, quantas mães choraram, Quantos filhos em vão rezaram! Quantas noivas ficaram por casar Para que fosses nosso, ó mar! Valeu a pena? Tudo vale a pena Se a alma não é pequena. Quem quere passar além do Bojador Tem que passar além da dor. Deus ao mar o perigo e o abismo deu, Mas nele é que espelhou o céu. (Fernando Pessoa, poeta portugues -1888/1935)

RECEITA DO DIA

antes
depois
Lanhar (fazer pequenos cortes) dos dois lados da tainha limpa. Molhar por dentro e por fora com o suco de dois limões galegos (amarelos). Salgar por dentro e por fora. Picar cebola, pimentão, tomate, tempero verde e alfavaca. Misturar e rechear. Assar em fogo pré-aquecido, de 30 a 40 minutos, regar com um fio de azeite extra virgem e servir com o acompanhamento preferido. Fizemos ontem e ficou deliciosa!

quinta-feira, 28 de maio de 2009

Dividindo os Peixes!

Depois de arrastados para a praia, os peixes são contados e divididos entre os donos das parelhas (canoas e redes), os camaradas que fazem parte das listas de pesca e também por todos que ajudaram a puxar a rede. Se o lanço for grande, não fica ninguém sem ganhar o seu peixe. No Pântano do Sul, os donos das canoas ficam com 30% dos peixes (nas demais praias é 50%) e os 70% restantes divididos entre os 200 camaradas das 4 listas que participaram da pesca naquele dia. Cada um ganha seu quinhão. À noite, praticamente todas as casas do Pântano do Sul exalam o delicioso cheiro de tainhas fritas ou assadas.

FESTA NA PRAIA!!!

fotos Fernando Alexandre O primeiro lanço de tainhas do Pântano do Sul aconteceu hoje,
às 9:30 hs. As canoas Osmarina e Terezinha cercaram a manta e a
camaradagem puxou 740 peixes para a praia.
Teve tainha pros camaradas... Teve tainha pro Santo ...
e teve tainha até pra pescador mergulhão...

E cada um levou seu quinhãozinho pra casa.

Ah, este mar!

Na bela voz de Marisa Monte

quarta-feira, 27 de maio de 2009

TRESONTONTE!

Como todos os anos, as tainhotas chegam antes pra avisar que as tainhas estão vindo... Em 2007 não foi diferente: dia 30 de abril, véspera da safra da tainha, deu lanço no Pântano do Sul. A foto é do Amilton Alexandre, o Mosquito (que não é meu parente).

terça-feira, 26 de maio de 2009

Vendendo o peixe

foto Fernando Alexandre
Tainha é como curió, tem que ser da terra.
De preferência com tradução.
Estas são da peixaria Do Ademir dos irmãos Fábio e Fabrício,
no Pântano do Sul.

sábado, 23 de maio de 2009

sexta-feira, 22 de maio de 2009

AS RAINHAS BORDADAS

Espírito Santo, muita história pra contar. fotos fernando alexandre Osmarina, duas vezes campeã Se no mar são as tainhas que mandam, na pesca de praia reinam absolutas as canoas. São verdadeiras rainhas. Impolutas, fortes e serenas enfrentam ondas e levam em seu bojo mais que redes, remeiros, chumbeleiros e patrões. Levam os sonhos de melhores dias, de uma mesa farta ou de uma grande e alegre festa coletiva. No Pântano do Sul, elas são quase todas mulheres: Osmarina, Terezinha, Mariposa e Ariana. E ainda a Espírito Santo e Zé Gancheiro. Imensas esculturas talhadas e encavadas em um único pau. Madeiras nobres e leves: Garapuvús, Cedros e Cabiúnas. Todas bordadas. Canoas de borda alta, borda falsa. Canoas com muitos anos, muitos peixes e muitas histórias pra contar.

quinta-feira, 21 de maio de 2009

O primeiro lanço

foto arquivo
Mal tinha amanhecido o dia de ontem (quarta-feira), com o sol começando a iluminar a praia, quando os vigias deram o sinal: tinha uma manta de peixe se aproximando. Enquanto a canoa Osmarina deslizava rapidamente pelas estivas em direção ao mar, o apupo começava a encher os ouvidos ainda sonolentos dos moradores do Pântano do Sul: ÚÚÚÚÚÚÚÚÚ!!!!!!!!!!
Pouco tempo depois, a decepção. O peixe se assustou com a chata (restos de uma embarcação que afundou na praia há muitos anos) e desapareceu.
Final do primeiro cerco da safra deste ano: apenas 5 peixes.

quarta-feira, 20 de maio de 2009

Osmarina foi pro mar...Mas o peixe sumiu!

A canoa Osmarina foto Fernando Alexandre Eram pouco mais de 2 da tarde desta terça-feira, quinto dia da pesca deste ano, quando um dos vigias começou a fazer sinal com sua camisa lá de cima das dunas que tinha peixe se aproximando. ÚÚÚÚ!!! ÚÚÚÚ!!! ÚÚÚÚ!!! Em poucos minutos o apupo era escutado e repetido em toda a praia e nas pequenas ruas do Pântano do Sul. Na mesma hora, a canoa "Osmarina" começava a deslizar pelas estivas rapidamente em direção ao mar. Poucos tempo depois já navegada em direção a manta com a força dos remadores e orientada de longe pelos vigias. Mas logo em seguida retornou. Assustado, 0 peixe abriu e a manta se afastou. Na praia, homens, mulheres e crianças, olhos fixos no mar, comentavam sobre a quantidade de peixes que tinha se aproximado e o que tinha feito as tainhas se afastarem.
- Ne quando a manta espanou era peixe pra magi de cinco mil. Lamentava um dos camaradas. Agora é olho vivo no mar, grito na boca e pé ligeiro pra esperar o próximo aviso dos vigias.

terça-feira, 19 de maio de 2009

Mais tainha na Barra da Lagoa!

Depois de terem capturado 720 quilos de tainhas na manhã de segunda-feira, pescadas com caça-de-malha - pescaria que é feita com barcos fora das praias e onde os peixes são malhados, e não arrastados - os pescadores da Barra da Lagoa deram á tarde o primeiro lanço de arrasto na praia. Foram quase mil tainhas, que fizeram a alegria e a festa de todos.

segunda-feira, 18 de maio de 2009

Rock da Tainha

>< Pra comemorar as tainhas da Barra da Lagoa, nada melhor do que Valdir Agostinho, multi-artista e filho de pescador da própria comunidade, com o seu "Rock da Tainha."
foto arquivo
Na Barra!
"Pescadores da praia da Barra da Lagoa, no Leste da Ilha de Santa Catarina, Florianópolis, capturaram um lanço de 720 quilos de tainha no início da manhã desta segunda-feira.A pesca marca o início da temporada de captura da espécie no Estado, que teve início na última sexta-feira, dia 15, quando terminou o período de defeso do peixe. A previsão de um inverno típico, com temperaturas baixas, aumenta a expectativa dos pescadores para a safra deste ano. Em 2008, quando foi registrada a pior safra dos últimos anos, foram capturados 780 toneladas do pescado — três vezes menos que no ano anterior, 2007. Diferente das temporadas anteriores, o começo do período de captura foi adiado do já tradicional 1º de maio para a segunda quinzena do mês, conforme portaria dos órgãos reguladores.Durante a safra, a prática do arrastão estará proibida em praias licenciadas apenas para a pesca artesanal." (Diário Catarinense em 18/05/2009)

sábado, 16 de maio de 2009

RECADO URGENTE!

foto Fernando Alexandre
No primeiro dia da pesca deste ano, as tainhas não apareceram mas mandaram avisar que estão chegando. Quem trouxe o recado foram as quase 400 tanhotas que apareceram na praia do Pântano do Sul e foram cercadas. Para alegria - e aperitivo - dos que estavam no cerco. E vai ter mais!!!
"Tainhas, tanhotas, gaivotas
Quando em vez
Pinguins, gambás, bergamotas"
(Ivan Messiano)

sexta-feira, 15 de maio de 2009

foto Rodrigo Garcia Lopes
ÚÚÚÚÚÚÚÚÚÚÚ !!!!!!
COMEÇOU A PESCA!
Desde cedinho, numa das manhãs mais frias do ano – 12 graus positivos – céu azul de outono e um suave vento sul, os moradores da pequena comunidade do Pântano do Sul, na Ilha de Santa Catarina não tiram os olhos do mar. É que hoje, sexta-feira, 15 de maio de 2009, começou a pesca da tainha em todo o litoral de Santa Catarina. Com o fim do defeso, período do ano em que a pesca é proibida para que os peixes se reproduzam, já é permitida a captura das tainhas nas praias e costões de todo o litoral, seja de tarrafa, garatéia ou rede de arrasto, o terno de praia. No Sul da ilha a pesca também é realizada em pequenas embarcações (baleeiras ou botes) que cercam os cardumes numa distância mínima de uma milha (cerca de 1800 metros) das praias e costões com redes de caça de malha.